EVANGELIZAR.

NESTE BLOG DISPONIBILIZAMOS MENSAGENS CRISTÃS SEGUNDO A BIBLIA. FALAMOS DOS ESTATUTOS DO REINO DE DEUS.

sexta-feira, 28 de setembro de 2018

SEGUNDO SÁBADO

“E aconteceu que, no segundo sábado após o primeiro, passou pelas searas, e os seus discípulos iam arrancando espigas e, esfregando-as com as mãos, as comiam. E alguns dos fariseus lhes disseram: Por que fazeis o que não é lícito fazer nos sábados?” (Lucas 6:1-2)

          Sabemos que uma das desculpas que os judeus, os fariseus, as autoridades religiosas acharam na época para acusar Jesus foi o fato de Ele operar milagres nos dias de sábados. Aqui vemos o relato de um dia de sábado. Jesus e os seus discípulos estavam andando, como sempre Ele fazia, indo de uma cidade a outra pregando o Evangelho do Reino, quando passaram por uma plantação. Como estavam com fome, os discípulos foram até a plantação, pegaram espigas e começaram a comê-las ali, in natura. Quero deixar bem claro que eles não estavam fazendo nada de errado, não estavam furtando, porque, segundo a lei, na época da colheita, as pessoas deveriam colher, mas sempre deixar um pouco para que, se alguém quisesse, pudesse pegar e se alimentar. Assim era legal, era permitido, autorizado qualquer pessoa que estivesse com fome ou passando necessidade apanhar espigas para se alimentar, inclusive, quando era época da colheita, o que caía no chão não poderia ser apanhado pelo dono, pois ficava para os que necessitassem. Assim, os discípulos que estavam famintos colheram espigas e se alimentaram, mas os religiosos que andavam procurando pretextos para acusar Jesus, principalmente por inveja, o questionam sobre isso, sobre o fato de os discípulos estarem colhendo no sábado, para se alimentarem. Devemos observar que os discípulos estavam somente apanhando para comer na hora, e não para levar para as suas casas. Assim, os fariseus estavam questionando o fato de os discípulos se alimentarem em dia de sábado. Mas não existia e nem nunca houve proibição do Senhor de as pessoas comerem, se alimentarem nos dias de sábados. Inclusive, vejo religiões, seitas afirmarem que não se pode fazer nada em dias de sábados, e na verdade é uma maneira, uma desculpa de serem pessoas que praticam uma religião qualquer e que, na verdade, procuram seguir um rito que não existe mais, mesmo porque a proibição dos sábados foi no Antigo Testamento, foi na época da lei, e hoje vivemos na Graça, vivemos em Jesus, assim obedecemos somente ao que Ele determina, e não à antiga lei que se cumpriu Nele. Temos que entender que só existe um Testamento, porque o Novo invalida o Antigo, isto é fato.
       “E Jesus, respondendo-lhes, disse: Nunca lestes o que fez Davi quando teve fome, ele e os que com ele estavam? Como entrou na casa de Deus, e tomou os pães da proposição, e os comeu, e deu também aos que estavam com ele, os quais não é lícito comer senão só aos sacerdotes? E dizia-lhes: O Filho do homem é Senhor até do sábado.” (Lucas 6:3-5). Jesus responde mostrando-lhes o que aconteceu mesmo no tempo da Lei, quando Davi, fugindo de Saul, foi até o sacerdote pedindo algum alimento, e só tinha pão consagrado, o que não era lícito, não era permitido comer, mas ele o comeu, porque estava com fome, e o sacerdote deu o pão não somente para ele mas também para seus companheiros se alimentarem. Deus já tinha deixado claro que quer de todos obediência, e não sacrifícios, quer misericórdia, e não sacrifícios, portanto, o Senhor não está querendo ou desejando que alguém sofra de maneira deliberada por cumprir uma lei. Jesus afirma que Ele é o Senhor dos sábados, portanto, se Ele, o Senhor, está autorizando, permitindo, concordando que as pessoas comam, colham, façam qualquer coisa no sábado, quem somos nós para dizer o contrário? Jesus é Deus, como Ele mesmo disse: “quem vê a mim vê o Pai”, pois Ele e o Pai são um. Por isto era o próprio Deus concordando que os discípulos colhessem e se alimentassem em dia de sábado e mais, o próprio Deus, que é Jesus, está afirmando que é o Senhor dos sábados, portanto, não existe essa questão de guardar os sábados. Temos que saber que a guarda dos sábados foi na época em que o Senhor tirou o povo do Egito, onde eram escravos, portanto, trabalhavam de segunda a segunda, e o Senhor primeiro queria que eles tivessem um dia de descanso, e, segundo, um dia para se dedicarem ao Senhor. Hoje podemos descansar nos dias de sábados ou outro dia qualquer, sabendo que os sábados são um dia como outro qualquer. “E aconteceu também noutro sábado, que entrou na sinagoga, e estava ensinando; e havia ali um homem que tinha a mão direita mirrada. E os escribas e fariseus observavam-no, se o curaria no sábado, para acharem de que o acusar. Mas Ele bem conhecia os seus pensamentos; e disse ao homem que tinha a mão mirrada: Levanta-te, e fica em pé no meio. E, levantando-se ele, ficou em pé. Então Jesus lhes disse: Uma coisa vos hei de perguntar: É lícito nos sábados fazer bem, ou fazer mal? Salvar a vida, ou matar? ” (Lucas 6:6-9). Jesus logo no sábado seguinte entrou no templo, na sinagoga dos judeus, e ali se encontrava um homem que tinha uma mão deficiente, e Jesus, como Deus, sabia o que os religiosos, os fariseus estavam pensando. Mas Ele agora lhes questiona se é lícito, se é autorizado fazer o bem ou o mal em dia de sábado, porque, se Ele não curasse aquele homem, Ele estaria fazendo o mal, pois Ele tinha Poder para curar, e, não o curando, estava se omitindo, e omissão é pecado. Jesus, mais uma vez, mostra que não existe essa questão de sábado para Ele, e cura o homem. Nós também devemos fazer o bem todos os dias, inclusive nos dias de sábado, sabendo que não existem dias diferenciados para Deus. “E, olhando para todos em redor, disse ao homem: Estende a tua mão. E ele assim o fez, e a mão lhe foi restituída sã como a outra. E ficaram cheios de furor, e uns com os outros conferenciavam sobre o que fariam a Jesus.” (Lucas 6:10-11).
Leiam e pratiquem a Bíblia. Que Deus os abençoe.
Um abraço,
Pr. Henrique Lino


Se voce está passando por problemas na sua vida espiritual, familiar, profissional, sentimental, com filhos em situação de risco, envolvimento com drogas, ou em processo de separação, divorcio, traído(a) abandonado(a) entre em contato conosco.O Ministério Atalaia do Evangelho de Deus está a sua disposição para aconselhamento, oração, e interseção e orientação, e cobertura espiritual. Visitem nosso site www.atalaiadedeus.com.br - O Ministério Atalaia do Evangelho de Deus tem como objetivo levar a Palavra de Deus. Trabalha voluntariamente com assistência as famílias, para restaurar casamentos e orientação espiritual a todo aquele que necessita de uma Palavra de cura, salvação e libertação. Esse Ministério tem obedecido ao chamado do Senhor, venha fazer parte desse trabalho com sua oração. 

quinta-feira, 27 de setembro de 2018

CORPOS NA CRUZ

“Os judeus, pois, para que no sábado não ficassem os corpos na cruz, visto como era a preparação (pois era grande o dia de sábado), rogaram a Pilatos que se lhes quebrassem as pernas, e fossem tirados.” (João 19:31)

         Os judeus já tinham prendido Jesus e o submetido a um julgamento ilegal, pois aconteceu à noite, o que era ilegal pelas leis romanas da época, e Israel vivia sob o domínio dessas. Já tinham submetido Jesus a todos os tipos de humilhações, já o tinham açoitado, crucificado, e Ele tinha entregado a sua vida ali por nós, na cruz do Calvário. Agora os judeus vão a Pilatos, o governador, pedindo-lhe tirar das cruzes os corpos de Jesus e dos outros dois ladrões que foram crucificados junto com Ele, para que não ficasse feia a exposição, pois o sábado era um dia importante para eles. Esse povo tinha a preocupação de cumprir uma lei que lhes favorecia, mas não aceitavam a Verdade que era Jesus, porque não aceitavam e não aceitam até hoje tanto Jesus quanto o Evangelho, mesmo porque são pouquíssimos os judeus cristãos, a sua maioria ainda vive na prática da antiga e extinta lei de Moisés, que não existe mais, uma vez que ela se cumpriu em Jesus. Eles ainda estão esperando até hoje a vinda do Messias, eles adoram Davi, visitam o seu túmulo, onde ainda devem restar alguns dos seus ossos, mas não aceitam Jesus, que para eles foi somente um profeta. Esses judeus pediram ao governador que mandasse quebrar as pernas dos que estavam crucificados, porque assim eles morreriam rapidamente, uma vez que a morte na cruz ocorre pela sufocação; enquanto as pessoas têm forças para se sustentarem sobre as pernas e os braços, elas resistem, mas, quando as pernas são quebradas, então sem esse ponto de apoio acabam sufocadas e morrem instantaneamente. Por isto pediram que quebrassem as pernas de Jesus e depois o tirassem da cruz, não sabendo eles que Jesus já tinha se entregado por nós. Vemos que os judeus queriam tirar Jesus o mais rápido possível da frente deles, e os líderes dos sacerdotes, os principais das autoridades religiosas, eclesiásticas da época, tudo fizeram para que Jesus fosse morto e que tirassem o seu corpo, ou seja, para acabar logo com aquele assunto. Observamos que eles são contraditórios, porque dizem que acreditam que Jesus foi somente um profeta, que operou muitos sinais, mas, sendo assim, por que o mataram, uma vez que o reconheciam como profeta? A bem da verdade, eles queriam era matar o Filho de Deus, e por isto irão pagar eternamente.
 “Foram, pois, os soldados, e, na verdade, quebraram as pernas ao primeiro, e ao outro que como ele fora crucificado; Mas, vindo a Jesus, e vendo-o já morto, não lhe quebraram as pernas. Contudo um dos soldados lhe furou o lado com uma lança, e logo saiu sangue e água.” (João 19:32-34). Após Pilatos concordar, autorizar, permitir que quebrassem as pernas dos que estavam crucificados e depois os retirassem das cruzes, os soldados se dirigem ao local e quebram as pernas do primeiro e do segundo ladrão, pois ainda estavam vivos. E assim logo eles morreram. Mas, chegando a Jesus, observaram, perceberam que Ele já tinha morrido, e, portanto, para se certificar, simplesmente furaram o lado do seu corpo com uma lança. Quando o furaram, do lado de Jesus saíram água e sangue, isto para se cumprir o que Deus Pai já tinha revelado aos seus profetas centenas de anos antes. Ele disse que nenhum dos ossos de Jesus, o Cordeiro de Deus, seria quebrado, e não foi. Quando saíram água e sangue, estava mostrando o início e o fim, porque o Ministério terreno de Jesus se iniciou depois do seu batismo no rio Jordão por João Batista, e finalizou na cruz, com Ele se entregando por nós. O derramamento de Sangue de Jesus foi para nos dar vida, e vida em abundância, isto quer dizer vida, mas não aqui, e sim ao seu lado e para sempre. Temos que entender que Jesus foi uma pessoa normal até os seus trinta anos aproximadamente, e só iniciou o seu Ministério depois, o qual durou aproximadamente três anos, e nos resgatou e venceu a morte. É inconcebível a maneira como os judeus pensam e falam, pois tudo o que aconteceu com Jesus estava previsto na lei e nos profetas que eles teimam em seguir, e, portanto, se assim fosse, eles saberiam que o Messias, o Filho de Deus, já veio, e é claro que vai retornar para levar a igreja. Mas eles teimam em dizer que Ele ainda não veio, e estão esperando a sua primeira vinda. Exatamente por ignorarem e não aceitarem Jesus é que eles vivem em constantes guerras, só não são vencidos, derrotados, porque Deus Pai prometeu que não o seriam, somente por causa da Palavra de Deus, que se cumpre. E assim eles enfrentam lutas constantes, até o dia em que reconhecerem que Cristo é o Senhor. “E aquele que o viu testificou, e o seu testemunho é verdadeiro; e sabe que é verdade o que diz, para que também vós o creiais. Porque isto aconteceu para que se cumprisse a Escritura, que diz: Nenhum dos seus ossos será quebrado. E outra vez diz a Escritura: Verão aquele que traspassaram.”(João 19:35-37). Aquele que viu é o autor deste livro deste Evangelho, digo escritor, porque o verdadeiro autor é o Espírito Santo, uma vez que eles escreveram guiados pelo Espírito Santo de Deus. João é considerado o discípulo amado, e escreveu este Evangelho além das outras três cartas com o seu nome. Ele afirma que testemunhou tudo isto que aconteceu, e que é para todos os que leem este Evangelho também crerem, pois foi tudo aquilo que Deus disse que aconteceria. Só não entendemos ou aceitamos os judeus não crerem, não aceitarem. “Depois disto, José de Arimatéia (o que era discípulo de Jesus, mas oculto, por medo dos judeus) rogou a Pilatos que lhe permitisse tirar o corpo de Jesus. E Pilatos lhe permitiu. Então foi e tirou o corpo de Jesus. E foi também Nicodemos (aquele que anteriormente se dirigira de noite a Jesus), levando quase cem arráteis de um composto de mirra e aloés. Tomaram, pois, o corpo de Jesus e o envolveram em lençóis com as especiarias, como os judeus costumam fazer, na preparação para o sepulcro. E havia um horto naquele lugar onde fora crucificado, e no horto um sepulcro novo, em que ainda ninguém havia sido posto. Ali, pois (por causa da preparação dos judeus, e por estar perto aquele sepulcro), puseram a Jesus.” (João 19:38-42).
Leiam e pratiquem a Bíblia. Que Deus os abençoe.
Um abraço,
Pr. Henrique Lino


Se voce está passando por problemas na sua vida espiritual, familiar, profissional, sentimental, com filhos em situação de risco, envolvimento com drogas, ou em processo de separação, divorcio, traído(a) abandonado(a) entre em contato conosco.O Ministério Atalaia do Evangelho de Deus está a sua disposição para aconselhamento, oração, e interseção e orientação, e cobertura espiritual. Visitem nosso site www.atalaiadedeus.com.br - O Ministério Atalaia do Evangelho de Deus tem como objetivo levar a Palavra de Deus. Trabalha voluntariamente com assistência as famílias, para restaurar casamentos e orientação espiritual a todo aquele que necessita de uma Palavra de cura, salvação e libertação. Esse Ministério tem obedecido ao chamado do Senhor, venha fazer parte desse trabalho com sua oração. 

quarta-feira, 26 de setembro de 2018

VENDO O SEPULCRO

“E, no fim do sábado, quando já despontava o primeiro dia da semana, Maria Madalena e a outra Maria foram ver o sepulcro.” (Mateus 28:1)

         As Marias foram logo nas primeiras horas do domingo, que é o primeiro dia da semana, até o sepulcro onde tinha sido colocado o corpo de Jesus, a fim de levar perfumarias para colocar no corpo do Senhor. Nas primeiras horas porque no sábado, até a meia-noite, não se podia fazer nada segundo a lei. Elas, para não arrumarem confusão e serem perseguidas ou até mortas a pedradas pelos fariseus, esperaram passar o sábado para fazerem o que queriam. Essas mulheres, apesar de andarem com Jesus e terem sido discípulas Dele, ainda não tinham uma fé completa, porque ainda esperavam encontrar o seu corpo no sepulcro, apesar de Jesus ter-lhes dito que no terceiro dia ressuscitaria, então o correto seria simplesmente aguardar para ver o que aconteceria. Mas elas vão ficar tristes e decepcionadas por não encontrarem um corpo para cuidar, para colocar os produtos de perfumistas, ou para elas chorarem. “E eis que houvera um grande terremoto, porque um anjo do Senhor, descendo do céu, chegou, removendo a pedra da porta, e sentou-se sobre ela. E o seu aspecto era como um relâmpago, e as suas vestes brancas como neve. E os guardas, com medo dele, ficaram muito assombrados, e como mortos.” (Mateus 28:2-8). Um anjo tinha descido do céu e feito um grande barulho e removido a pedra que estava na entrada do sepulcro onde o corpo de Jesus estivera. Temos que entender que o barulho que o anjo fez foi intencional, para os guardas e todos que ali estivessem virem que foi uma ação Divina e não humana, para todos virem que foi um anjo do Senhor e não alguma pessoa que veio tirar o corpo do Senhor. Depois eles receberam dinheiro para divulgar essa mentira, mas ninguém acreditou, porque Jesus apareceu ressurreto e muitos o viram. Os guardas que estavam ali vigiando o túmulo assim como outras pessoas, quando viram o que estava acontecendo, quando viram o anjo, sabendo que era um anjo do Senhor, ficaram morrendo de medo. Também temos que observar que o anjo poderia ter vindo como uma pessoa normal e sem fazer barulho, mas ele agiu de maneira contrária exatamente para servir de testemunho, por isso ele veio como anjo que realmente era, com roupas extremamente brancas e com aspecto de um relâmpago, ou seja, como faísca, com a aparência de que não era humano, assim eles teriam certeza de que não foi nenhum dos discípulos de Jesus que viera tirar ou furtar o seu corpo.
 “Mas o anjo, respondendo, disse às mulheres: Não tenhais medo; pois eu sei que buscais a Jesus, que foi crucificado. Ele não está aqui, porque já ressuscitou, como havia dito. Vinde, vede o lugar onde o Senhor jazia. Ide pois, imediatamente, e dizei aos seus discípulos que já ressuscitou dentre os mortos. E eis que Ele vai adiante de vós para a Galiléia; ali o vereis. Eis que eu vo-lo tenho dito.” (Mateus 28:5-7). Então o anjo fala com as mulheres, com as duas Marias, que a essa altura do campeonato estão juntas com os guardas e todo o resto morrendo de medo. O anjo diz para elas não terem medo, porque ele sabe que elas estão buscando Jesus, estão procurando Jesus, mas só que Ele não está mais ali, que a sua Palavra se cumpriu, porque Ele tinha avisado que depois de três dias ressuscitaria. Ainda manda que elas olhem o lugar no sepulcro onde o corpo de Jesus fora colocado, manda que elas constatem com os seus próprios olhos e não fiquem somente crendo no que ele dizia. Assim ele fez para que elas não tivessem nenhuma dúvida. Depois ele lhes determina irem até os discípulos de Jesus e falar com eles que já acontecera o que Jesus disse que aconteceria, que Ele já havia ressuscitado entre os mortos, que Ele está vivo, e, portanto, é para fazerem o que Ele havia mandado, ou seja, irem para a Galiléia. Jesus já tinha ido, então eles deveriam fazer o que Jesus lhes tinha pedido, pois eles o veriam lá na Galiléia. “E, saindo elas pressurosamente do sepulcro, com temor e grande alegria, correram a anunciá-lo aos seus discípulos. E, indo elas a dar as novas aos seus discípulos, eis que Jesus lhes sai ao encontro, dizendo: Eu vos saúdo. E elas, chegando, abraçaram os seus pés, e o adoraram. Então Jesus disse-lhes: Não temais; ide dizer a meus irmãos que vão à Galiléia, e lá me verão.” (Mateus 28:8-10). Então as mulheres saem correndo para fazer o que o anjo tinha lhes mandado. Elas estavam com medo e, ao mesmo tempo, muito alegres por saberem que Jesus tinha ressuscitado, que estava vivo. Mas, quando elas estão saindo apressadas, dão de cara com Jesus que lhes vai ao encontro, e as saúda, as cumprimenta. Elas alegres e saudosas se atiram aos pés de Jesus e o abraçam adorando, então Jesus novamente as manda ir ao encontro dos discípulos avisar que Ele já tinha ressuscitado e que eles deveriam ir para a Galiléia, que lá os encontraria. Jesus fez questão também de se apresentar para essas mulheres para elas ficarem cem por cento convencidas de que Ele tinha ressuscitado e estava vivo, para que elas fossem testemunhas e falassem tudo o que tinham visto com os discípulos. “E, quando iam, eis que alguns da guarda, chegando à cidade, anunciaram os príncipes dos sacerdotes todas as coisas que haviam acontecido. E, congregados eles com os anciãos, e tomando conselho entre si, deram muito dinheiro aos soldados, Dizendo: Dizei: Vieram de noite os seus discípulos e, dormindo nós, o furtaram. E, se isto chegar a ser ouvido pelo presidente, nós o persuadiremos, e vos poremos em segurança. E eles, recebendo o dinheiro, fizeram como estavam instruídos. E foi divulgado este dito entre os judeus, até ao dia de hoje.” (Mateus 28:11-15). Enquanto isto, os guardas foram aos líderes dos sacerdotes, dos religiosos, dos que tinham mandado prender e crucificar Jesus contando tudo o que tinha acontecido. Então os sacerdotes deram dinheiro, subornaram os guardas para não contarem a verdade, para mentirem dizendo que alguns dos discípulos tinham roubado o corpo de Jesus. Subornaram os guardas e ainda ameaçaram, ou seja, tentaram de todos os meios impedir que o mundo soubesse que Jesus ressuscitou e está Vivo para sempre. “E os onze discípulos partiram para a Galiléia, para o monte que Jesus lhes tinha designado. E, quando o viram, o adoraram; mas alguns duvidaram. E, chegando-se Jesus, falou-lhes, dizendo: É-me dado todo o Poder no céu e na terra. Portanto ide, fazei discípulos de todas as nações, batizando-os em Nome do Pai, e do Filho, e do Espírito Santo; Ensinando-os a guardar todas as coisas que eu vos tenho mandado; e eis que eu estou convosco todos os dias, até a consumação dos séculos. Amém.” (Mateus 28:16-20).
Leiam e pratiquem a Bíblia. Que Deus os abençoe.
Um abraço,
Pr. Henrique Lino


Se voce está passando por problemas na sua vida espiritual, familiar, profissional, sentimental, com filhos em situação de risco, envolvimento com drogas, ou em processo de separação, divorcio, traído(a) abandonado(a) entre em contato conosco.O Ministério Atalaia do Evangelho de Deus está a sua disposição para aconselhamento, oração, e interseção e orientação, e cobertura espiritual. Visitem nosso site www.atalaiadedeus.com.br - O Ministério Atalaia do Evangelho de Deus tem como objetivo levar a Palavra de Deus. Trabalha voluntariamente com assistência as famílias, para restaurar casamentos e orientação espiritual a todo aquele que necessita de uma Palavra de cura, salvação e libertação. Esse Ministério tem obedecido ao chamado do Senhor, venha fazer parte desse trabalho com sua oração. 

terça-feira, 25 de setembro de 2018

NÃO ESCANDALIZAR.

“Tenho-vos dito estas coisas para que vos não escandalizeis. Expulsar-vos-ão das sinagogas; vem mesmo a hora em que qualquer que vos matar cuidará fazer um serviço a Deus. E isto vos farão, porque não conheceram ao Pai nem a mim.” (João 16;1-3)

         Jesus há mais de dois mil anos já nos tinha preparado, já tinha nos avisado o que aconteceria nestes tempos. É o que vemos acontecendo, o que enfrentamos e vivemos, porque distorceram o Evangelho e hoje muitas seitas, religiões que se dizem cristãs ensinam contra Jesus Cristo. Mas isso não pode nos escandalizar nem assustar, porque sabíamos que isso aconteceria e sabemos que a tendência é piorar até a volta do Nosso Senhor Jesus Cristo. É normal hoje os verdadeiros cristãos serem desprezados nos templos, serem criticados por não aceitarem o modernismo que estão implantando nos templos, uma vez que as preocupações dos templos modernos e de seus pregadores é simplesmente enchê-los, não importa como as pessoas venham ou continuem frequentando. Desde que estejam ofertando, dizimando e frequentando as reuniões, isso já é o bastante. Esses pregadores da mentira, tais como os da famigerada pregação da prosperidade, os criadores de cultos dos empresários, dos solteiros, dos casados, das campanhas e de tudo o mais querem somente que cada vez mais pessoas estejam nos seus templos. Por isto fazem um evangelismo suave, em que convidam as pessoas não para abandonarem os seus pecados, não para se converterem, elas são chamadas para os seus templos a fim de assistirem a shows, ouvirem cantores ou pregadores famosos. Criam campanhas e festas de todos os tipos iguais às do mundo, prova tal que hoje temos arraial gospel, temos carnaval gospel, tudo igual ao do mundo, só colocam o nome gospel junto. Assim, os pregadores do Evangelho de Jesus Cristo são desprezados, caluniados, criticados e chamados de radicais, porque os modernos, pregando as facilidades, não condenam o pecado do adultério, prova que os templos estão cheios de pessoas divorciadas em segundo e terceiro casamentos, até nos púlpitos. Também aceitam o homossexualismo como normal, a fornicação é até incentivada por muitos, alegando que se devem conhecer bem antes de se casarem. Os templos estão cheios de pecadores que não pensam em abandonar os pecados, mesmo porque não são confrontados e nem lhes é ensinado que devem se converter a Cristo, porque eles se convertem a uma denominação, a uma religião.
   “Mas tenho-vos dito isto, a fim de que, quando chegar àquela hora, vos lembreis de que já vo-lo tinha dito. E eu não vos disse isto desde o princípio, porque estava convosco.” (João 16:4). Quando falamos em santidade, em conversão, em mudança, em transformação, as pessoas não aceitam e nos chamam de radicais e tolos, porque o que elas aprendem dos seus líderes é que Deus é bonzinho e sempre vai lhes perdoar, e que a preocupação do Senhor é dar alegria e felicidade a todos. Que se a pessoa estiver feliz, então tem o amor de Deus, o que é uma grande mentira. Assim as pessoas não querem abandonar os seus erros e, quando as confrontamos, reagem muitas vezes com violência. Não aceitam a verdade: Cristo exige santificação, abandono de pecado, exige conversão legítima a Ele e não a uma religião ou a um templo. E assim as pessoas, por desconhecerem essa verdade e acreditando em seus líderes, acreditam que estão vivendo a vontade de Deus e até mesmo nos perseguem achando que estão fazendo o certo. Vivemos em um país religioso, um país que se diz cristão, no qual a maioria se identifica como cristão, no qual se fala que quarenta por cento da população é evangélica. Mas o que vemos é o aumento da violência, do roubo, das mortes violentas, dos assassinatos, do adultérios, do homossexualismo, da prostituição, da aprovação do aborto e de tudo que é contrário à Palavra de Deus, porque esses que se dizem cristãos não influenciam o mundo, mas são influenciados pelo mundo, a bem da verdade, o mundo está dentro dos templos que se dizem evangélicos. Jesus nos avisou que isso aconteceria, para que, quando estivesse acontecendo, não nos assustássemos, mas simplesmente soubéssemos que estava se aproximando a sua volta e que deveríamos cada vez mais buscar viver de acordo com o seu Evangelho. “E agora vou para aquele que me enviou; e nenhum de vós me pergunta: Para onde vais? Antes, porque isto vos tenho dito, o vosso coração se encheu de tristeza.” (João 16:5-6). Jesus, falando com os seus discípulos, com seus seguidores, ainda afirmou que eles já tinham um certo conhecimento da verdade, porque Ele estava retornando de onde viera, voltando ao Pai, e ninguém perguntava para onde Ele ia, porque no fundo eles já sabiam disso, mas, mesmo sabendo de tudo o que Ele tinha dito, sabendo que Jesus partiria, que deveria morrer e os deixar, eles, como humanos, ficaram tristes, apesar de saberem que Ele voltaria. Da mesma maneira, nós, como humanos, não queremos que as pessoas que amamos morram, e, quando isso acontece, somos tomados de grande tristeza. Mas Jesus simplesmente passou pela morte e reviveu e vive para sempre, depois de nos ter comprado com seu precioso Sangue. “Todavia digo-vos a verdade, que vos convém que eu vá; porque, se eu não for, o Consolador não virá a vós; mas, quando eu for, vo-lo enviarei. E, quando Ele vier, convencerá o mundo do pecado, e da justiça e do juízo. Do pecado, porque não crêem em mim; Da justiça, porque vou para meu Pai, e não me vereis mais; E do juízo, porque já o príncipe deste mundo está julgado. Ainda tenho muito que vos dizer, mas vós não o podeis suportar agora.” (João 16:7-12).
Leiam e pratiquem a Bíblia. Que Deus os abençoe.
Um abraço,
Pr. Henrique Lino


Se voce está passando por problemas na sua vida espiritual, familiar, profissional, sentimental, com filhos em situação de risco, envolvimento com drogas, ou em processo de separação, divorcio, traído(a) abandonado(a) entre em contato conosco.O Ministério Atalaia do Evangelho de Deus está a sua disposição para aconselhamento, oração, e interseção e orientação, e cobertura espiritual. Visitem nosso site www.atalaiadedeus.com.br - O Ministério Atalaia do Evangelho de Deus tem como objetivo levar a Palavra de Deus. Trabalha voluntariamente com assistência as famílias, para restaurar casamentos e orientação espiritual a todo aquele que necessita de uma Palavra de cura, salvação e libertação. Esse Ministério tem obedecido ao chamado do Senhor, venha fazer parte desse trabalho com sua oração. 

segunda-feira, 24 de setembro de 2018

DE CIDADE EM CIDADE

“E aconteceu, depois disto, que andava de cidade em cidade, e de aldeia em aldeia, pregando e anunciando o Evangelho do Reino de Deus; e os doze iam com Ele.” (Lucas 8:1)

          Jesus foi o primeiro pregador itinerante da Bíblia, isto porque vemos vários pregadores na Bíblia, mais precisamente no Antigo Testamento, mas que ficavam em uma determinada região. Por exemplo, muitos pregavam contra várias nações, mas eles mesmos ficavam em uma cidade somente, como é o caso de Ezequiel, Jeremias, Isaías, tantos outros que geralmente estavam em Israel ou em Judá. Mas Jesus não ficava parado, Ele estava em constante movimento, levando a mensagem, levando o seu Evangelho, viajando por toda parte, tanto para Israel quanto para Samaria, Judá, Jerusalém. Muitos acham que Jesus veio para fazer milagres, que Ele veio para abençoar somente, mas, a bem da verdade, a missão de Jesus foi de nos comprar de volta com o seu Sangue, com a sua vida. Jesus veio para ser preso, crucificado e morto em nosso lugar. Temos que entender que a sua morte na cruz não foi um ato aleatório, não foi algo que aconteceu contra a vontade de Deus Pai. Ao contrário, Jesus veio exatamente para isso, e Ele tinha conhecimento disso. Jesus pregou o Evangelho por toda parte durante aproximadamente três anos, mostrando a todos que o Reino de Deus havia chegado. Ele falava, ensinava a seus discípulos tudo, e nada deixava encoberto, falava até da maneira como seria preso, crucificado, que seria abandonado por todos, inclusive por eles, assim como aconteceu. Jesus ia por toda parte falando das coisas concernentes ao Reino, falava do futuro, da Salvação, de amor, explicava que o Amor do Pai é o que devemos imitar, e não esse sentimento humano corrompido, que dizem ser amor. Temos por base o Amor de Deus por seu Filho Jesus Cristo, que o enviou para sofrer, para ser humilhado, espancado, crucificado e morrer na cruz do Calvário. Jesus amava o povo, a humanidade. Ele se humilhou, se destituiu do seu Poder e veio como um simples mortal disposto a passar por tudo o que o Pai tinha planejado para Ele. Isso é amor, pois se entregou por nós quando não merecíamos nada, a não ser a morte, quando o que merecíamos era o sofrimento eterno, mas o seu Amor nos deu condição de sermos salvos Nele, através Dele, da sua morte sacrificial. Deus, amando o seu Filho, Ele o enviou para sofrer e morrer aqui em nosso lugar, mas o recompensou colocando o seu Nome na mais alta honra, e hoje todos os joelhos se dobram para Ele, tanto no céu como na terra, pois sabem que somente Ele tem Poder.
 “E algumas mulheres que haviam sido curadas de espíritos malignos e de enfermidades: Maria, chamada Madalena, da qual saíram sete demônios.” (Lucas 8:2) Além dos discípulos que andavam com Jesus, mais precisamente os doze, entre eles o ladrão e traidor Judas Iscariotes, havia várias mulheres que eram também discípulas de Jesus. Isto não quer dizer que elas eram pregadoras ou algo semelhante, pois o Senhor não as enviou como pastoras ou pregadoras, só enviou os homens, uma vez que esse ministério é exclusivo dos homens. Hoje as mulheres que se levantam como pastoras, como líderes espirituais, estão simplesmente adulterando a Palavra de Deus, prova tal que, quando Jesus enviou os doze para pregar que o Reino de Deus havia chegado, e dando-lhes poder para operar milagres, Ele não enviou junto nenhuma das mulheres. Quando enviou mais setenta discípulos para pregar, para preparar, avisar em todas as cidades que Ele iria passar, também não enviou nenhuma das mulheres. Mas essas mulheres eram discípulas de Jesus porque procuravam colocar em prática os seus ensinamentos, além de ajudar na organização e sustentar o ministério. Eram mulheres bondosas, caridosas, que mantinham o ministério, sustentavam-no com seus recursos, pois, como Jesus e os seus discípulos viviam em constante movimento pregando o Evangelho, Ele não trabalhava e nem os discípulos para ganharem dinheiro para se sustentar. Os discípulos e Jesus eram sustentados pelo ministério, que, a bem da verdade, era suprido por várias mulheres caridosas, mulheres que tinham sido abençoadas, algumas tinham sido libertas de demônios e de outros males. Elas faziam questão de ajudar, de sustentar, porque sabemos que Jesus não tinha dinheiro, vivia graças ao Maná do Pai, prova tal que sabemos que certa vez cobraram Dele os impostos do templo e nem Ele nem Pedro tinham o dinheiro, mas Ele mandou Pedro pescar e tirar o dinheiro da boca de um peixe para pagar o imposto. Vimos que Jesus não obteve ou desfrutou de nenhum benefício ou regalia, pois Ele pagou até os impostos do templo que os homens consideravam casa do Senhor. Portanto, o ministério das mulheres é organizar, sustentar, zelar pelo ministério, pela igreja, e não pregar, porque Jesus não deu autoridade a nenhuma mulher de pregar para homens. Que elas sejam cuidadosas com a igreja, e, se tiverem condições, ajudem a mantê-la, ou que trabalhem na igreja, e que os homens se dediquem à pregação e ao ensino do Evangelho de Jesus Cristo. Os pastores, os que ensinam a Palavra de Deus, devem viver da própria obra, do ministério, não digo viver no luxo, ou conforto, mas serem mantidos pela igreja, porque não podem abandonar as ovelhas, abandonar a sua missão para irem se dedicar a um trabalho secular. Devemos ser sábios e praticar o Evangelho, e não procurar satisfazer as nossas vontades. “E Joana, mulher de Cuza, procurador de Herodes, e Suzana, e muitas outras que o serviam com seus bens.” (Lucas 8:3).
Leiam e pratiquem a Bíblia. Que Deus os abençoe.
Um abraço,
Pr. Henrique Lino


Se voce está passando por problemas na sua vida espiritual, familiar, profissional, sentimental, com filhos em situação de risco, envolvimento com drogas, ou em processo de separação, divorcio, traído(a) abandonado(a) entre em contato conosco.O Ministério Atalaia do Evangelho de Deus está a sua disposição para aconselhamento, oração, e interseção e orientação, e cobertura espiritual. Visitem nosso site www.atalaiadedeus.com.br - O Ministério Atalaia do Evangelho de Deus tem como objetivo levar a Palavra de Deus. Trabalha voluntariamente com assistência as famílias, para restaurar casamentos e orientação espiritual a todo aquele que necessita de uma Palavra de cura, salvação e libertação. Esse Ministério tem obedecido ao chamado do Senhor, venha fazer parte desse trabalho com sua oração. 

sexta-feira, 21 de setembro de 2018

VENDO JESUS VINDO

“No dia seguinte João viu a Jesus, que vinha para ele, e disse: Eis o Cordeiro de Deus, que tira o pecado do mundo.” (João 1:29)
 

 João Batista foi o preparador do caminho Senhor, aquele que veio antes para avisar que o Senhor, o Messias, estava vindo, aquele que foi escolhido e enviado por Deus para batizar o seu Filho ali nas águas do Jordão. João Batista pregava o arrependimento e chamava todos para deixarem os seus pecados e se renderem ao Senhor. Ele não tinha medo de confrontar e condenar o pecado. Jesus disse que profeta maior do que João Batista não existiria, e esse homem foi morto por condenar o pecado do adultério, pois confrontou o rei Herodes e Herodias, que tinha sido casada com o rei Filipe, irmão de Herodes, e tinha divorciado de Filipe e se casado com Herodes. João Batista quando o via dizia: “não te é lícito possuir a mulher do teu irmão”. Isso irritava Herodias, o que fez com que, no dia do aniversário de Herodes, a sua filha Salomé pedisse a cabeça desse profeta em uma bandeja. João Batista sabia quem era Jesus porque Deus lhe tinha revelado e mostrado quem era. Quando batizou Jesus no Jordão, viu o Espírito Santo vir sobre Ele em forma corpórea de uma pomba, e o Pai do Céu falar: “este é meu Filho amado em quem me comprazo”. Assim foi que vimos o Pai, o Filho e o Espírito Santo, o Pai falando do Céu, o Filho sendo batizado, e o Espírito Santo vindo sobre Ele. João Batista sabia que Jesus tinha vindo para nos resgatar, para morrer em nosso lugar e para levar toda nossa culpa, os nossos pecados. “Este é aquele do qual eu disse: Após mim vem um homem que é antes de mim, porque foi primeiro do que eu. E eu não o conhecia; mas, para que Ele fosse manifestado a Israel, vim eu, por isso, batizando com água.” (João 1:30-31). João Batista testemunhava sobre Jesus e falava que o conhecia somente porque lhe tinha sido revelado, mas, mesmo nunca o tendo visto, sabia quem Ele era e sabia que tinha vindo antes para preparar o caminho e batizar Jesus Cristo, o Filho de Deus. João ainda explica que Jesus é antes dele, isto porque Jesus é autoexistente, sempre existiu e veio à terra, no nosso meio, como homem, e, para que pudéssemos ser libertos, Ele teve que se revestir de carne para nos salvar, nos libertar do jugo do pecado. João Batista foi um homem, um profeta escolhido por Deus para anunciar a vinda de Jesus. Devemos observar que esse primeiro pregador do Novo Testamento iniciou a sua pregação, seu ministério dizendo: “arrependa-se porque há chegado o Reino dos céus”.
 “E João testificou, dizendo: Eu vi o Espírito descer do céu como pomba, e repousar sobre Ele. E eu não o conhecia, mas o que me mandou a batizar com água, esse me disse: Sobre aquele que vires descer o Espírito, e sobre Ele repousar, esse é o que batiza com o Espírito Santo.” (João 1:32-33). Deus tinha enviado João Batista para batizar e tinha lhe dito que sobre quem ele visse o Espírito Santo pousar, saberia que aquele era o Messias, o Filho amado de Deus. Mas antes mesmo de João Batista batizar Jesus e ver esse grande sinal, ele já sabia quem era Jesus, pois ele já tinha dito ao vê-lo: “eis o Cordeiro de Deus que tira o pecado do mundo”. Deus tinha dito que João Batista deveria batizar todos os que viessem a ele, todos os que quisessem com água, mas Jesus seria batizado com o Espírito Santo. E hoje temos Jesus nos batizando com o seu Espírito, claro que Ele só faz isso a quem realmente o busca, quem realmente se aproxima Dele, todos os que se arrependem, pois o ministério terreno de Jesus se iniciou também com a sua pregação dizendo: “arrependa-se, pois há chegado o Reino dos céus.” “E eu vi, e tenho testificado que este é o Filho de Deus. No dia seguinte João estava outra vez ali, e dois dos seus discípulos; E, vendo passar a Jesus, disse: Eis aqui o Cordeiro de Deus. E os dois discípulos ouviram-no dizer isto, e seguiram a Jesus.” (João 1:34-37). João, o autor deste livro, deste Evangelho, não é João Batista, ele é um dos filhos de Zebedeu e foi considerado o discípulo amado. Esse discípulo sempre pregou sobre o amor e morreu quando estava preso na ilha de Patmos. Também foi o escritor do livro de Apocalipse (revelação). Mas, voltando a João Batista, no dia seguinte estava junto a dois dos seus discípulos, e, quando viu Jesus passar, ele disse:“olha o Cordeiro de Deus que tira o pecado do mundo”. João se refere a Jesus como um cordeiro, porque, quando Jesus foi preso e crucificado, foi como um cordeiro, uma vez que não abriu a boca uma vez sequer para reclamar, ou tentar se defender, aceitando todo o castigo, porque sabia que era plano do Pai. Jesus foi o Cordeiro de Deus. Esses discípulos que ouviram João Batista dizer isso resolveram seguir Jesus, e a partir daquele momento não eram mais discípulos de João Batista e sim discípulos de Jesus Cristo, seguidores de Jesus.“E Jesus, voltando-se e vendo que eles o seguiam, disse-lhes: Que buscais? E eles disseram: Rabi (que, traduzido, quer dizer Mestre), onde moras? Ele lhes disse: Vinde, e vede. Foram, e viram onde morava, e ficaram com ele aquele dia; e era já quase a hora décima. Era André, irmão de Simão Pedro, um dos dois que ouviram aquilo de João, e o haviam seguido.” (João 1:38-40). Esses dois foram os primeiros discípulos de Jesus, os primeiros seguidores Dele, mas não são os filhos de Zebedeu, que são Tiago e João, o autor deste livro, deste Evangelho de Jesus Cristo. Quando falamos autor, estamos dizendo somente que foi usado para escrever, pois o Verdadeiro Autor é Jesus, uma vez que toda a Bíblia foi escrita por homens, mas guiados pelo Espírito Santo de Deus. Assim se iniciou o ministério terreno de Jesus Cristo, o Messias, o Filho de Deus. “Este achou primeiro a seu irmão Simão, e disse-lhe: Achamos o Messias (que, traduzido, é o Cristo). E levou-o a Jesus. E, olhando Jesus para ele, disse: Tu és Simão, filho de Jonas; tu serás chamado Cefas (que quer dizer Pedro). No dia seguinte quis Jesus ir à Galiléia, e achou a Filipe, e disse-lhe: Segue-me. E Filipe era de Betsaida, cidade de André e de Pedro.
Filipe achou Natanael, e disse-lhe: Havemos achado aquele de quem Moisés escreveu na lei, e os profetas: Jesus de Nazaré, filho de José.” (João 1:41-45).

Leiam e pratiquem a Bíblia. Que Deus os abençoe.
Um abraço,
Pr. Henrique Lino


Se voce está passando por problemas na sua vida espiritual, familiar, profissional, sentimental, com filhos em situação de risco, envolvimento com drogas, ou em processo de separação, divorcio, traído(a) abandonado(a) entre em contato conosco.O Ministério Atalaia do Evangelho de Deus está a sua disposição para aconselhamento, oração, e interseção e orientação, e cobertura espiritual. Visitem nosso site www.atalaiadedeus.com.br - O Ministério Atalaia do Evangelho de Deus tem como objetivo levar a Palavra de Deus. Trabalha voluntariamente com assistência as famílias, para restaurar casamentos e orientação espiritual a todo aquele que necessita de uma Palavra de cura, salvação e libertação. Esse Ministério tem obedecido ao chamado do Senhor, venha fazer parte desse trabalho com sua oração. 

quinta-feira, 20 de setembro de 2018

COMO PESCAR

“Depois disto manifestou-se Jesus outra vez aos discípulos junto do mar de Tiberíades; e manifestou-se assim: Estavam juntos Simão Pedro, e Tomé, chamado Dídimo, e Natanael, que era de Caná da Galiléia, os filhos de Zebedeu, e outros dois dos seus discípulos.” (João 21:1-2)

         Jesus, após a sua morte na cruz do Calvário, ressuscitou e apareceu treze vezes em um espaço de quarenta dias para várias pessoas. Em uma dessas vezes apareceu para mais de quinhentas pessoas, tudo para mostrar, comprovar, deixar testemunhas de que Ele estava Vivo, que tinha ressuscitado em um corpo glorificado. Na maioria das vezes em que Jesus apareceu, Ele se alimentou com as pessoas, para mostrar-lhes que não era um fantasma, e sim Ele no corpo glorificado, pois todos sabem que fantasma não pode comer nada ou fazer qualquer coisa. Nas vezes em que Jesus apareceu aos seus discípulos, Ele passou-lhes ensinamentos, exortou, admoestou e consolou, além de reafirmar a Promessa de Salvação. Aqui neste relato, depois de Ele já ter falecido e ressuscitado, os discípulos encabeçados por Pedro resolveram ir pescar, talvez até com a intenção de se distrair um pouco, pois estavam tristes com a morte do Senhor. Alguns dos discípulos se juntaram a Pedro e foram pescar – sabemos que Pedro era pescador por profissão. “Disse-lhes Simão Pedro: Vou pescar. Dizem-lhe eles: Também nós vamos contigo. Foram, e subiram logo para o barco, e naquela noite nada apanharam.” (João 21:3). Assim como em uma outra situação, eles passaram a noite no barco tentando pescar algo e nada conseguiram – com certeza, além de tristes, estavam também frustrados, pois não conseguiram pescar nada. Pedro, como um pescador experiente, sabia que isso podia acontecer, uma vez que ele já tinha passado por essa situação várias outras vezes. Mas a tristezas deles era exatamente pela falta do Senhor, pois estavam acostumados a ter a companhia de Jesus, afinal, durante três anos estiveram sempre juntos. Temos que entender, ou melhor, compreender a situação dos discípulos, porque eles, como qualquer ser humano, estavam tristes, porque Jesus tinha partido. Sabiam que Ele estava Vivo, mas não estava vivendo mais com eles fisicamente, e isso era motivo de tristeza, e o Senhor ainda não tinha lhes dado mandamentos. Jesus só os enviou para pregar depois que eles receberam o Espírito Santo, e antes ainda tinha determinado que eles ficassem em Jerusalém até receberem o revestimento.
                 “E, sendo já manhã, Jesus se apresentou na praia, mas os discípulos não conheceram que era Jesus. Disse-lhes, pois, Jesus: Filhos, tendes alguma coisa de comer? Responderam-lhe: Não.” (João 21:4-5). Quando os discípulos estão retornando da pescaria, se deparam com uma pessoa, um homem na praia, mas eles não reconheceram que era Jesus Cristo. Gostaria de aqui fazer um comentário que poucos fazem: Jesus se deixava conhecer a hora que queria e para quem queria, vemos isso várias vezes, por exemplo, quando tentaram pegá-lo no templo e atirá-lo de uma ribanceira e Ele simplesmente escapou entre eles. Também em outras situações, o que foi uma das razões de Judas Iscariotes ter que beijá-lo para que fosse identificado; e depois de ressurreto, quando andou e conversou com dois discípulos que iam para o povoado de Emaús, que não o reconheceram. Agora aqui eles o viram, mas não sabiam que era o Mestre, mesmo Ele perguntando se eles tinham alguma coisa para comer. Os discípulos se aproximam de manhã da praia, com fome, frustrados e sem terem comido nem mesmo o desjejum. Veremos que o Senhor providencia tudo para eles, principalmente lhes dá uma missão para cumprir. “E Ele lhes disse: Lançai a rede para o lado direito do barco, e achareis. Lançaram-na, pois, e já não a podiam tirar, pela multidão dos peixes. Então aquele discípulo, a quem Jesus amava, disse a Pedro: É o Senhor. E, quando Simão Pedro ouviu que era o Senhor, cingiu-se com a túnica (porque estava nu) e lançou-se ao mar.” (João 21:6-7). Quando os discípulos dizem que não têm nada para comer, Jesus lhes manda lançar as redes à direita do barco, e, quando assim fazem, obedecem à ordem, as redes se enchem de peixes. É quando o discípulo amado e autor deste Evangelho percebe que é Jesus. Vimos que eles reconheceram Jesus aqui não pela fisionomia, mas pelo milagre, porque, na mesma hora, onde não existiam peixes, as redes se encheram a tal ponto que estava difícil de tirá-las da água por causa da quantidade de peixes. Quando Pedro ouviu João dizer, afirmar que era Jesus, ele imediatamente pulou nas águas. Isso mostra o temor, o respeito legítimo, porque ele estava com uma espécie de calção típico da época, pois, além de ser muito quente a região, como estava pescando e tinha que entrar nas águas até para liberar a rede, assim ficava mais confortável. Aqui vimos o seu respeito e reverência ao Senhor, pois ele pulou nas águas para se vestir e poder se apresentar ao Senhor vestido dignamente. Fico imaginando hoje as pessoas que vão a templos de bonés, sandálias, de bermudas, de qualquer maneira, o que demonstra que não têm temor e nem respeito pelo Senhor. “E os outros discípulos foram com o barco (porque não estavam distantes da terra senão quase duzentos côvados), levando a rede cheia de peixes. Logo que desceram para terra, viram ali brasas, e um peixe posto em cima, e pão.” (João 21:8-9). Quando os discípulos chegam a terra, percebem que Jesus já tinha providenciado o desjejum, assim como Ele sempre faz conosco, porque constantemente está cuidando da nossa sobrevivência. Jesus é quem nos alimenta e nos dá missão, além de nos exortar. O cuidado do Senhor é real, o seu Maná é real, basta abrir os nossos olhos espirituais, para percebermos. “Disse-lhes Jesus: Trazei dos peixes que agora apanhastes. Simão Pedro subiu e puxou a rede para terra, cheia de cento e cinquenta e três grandes peixes e, sendo tantos, não se rompeu a rede. Disse-lhes Jesus: Vinde, comei. E nenhum dos discípulos ousava perguntar-lhe: Quem és tu? sabendo que era o Senhor. Chegou, pois, Jesus, e tomou o pão, e deu-lhes e, semelhantemente o peixe. E já era a terceira vez que Jesus se manifestava aos seus discípulos, depois de ter ressuscitado dentre os mortos.”(João 21:10-14).
Leiam e pratiquem a Bíblia. Que Deus os abençoe.
Um abraço,
Pr. Henrique, Lino


Se voce está passando por problemas na sua vida espiritual, familiar, profissional, sentimental, com filhos em situação de risco, envolvimento com drogas, ou em processo de separação, divorcio, traído(a) abandonado(a) entre em contato conosco.O Ministério Atalaia do Evangelho de Deus está a sua disposição para aconselhamento, oração, e interseção e orientação, e cobertura espiritual. Visitem nosso site www.atalaiadedeus.com.br - O Ministério Atalaia do Evangelho de Deus tem como objetivo levar a Palavra de Deus. Trabalha voluntariamente com assistência as famílias, para restaurar casamentos e orientação espiritual a todo aquele que necessita de uma Palavra de cura, salvação e libertação. Esse Ministério tem obedecido ao chamado do Senhor, venha fazer parte desse trabalho com sua oração. 

quarta-feira, 19 de setembro de 2018

COMO AMAR

“Se pedirdes alguma coisa em meu Nome, eu o farei. Se me amais, guardai os meus mandamentos.” (João 14:14-15)

         Jesus promete aos obedientes a sua Palavra, que naquilo que eles pedirem serão atendidos. Mas devemos entender esse versículo, pois muitos acham que nele Jesus está prometendo atender a todo e qualquer pedido feito a Deus no seu Nome. A verdade é que Ele explica que atenderá todos os que conhecerem a sua Palavra, os que forem obedientes, o que nos mostra que somente serão atendidos pedidos feitos de acordo com a sua Palavra. Se guardamos os seus mandamentos, sabemos que não podemos pedir qualquer coisa, e todos os nossos pedidos serão sempre de acordo com o que Ele disse; nossos pedidos serão poucos, e muitos serão os nossos agradecimentos e louvor. Guardar os mandamentos é muito mais do que não mentir, roubar ou adulterar, é viver em tempo integral de acordo com os seus ensinamentos, é praticar tudo o que Ele disse que devemos praticar, é mais do que ir a igrejas, templos denominacionais, mais do que dar ofertas e dizimar. Devemos tomar muito cuidado com os nossos pensamentos, pois, se não vigiarmos, eles nos conduzirão para longe do Senhor. Temos que aprender a como adorar o Senhor de acordo com a sua Palavra, seu Evangelho, aprender a separar igreja, templo físico, denominações que podemos ou não frequentar, entender sobre campanhas, comércio dentro dos templos, sobre ofertas, sobre desafios, pois tudo isto, além de não nos aproximar do Senhor, na verdade nos conduz para longe, e todos esses rituais para nada servem, a não ser para nossa própria condenação. “E eu rogarei ao Pai, e Ele vos dará outro Consolador, para que fique convosco para sempre; o Espírito de verdade, que o mundo não pode receber, porque não o vê nem o conhece; mas vós o conheceis, porque habita convosco, e estará em vós.” (João 14:16-17). Jesus deixa bem claro que aqui no mundo nós teremos lutas, batalhas, guerras, por isto Ele nos deixou o Consolador, o Espírito Santo, que nos consola, nos conforta, portanto, sabemos que aqui não é nosso lugar de reinar. O mundo jaz no maligno, aqui somos perseguidos, condenados, afrontados, mas nós estamos com olhos no Autor e Consumador da nossa fé. Sabemos que não podemos pedir qualquer coisa, pois, além de não recebermos, poderemos estar indo contra a Palavra de Deus, portanto, não peçamos nada para o nosso conforto ou prazer pessoal, busquemos em primeiro lugar o Reino de Deus, pois sabemos que as demais coisas serão acrescentadas, e quando pedirmos mais o Senhor em nossas vidas, seremos atendidos, pois estará de acordo com a sua Palavra.
 “Não vos deixarei órfãos; voltarei para vós. Ainda um pouco, e o mundo não me verá mais, mas vós me vereis; porque eu vivo, e vós vivereis. Naquele dia conhecereis que estou em meu Pai, e vós em mim, e eu em vós.”(João 14:18-20). Jesus não nos deixou sós, Ele não nos abandonou, pois continua vivo para todo o sempre, e o seu Espírito Ele dá a quem o busca e lhe obedece, porque somente esses Ele considera como Filhos de Deus Altíssimo. O mundo e todo o resto não conhecem o Senhor, são somente pessoas religiosas ou não, pois o máximo que fazem é citar o Nome do Senhor (que é Santo para sempre Amém.) Jesus prometeu atender os pedidos que forem feitos de acordo com a sua Palavra, e prometeu que os seus não ficarão sós, pois têm o seu Espírito e são consolados por Ele em toda tribulação. O mundo não sabe, não conhece o Espírito Santo, o máximo que fazem é citar o seu Nome, é viver uma emoção passageira, mas não o conhecem verdadeiramente, pois quem o conhece vive no espírito em tempo integral e teme o Senhor. Quem conhece Jesus e lhe obedece sabe que Ele vive em Deus Pai, e que o Deus Pai está em Jesus; sabe que o Espírito Santo está em Jesus, que está no Pai e, portanto, os três são um, e um são três. Sabendo disso, os que lhe obedecem sabem que devem assim proceder porque terão Jesus habitando neles, portanto, os seus pensamentos não são mais os seus, e sim os pensamentos de Deus. Temos Jesus, temos o Espírito Santo, basta aprendermos a nos submeter a Ele e não a uma religião ou a um dogma qualquer, e sim a Jesus Cristo, permitindo que Ele faça morada em nós. “Aquele que tem os meus mandamentos e os guarda esse é o que me ama; e aquele que me ama será amado de meu Pai, e eu o amarei, e me manifestarei a ele.” (João 14:21). Veja que Jesus de maneira clara explica o que Ele entende e recebe com amor, que não são palavras dóceis, ou cantoria, nem muito menos choro, mas o que Ele recebe e entende que é amor é a nossa obediência a Ele. E todos os que respeitam, praticam, obedecem a seus mandamentos, ao seu Evangelho, são aqueles que amam, e quem o ama, obedecendo a seus mandamentos, é amado por Deus Pai, e Jesus também o amará, e eles, tanto o Pai quanto o Filho o amarão e farão nele morada. Isto é Jesus, Deus Pai, o Espírito Santo mora, reside em quem pratica a sua Palavra, e estes saberão o que pedir, e o que pedir receberão, para que o Pai seja glorificado no Filho.“Disse-lhe Judas (não o Iscariotes): Senhor, de onde vem que te hás de manifestar a nós, e não ao mundo? Jesus respondeu, e disse-lhe: Se alguém me ama, guardará a minha palavra, e meu Pai o amará, e viremos para ele, e faremos nele morada. Quem não me ama não guarda as minhas palavras; ora, a palavra que ouvistes não é minha, mas do Pai que me enviou. Tenho-vos dito isto, estando convosco. Mas aquele Consolador, o Espírito Santo, que o Pai enviará em meu nome, esse vos ensinará todas as coisas, e vos fará lembrar de tudo quanto vos tenho dito. Deixo-vos a paz, a minha paz vos dou; não vo-la dou como o mundo a dá. Não se turbe o vosso coração, nem se atemorize.” (João 14:22-27).
Leiam e pratiquem a Bíblia. Que Deus os abençoe.
Um abraço,
Pr. Henrique Lino 

Se voce está passando por problemas na sua vida espiritual, familiar, profissional, sentimental, com filhos em situação de risco, envolvimento com drogas, ou em processo de separação, divorcio, traído(a) abandonado(a) entre em contato conosco.O Ministério Atalaia do Evangelho de Deus está a sua disposição para aconselhamento, oração, e interseção e orientação, e cobertura espiritual. Visitem nosso site www.atalaiadedeus.com.br - O Ministério Atalaia do Evangelho de Deus tem como objetivo levar a Palavra de Deus. Trabalha voluntariamente com assistência as famílias, para restaurar casamentos e orientação espiritual a todo aquele que necessita de uma Palavra de cura, salvação e libertação. Esse Ministério tem obedecido ao chamado do Senhor, venha fazer parte desse trabalho com sua oração. 

terça-feira, 18 de setembro de 2018

ERA DEUS.

“No princípio era o Verbo, e o Verbo estava com Deus, e o Verbo era Deus. Ele estava no princípio com Deus.” (João 1:1-2)

         As pessoas falam muito, citam o Nome do Senhor Jesus Cristo (que é Santo para sempre Amém), mas sem terem noção da seriedade do que estão falando. Na verdade, muitos usam o Nome do Senhor em vão por total desconhecimento da verdade, muitos chegam ao ponto de imaginar que Jesus é um amiguinho, que podem falar com Ele como quiserem e a hora que bem entenderem. Na verdade, estão chegando ao ponto de vulgarizarem o Nome do Senhor, isto porque imaginam que é somente um nome qualquer, mas não param para pensar que estão falando do próprio Deus, do Criador de tudo. Temos que compreender que Jesus Cristo não é um amiguinho particular de ninguém, e muito menos um servo, um empregado que está à disposição de todos para atender a seus pedidos insanos. Vemos pessoas fazerem todos os tipos de pedidos sem parar, analisar se estão ou não de acordo com a Palavra Dele, e isto é que banaliza cada vez mais o Evangelho de Jesus Cristo. Vemos pregadores, supostos pastores às raias da loucura desafiarem Deus, exigirem, obrigarem Deus a atender a seus pedidos; outros dizem que colocam o Senhor na parede. Na verdade são todos loucos os que assim procedem, porque, a bem da verdade, nós somos uns miseráveis pecadores que só podemos ser salvos em Jesus Cristo. Ele derramou seu Sangue carmesim, derramou a sua vida para que nós pudéssemos ter vida, mas só conseguiremos ter essa vida se nos submetermos a Ele. A salvação está disponível a todos os que querem, aos que a buscam de acordo com a Palavra, porque Jesus é a própria Palavra, o Verbo, e hoje o temos na Palavra, se ouvirmos, se praticarmos a sua Palavra, então o teremos. “Todas as coisas foram feitas por Ele, e sem Ele nada do que foi feito se fez.” (João 1:3). Jesus é Deus, e tudo foi criado, formado por Ele, assim sabemos que, se não nos submetermos a Ele, seremos derrotados, destruídos, por irmos contrários ao único que tem todo o Poder. A Palavra, o Verbo se fez carne, quer dizer, que a Palavra se revestiu de carne, a Palavra se apresentou em um formato de simples ser Humano, a Palavra veio na fraqueza da carne, para nos mostrar, ensinar que podemos vencer estando Nele, porque Ele venceu, e hoje tudo, absolutamente tudo se submete a Ele, e todos os joelhos nos céus e na terra se curvam diante Dele. Devemos sempre parar e analisar quem é Jesus, antes de fazermos pedidos tolos, ou de ficarmos citando o seu Nome em vão, ou de associarmos o seu Nome com o que é errado e pecado, pois por isto podemos receber um duro e terrível castigo.
 “Nele estava a vida, e a vida era a luz dos homens. E a luz resplandece nas trevas, e as trevas não a compreenderam.”(João 1:4-5). Quando fala que a vida estava Nele, quer dizer, primeiramente, que foi Ele quem nos criou, nos formou do pó da terra e soprou nas narinas de Adão o sopro de vida, e assim o primeiro homem teve vida. A partir daí veio toda a raça humana, mas essa geração se corrompeu, se perdeu através do pecado de Eva, cuja responsabilidade era de Adão, e assim entrou a morte no mundo, entrou o pecado, porque o inimigo das nossas almas enganou a primeira mulher, e o primeiro homem nada disse, nada falou, portanto, tornou-se o responsável. Mas Deus, na sua infinita misericórdia, vendo que a raça humana não teria salvação, que todos iriam padecer, sofrer por toda a eternidade, enviou o seu Filho unigênito, para que ocupasse o nosso lugar, para que morresse em nosso lugar. Assim a vida estava Nele, uma vez que Ele é a própria vida que iluminou, que clareou, que expulsou as trevas, porque, quando a luz chega, as trevas se dissipam, ou acabam. Jesus chegou trazendo vida, nos comprando, e a partir daí todos os que querem ter vida podem ir a Ele que a obterão. Devemos compreender que ir a Ele não é só orar, e sim essencialmente se submeter a Ele, se curvar diante Dele, aceitar que Ele dirija as nossas vidas. Mas o pecado que dominava o mundo fez com que as pessoas que deveriam conhecer, saber quem Ele era não o reconhecessem, pois estavam em trevas, e assim exigiram a sua morte, mas o que não sabiam é que Deus Pai tudo sabia e já há muito previra isso, e então se cumpriu a sua Palavra e as profecias.“Houve um homem enviado de Deus, cujo nome era João. Este veio para testemunho, para que testificasse da Luz, para que todos cressem por ele. Não era ele a luz, mas para que testificasse da Luz.”(João 1:6-8). Deus Pai tudo preparou, inclusive enviou João Batista, um profeta, para alertar o povo sobre a vinda do seu Filho, sobre a vinda de Deus, sobre a vinda da Vida. João Batista foi enviado por Deus para preparar o caminho do Senhor, aquele que batizou Jesus no rio Jordão, nos mostrando como deveríamos proceder, aquele que condenou o pecado, mostrando que o Reino estava chegando e que, para entrarmos Nele, deveríamos nos arrepender e nascer de novo, abandonar o pecado. João Batista pregava e trazia o batismo do arrependimento, para que as pessoas pudessem caminhar na Luz, porque somente assim poderemos ver tudo, uma vez que as trevas nos impedem de vermos alguma coisa, e, por não enxergarmos, caímos num buraco que não tem fim. Jesus disse que profeta maior do que João Batista não existiu. Esse homem morreu, foi assassinado por condenar o pecado do adultério, foi o primeiro mártir do Novo Testamento, esse homem, esse profeta, foi enviado para anunciar a entrada, a vinda da verdadeira Luz, que é Jesus Cristo, o Filho de Deus, o Verbo, a Palavra. “Ali estava a luz verdadeira, que ilumina a todo o homem que vem ao mundo. Estava no mundo, e o mundo foi feito por Ele, e o mundo não o conheceu. Veio para o que era seu, e os seus não o receberam. Mas, a todos quantos o receberam, deu-lhes o poder de serem feitos filhos de Deus, aos que creem no seu Nome; Os quais não nasceram do sangue, nem da vontade da carne, nem da vontade do homem, mas de Deus. E o Verbo se fez carne, e habitou entre nós, e vimos a sua Glória, como a Glória do unigênito do Pai, cheio de graça e de verdade.”(João 1:9-14).
Leiam e pratiquem a Bíblia. Que Deus os abençoe.
Um abraço,
Pr. Henrique Lino


Se voce está passando por problemas na sua vida espiritual, familiar, profissional, sentimental, com filhos em situação de risco, envolvimento com drogas, ou em processo de separação, divorcio, traído(a) abandonado(a) entre em contato conosco.O Ministério Atalaia do Evangelho de Deus está a sua disposição para aconselhamento, oração, e interseção e orientação, e cobertura espiritual. Visitem nosso site www.atalaiadedeus.com.br - O Ministério Atalaia do Evangelho de Deus tem como objetivo levar a Palavra de Deus. Trabalha voluntariamente com assistência as famílias, para restaurar casamentos e orientação espiritual a todo aquele que necessita de uma Palavra de cura, salvação e libertação. Esse Ministério tem obedecido ao chamado do Senhor, venha fazer parte desse trabalho com sua oração. 

segunda-feira, 17 de setembro de 2018

INSISTINDO

Jesus, porém, foi para o Monte das Oliveiras. E pela manhã cedo tornou para o templo, e todo o povo vinha ter com Ele, e, assentando-se, os ensinava.” (João 8:1-2)

         Como sempre faço questão de frisar, Jesus não veio ao mundo só para fazer milagres, não veio só para curar os enfermos, mas sim para trazer o Evangelho. Mesmo porque Ele é o Evangelho, Jesus veio ao mundo para nos resgatar da maldição da lei, para nos libertar do pecado, dando-nos a oportunidade de sermos salvos Nele. Assim Ele iniciou o seu Ministério pregando, ensinando o seu Evangelho, e durante aproximadamente três anos do seu Ministério terreno, Ele esteva sempre pregando, sempre ensinando, na verdade tudo o que Ele fez foi para nos trazer ensinamentos. Esse trecho mostra um momento em que Jesus se dirige ao monte das oliveiras para passar a noite, porque isto já era uma prática Dele. Todas as vezes em que Ele estava ali em Jerusalém, ia passar as noites no horto, e pela manhã retornava ao templo onde ensinava e pregava o seu Evangelho. Ao contrário do que muitos imaginam, ou falam, Jesus viveu três anos aproximadamente do seu ministério peregrinando entre as cidades, sempre ensinando o Evangelho. Ele não tinha morada certa, dormia nos hortos, ou então na casa de alguém, como Pedro, ou na de Maria e Marta. Ele não tinha patrimônio material, não tinha casa, não tinha uma residência física, alimentava-se nas casas onde era convidado, e assim foi seu ministério até o dia em que foi preso. “E os escribas e fariseus trouxeram-lhe uma mulher apanhada em adultério; e, pondo-a no meio, disseram-lhe: Mestre, esta mulher foi apanhada, no próprio ato, adulterando.” (João 8:3-4) Jesus estava sentado pregando o Evangelho, ensinando a Palavra de Deus. Isso me lembra as pessoas que criticam se um pregador se senta e prega sentado. Elas acham que é uma ofensa, mas porque desconhecem o Evangelho de Jesus Cristo, desconhecem a liberdade que há Nele. Os fariseus, os religiosos, os mestres da lei, os copiadores das Escrituras vieram até Jesus trazendo uma mulher que tinha sido pega adulterando, traindo o seu marido. Mas eles a trouxeram com a intenção de fazer Jesus falar contra a lei de Moisés, queriam fazê-lo se contradizer. Na verdade, era uma armadilha, uma cilada para o pegar, mesmo porque a lei de Moisés dizia que, quando um homem ou uma mulher fosse pego em adultério, deveriam os dois – e não só um – ser apedrejados até a morte, e eles, os fariseus, esses hipócritas, trouxeram somente a mulher. Eles vieram com adulação, chamando Jesus de Mestre, mas com a intenção de pegá-lo, de matá-lo, por isto devemos sempre estar em alerta quando as pessoas usam de adulações.
          “E na lei nos mandou Moisés que as tais sejam apedrejadas. Tu, pois, que dizes? Isto diziam eles, tentando-o, para que tivessem de que o acusar. Mas Jesus, inclinando-se, escrevia com o dedo na terra.” (João 8:5-6) Esses religiosos citam a lei, mas simplesmente com a intenção de Jesus dizer que não poderiam matar a mulher, porque, se assim fosse, estaria indo contra a lei de Moisés e teriam pretexto para o acusá-lo. Mas Jesus sentado estava, sentado ficou e simplesmente começou a escrever na areia com o dedo. Não sabemos o que Ele estava escrevendo, mas o fato é que não se alarmou, pois sabia e conhecia os corações daqueles homens. Esses religiosos agiram como muitos pregadores ou religiosos da nossa atualidade, que suprimem versículos da Bíblia, ou utilizam somente parte de algum para justificarem as suas teorias e os seus ensinos apóstatas. Assim como esses que trouxeram somente a mulher e não trouxeram o homem, pregadores criam teorias loucas usando versículos aleatórios, para justificarem o comércio, a extorsão nos templos. Os incautos, os que não conhecem a verdade, os que vivem de emoção caem nessa, pois não são seguidores de Jesus, mas de uma denominação qualquer. Jesus tinha conhecimento de que eles estavam tentando armar ciladas para Ele, mas ficou tranquilo e mostrou qual era a vontade de Deus. “E, como insistissem, perguntando-lhe, endireitou-se e disse-lhes: Aquele que de entre vós está sem pecado seja o primeiro que atire pedra contra ela.” (João 8:7). Jesus sentado estava, sentado permaneceu, e não deu muita confiança para eles, mas como eles continuavam insistindo sobre o assunto, Jesus lhes responde de maneira direta, dizendo que aqueles que não tinham pecados que iniciassem o apedrejamento. A única coisa que Jesus fez foi se endireitar, ou seja, levantar a cabeça. E falando isso voltou a baixar a cabeça e continuar a escrever, portanto Ele, com a sua fala, transferiu a responsabilidade para eles mesmos, porque, se eles a matassem, a apedrejassem, estariam confessando que eram homens sem pecados, o que todos sabiam que não eram, uma vez que a própria lei mostrava que todos estavam debaixo do pecado. Jesus com essa resposta não foi contra a lei de Moisés e ainda mostrou qual era vontade de Deus Pai. Mostrou o poder do perdão e o reconhecimento de nós, seres humanos, como pecadores. “E, tornando a inclinar-se, escrevia na terra. Quando ouviram isto, redarguidos da consciência, saíram um a um, a começar pelos mais velhos até aos últimos; ficou só Jesus e a mulher que estava no meio.” (8:8-9). Quando ouviram essa resposta, eles começaram a sair de fininho, todos, logo depois não havia mais ninguém, somente a mulher. Vimos que esses hipócritas covardes, esses religiosos, ao não conseguirem o seu intento, saíram cabisbaixos, sabendo que não tinham conseguido obter sucesso na sua empreitada. Assim nós tivemos uma grande lição sobre o perdão, e o mesmo Jesus continua nos dizendo: “vais e não peques mais”. “E, endireitando-se Jesus, e não vendo ninguém mais do que a mulher, disse-lhe: Mulher, onde estão aqueles teus acusadores? Ninguém te condenou? E ela disse: Ninguém, Senhor. E disse-lhe Jesus: Nem eu também te condeno; vai-te, e não peques mais.” (João 8:10-11). 
Leiam e pratiquem a Bíblia. Que Deus os abençoe.
Um abraço,
Pr. Henrique Lino 


Se voce está passando por problemas na sua vida espiritual, familiar, profissional, sentimental, com filhos em situação de risco, envolvimento com drogas, ou em processo de separação, divorcio, traído(a) abandonado(a) entre em contato conosco.O Ministério Atalaia do Evangelho de Deus está a sua disposição para aconselhamento, oração, e interseção e orientação, e cobertura espiritual. Visitem nosso site www.atalaiadedeus.com.br - O Ministério Atalaia do Evangelho de Deus tem como objetivo levar a Palavra de Deus. Trabalha voluntariamente com assistência as famílias, para restaurar casamentos e orientação espiritual a todo aquele que necessita de uma Palavra de cura, salvação e libertação. Esse Ministério tem obedecido ao chamado do Senhor, venha fazer parte desse trabalho com sua oração. 

sexta-feira, 14 de setembro de 2018

UM DECRETO

“E aconteceu naqueles dias que saiu um decreto da parte de César Augusto, para que todo o mundo se alistasse (Este primeiro alistamento foi feito sendo Quirino presidente da Síria). E todos iam alistar-se, cada um à sua própria cidade.” (Lucas 2:1-3)

          Na época em que Roma dominava sobre Israel e toda aquela região, foi então determinado por César um recenseamento, isto é, uma contagem de todos para saber qual a quantidade de pessoas de cada região, além de sexo e idade. Quando esse recenseamento aconteceu, o presidente da Síria era Quirino, que tinha a fama de ser um homem duro, enérgico. O alistamento, ou censo, era feito assim: cada pessoa tinha que se dirigir a sua cidade, pois só podia participar dessa contagem em seu local de nascimento. Devemos observar que tudo tinha o controle de Deus, pois, como sabemos, já tinham sido revelados pelos profetas o nascimento de Jesus, do Messias, o local onde nasceria, como nasceria, e quem seria a sua mãe, e de qual tribo Ele descenderia. Então tudo foi providência do Senhor, para que tudo acontecesse de acordo com o seu plano. “E subiu também José da Galiléia, da cidade de Nazaré, à Judéia, à cidade de Davi, chamada Belém (porque era da casa e família de Davi), A fim de alistar-se com Maria, sua esposa, que estava grávida.” (Lucas 2:4-5). José, o marido de Maria, era de Belém, por isto teve que subir para lá para participar do alistamento, ou recenseamento, uma vez que ele se encontrava com Maria em Nazaré, na Galiléia, portanto teve que ir a Belém para cumprir a determinação de César. Maria, que já se encontrava grávida, o acompanhou, ou foram juntos, e, como eu disse, tudo foi providência do Senhor, porque a Palavra de Deus já tinha dito que o Messias nasceria em Belém. “E tu, Belém Efrata, posto que pequena entre os milhares de Judá, de ti me sairá o que governará em Israel, e cujas saídas são desde os tempos antigos, desde os dias da eternidade. Portanto os entregará até ao tempo em que a que está de parto tiver dado à luz; então o restante de seus irmãos voltará aos filhos de Israel.” (Miquéias 5:2). A Palavra de Deus se cumpriu e sempre se cumpre, pois Ele é a verdade, assim como a sua vida, perseguição e morte já estavam reveladas há muitos anos antes de Ele vir. As pessoas por ignorância, por desconhecerem as Escrituras, não reconheceram Jesus como o Messias, como o Filho de Deus, pois tudo já estava revelado. Assim também como as respostas para tudo em nossas vidas já estão reveladas, basta meditarmos na sua Palavra e então saberemos que decisão tomar.
         “E aconteceu que, estando eles ali, se cumpriram os dias em que ela havia de dar à luz. E deu à luz a seu filho primogênito, e envolveu-o em panos, e deitou-o numa manjedoura, porque não havia lugar para eles na estalagem.” (Lucas 2:6-7). Quando José estava em Belém, venceu o tempo, que acreditamos serem os nove meses de gestação de Maria, e o menino Jesus nasceu. Observamos que Jesus nasceu, ou melhor, Maria deu à luz sozinha com José, sem ajuda nem mesmo de uma parteira. Tudo aconteceu como estava previsto nas Escrituras, porque, quando José chegou a Belém, como a cidade estava cheia de pessoas que tinham vindo de toda parte para o recenseamento, as hospedarias, pensões estavam todas cheias, e não tiveram como se hospedar, por isto o único lugar que conseguiram foi um lugar para guardar animais, uma espécie de curral, onde passaram a noite, e foi lá que Maria deu à luz a Jesus. Quando o menino nasceu, ela o envolveu em panos e o colocou em uma manjedoura, que é uma espécie de coxo, lugar de colocar alimento para os animais. Portanto, vemos que Jesus, apesar de ser o Filho de Deus, não nasceu em uma mansão ou palácio, nem teve berço sofisticado, mas sim um coxo onde os animais se alimentavam. Temos que compreender o plano de Deus, pois as pessoas acham que riqueza é bênção de Deus, mas o que compreendemos é que, se Deus quisesse, Jesus teria nascido em um rico lar, mas, desde o seu nascimento, Ele quis nos mostrar o que é humildade, e principalmente ensinar que devemos nos preocupar primeiramente com as coisas do Reino de Deus. “Ora, havia naquela mesma comarca pastores que estavam no campo, e guardavam, durante as vigílias da noite, o seu rebanho. E eis que o anjo do Senhor veio sobre eles, e a glória do Senhor os cercou de resplendor, e tiveram grande temor. E o anjo lhes disse: Não temais, porque eis aqui vos trago novas de grande alegria, que será para todo o povo: Pois, na cidade de Davi, vos nasceu hoje o Salvador, que é Cristo, o Senhor. E isto vos será por sinal: Achareis o menino envolto em panos, e deitado numa manjedoura. E, no mesmo instante, apareceu com o anjo uma multidão dos exércitos celestiais, louvando a Deus, e dizendo: Glória a Deus nas alturas, Paz na terra, boa vontade para com os homens.” (Lucas 2:8-14). Deus estava preocupado com a adoração – e vemos que Ele mesmo já tinha preparado os adoradores para o seu Filho – , e quando Jesus nasceu um exército de anjos celestiais vieram adorá-lo, além de trazer as Boas Novas e comunicar aos pastores, aos tomadores de conta de ovelhas que o Menino Jesus tinha nascido, que a promessa tinha se cumprido. A Promessa se cumpriu. Jesus nasceu em nosso meio e é motivo de alegrar-nos, pois há mais de dois mil anos isso aconteceu, e Ele permanece vivo para sempre e exigindo de nós respeito, temor e adoração verdadeira. “E aconteceu que, ausentando-se deles os anjos para o céu, disseram os pastores uns aos outros: Vamos, pois, até Belém, e vejamos isso que aconteceu, e que o Senhor nos fez saber. E foram apressadamente, e acharam Maria, e José, e o menino deitado na manjedoura. E, vendo-o, divulgaram a palavra que acerca do menino lhes fora dita; e todos os que a ouviram se maravilharam do que os pastores lhes diziam. Mas Maria guardava todas estas coisas, conferindo-as em seu coração. E voltaram os pastores, glorificando e louvando a Deus por tudo o que tinham ouvido e visto, como lhes havia sido dito.” (Lucas 2:15-20).
Leiam e pratiquem a Bíblia. Que Deus os abençoe.
Um abraço,
Pr. Henrique Lino


Se voce está passando por problemas na sua vida espiritual, familiar, profissional, sentimental, com filhos em situação de risco, envolvimento com drogas, ou em processo de separação, divorcio, traído(a) abandonado(a) entre em contato conosco.O Ministério Atalaia do Evangelho de Deus está a sua disposição para aconselhamento, oração, e interseção e orientação, e cobertura espiritual. Visitem nosso site www.atalaiadedeus.com.br - O Ministério Atalaia do Evangelho de Deus tem como objetivo levar a Palavra de Deus. Trabalha voluntariamente com assistência as famílias, para restaurar casamentos e orientação espiritual a todo aquele que necessita de uma Palavra de cura, salvação e libertação. Esse Ministério tem obedecido ao chamado do Senhor, venha fazer parte desse trabalho com sua oração. 

quinta-feira, 13 de setembro de 2018

PESCANDO

“E aconteceu que, apertando-o a multidão, para ouvir a Palavra de Deus, estava Ele junto ao lago de Genesaré; e viu estar dois barcos junto à praia do lago; e os pescadores, havendo descido deles, estavam lavando as redes.” (Lucas 5:1-2)

          Quando Jesus estava andando ou pregando, sempre havia uma multidão de pessoas que o cercavam com o objetivo de ouvi-lo, de aprender mais sobre a Palavra de Deus. É evidente que nem sempre todos os que estavam ali queriam aprender, conhecer a vontade de Deus, porque no meio havia os religiosos com o intuito de pegá-lo em alguma contradição, ou de lhe armar ciladas, armadilhas, para o pegarem. Também havia os que estavam ali simplesmente à espera de um milagre, querendo uma bênção somente para si, e outros, os curiosos, que queriam ver algum milagre, algum sinal, além dos que queriam levantá-lo com rei físico de Israel. Mas aqui a nossa atenção está toda voltada para as pessoas que estavam ali para ouvir a Palavra de Deus, e era uma multidão trazendo desconforto e impossibilitando Jesus de olhar e pregar para todos de maneira clara. Foi quando Ele observou dois barcos junto ao lago, então resolveu fazer uso de um para que de dentro dele, ali nas águas, Ele pudesse pregar livremente. Jesus entra em um dos barcos, que era de Pedro, e pede que o afaste um pouco da terra, e de lá então prega a Poderosa Palavra de Deus a todos os ouvintes que estavam ali às margens do lago. “E, entrando num dos barcos, que era o de Simão, pediu-lhe que o afastasse um pouco da terra; e, assentando-se, ensinava do barco a multidão. E, quando acabou de falar, disse a Simão: Faze-te ao mar alto, e lançai as vossas redes para pescar.” (Lucas 5:3-4). Jesus, após pregar, ensinar o Evangelho, vira para Pedro Simão, que era o dono do barco, e fala para ele adentrar o mar e lançar as redes para pescar. Temos que observar que Jesus ainda estava ensinando, como tudo o que Ele fez foi para nos dar ensinamentos, sabemos que Pedro era um pescador profissional que entendia tudo sobre pesca, e quando Jesus o viu, ele estava junto com outros lavando as redes depois de uma noite que passou pescando. Vamos descobrir que foi uma noite infrutífera, mas o seu amanhecer estava sendo muito produtivo, pois começou sendo usado para dar condições ao Senhor Jesus de pregar, de ensinar o seu Evangelho, e agora veremos que Ele também terá um grande ensinamento, pois Cristo se revela para ele.
         “E, respondendo Simão, disse-lhe: Mestre, havendo trabalhado toda a noite, nada apanhamos; mas, sobre a tua Palavra, lançarei a rede.” (Lucas 5:5). Quando Jesus manda ele se afastar e lançar as redes, Pedro primeiro reconhece que Jesus é o Mestre, e depois confessa o seu fracasso como pescador aquela noite, pois não tinha conseguido pescar nada, portanto, quando o Senhor o chamou e entrou em seu barco, ele estava lavando as redes, triste e desiludido com o seu fracasso. Também temos que observar que Pedro, sendo um pescador profissional, tinha tentado toda a noite e não tinha pescado nada, e agora o Senhor manda-lhe jogar as redes, e ele diz que sabe que ali não há peixes, não há nada, mas sob a Palavra de Jesus ele jogará as redes novamente. Aqui vemos a fé e, principalmente, a obediência de Pedro, pois diz que jogará porque o Senhor mandou. Pedro era um homem obediente, por isto ele foi um dos discípulos mais falados, comentados, citados. Pedro poderia ter dito que não iria jogar as redes, pois, como pescador, ele sabia que não havia peixes, mas ele simplesmente obedeceu e ainda disse que estava jogando as redes porque o Senhor mandara. “E, fazendo assim, colheram uma grande quantidade de peixes, e rompia-se-lhes rede. E fizeram sinal aos companheiros que estavam no outro barco, para que os fossem ajudar. E foram, e encheram ambos os barcos, de maneira tal que quase iam a pique.” (Lucas 5:6-7). Assim que jogou as redes onde antes não havia nenhum peixe, a rede veio cheia, transbordando de peixes, por isto estava a ponto de romper, de rebentar de tantos peixes. Vemos novamente o milagre, porque, apesar de cheias, as redes não estouraram, e assim Pedro chamou os seus colegas para irem ajudar a apanhar a grande quantidade de peixes, pois, possivelmente, se só usasse o seu barco, este tombaria. A quantidade de peixes foi tão grande que deu para encher os dois barcos, e ficaram lotados, tanto que quase afundaram. Então os pescadores e todos viram o grande milagre, pois onde não existia peixes agora havia em grande quantidade. “E vendo isto Simão Pedro, prostrou-se aos pés de Jesus, dizendo: Senhor, ausenta-te de mim, que sou um homem pecador.” (Lucas 5:8). Pedro, quando viu aquilo, reconheceu o Senhor como o Messias, como Ele realmente era, e, sabendo que era pecador, pediu que Jesus se afastasse dele. Todos nós, seres humanos, somos pecadores, mesmo porque a nossa origem adâmica nos transforma em seres pecadores, e só somos salvos quando reconhecemos que Jesus é o Filho de Deus, nosso Salvador, e que devemos ir a Ele pedir perdão. Só assim poderemos ser salvos pela sua Graça, pelo seu infinito amor. Pedro pediu que Jesus se afaste dele, pois sabia que era um pecador, mas o Senhor veio para nós, os pecadores arrependidos, Jesus veio para nos salvar. Pedro, a partir daquele momento, deixou de ser um simples pescador e passou a ser pescador de homens. “Pois que o espanto se apoderara dele, e de todos os que com ele estavam, por causa da pesca de peixe que haviam feito. E, de igual modo, também de Tiago e João, filhos de Zebedeu, que eram companheiros de Simão. E disse Jesus a Simão: Não temas; de agora em diante serás pescador de homens. E, levando os barcos para terra, deixaram tudo, e o seguiram.” (Lucas 5:9-11).
Leiam e pratiquem a Bíblia. Que Deus os abençoe.
Um abraço,
Pr. Henrique Lino

Se voce está passando por problemas na sua vida espiritual, familiar, profissional, sentimental, com filhos em situação de risco, envolvimento com drogas, ou em processo de separação, divorcio, traído(a) abandonado(a) entre em contato conosco.O Ministério Atalaia do Evangelho de Deus está a sua disposição para aconselhamento, oração, e interseção e orientação, e cobertura espiritual. Visitem nosso site www.atalaiadedeus.com.br - O Ministério Atalaia do Evangelho de Deus tem como objetivo levar a Palavra de Deus. Trabalha voluntariamente com assistência as famílias, para restaurar casamentos e orientação espiritual a todo aquele que necessita de uma Palavra de cura, salvação e libertação. Esse Ministério tem obedecido ao chamado do Senhor, venha fazer parte desse trabalho com sua oração. 

quarta-feira, 12 de setembro de 2018

ELE APARECECEU

“E falando eles destas coisas, o mesmo Jesus se apresentou no meio deles, e disse-lhes: Paz seja convosco.” (Lucas 24:36)

          Jesus tinha sido preso, humilhado, crucificado, tinha sofrido e morrido ali na cruz do Calvário, e ao terceiro dia Ele ressuscitou. Já tinha aparecido para as mulheres quando elas foram ao sepulcro. Já tinha, inclusive, conversado com elas, mas, quando elas contaram, relataram isto para os discípulos, eles não acreditaram. Mas, mesmo assim, João e Pedro saíram correndo e foram ao sepulcro para constatar o fato, e encontraram o sepulcro vazio. Somente o lençol que cobria Jesus lá estava, assim como o lenço que tinha sido posto sobre a sua cabeça, como era costume do povo, principalmente naquela época. O fato interessante é que o lençol simplesmente tinha sido esvaziado, e não desenrolado, era como se simplesmente tivesse murchado, mas mesmo assim eles não creram por inteiro. Jesus também já tinha aparecido a dois seguidores que estavam a caminho de Emaús e conversado com eles, explicou as Escrituras e desapareceu quando eles foram partir o pão, e eles voltaram correndo para avisar aos outros. Mesmo assim a incredulidade, a dúvida pairava sobre eles, pois não creram, não acreditaram na Palavra do Senhor, porque, quando Jesus estava com eles, tinha avisado que isso iria acontecer. Ainda estavam discutindo sobre isso, se era verdade ou não, quando Jesus apareceu no meio deles e os saudou, trazendo a paz. “E eles, espantados e atemorizados, pensavam que viam algum espírito. E ele lhes disse: Por que estais perturbados, e por que sobem tais pensamentos aos vossos corações?” (Lucas 24:37-38). Quando Jesus aparece para eles, a dúvida, a descrença ainda pairava sobre eles, pois não queriam acreditar que era o Senhor ressurreto, não queriam acreditar que era Jesus, apesar de Jesus ter muito antes dito tudo o que aconteceria, ter explicado de maneira detalhada que seria morto, mas que ressuscitaria. Os discípulos tiveram dificuldade em crer, tiveram dificuldade em acreditar no que Jesus falou antes da sua morte, tiveram dificuldade para acreditar quando as mulheres e os outros discípulos o tinham visto ressurreto, tiveram dificuldade para crer quando Jesus se apresentou no meio deles saudando com a paz. Por isto foi necessário o Senhor chamar a atenção deles, pois estavam acreditando até em espíritos, mas não estavam acreditando em Jesus, por isto, após a saudação, Jesus começa a exortá-los, pois era para terem mais fé, crerem Nele, e isso não estava acontecendo.
         “Vede as minhas mãos e os meus pés, que sou eu mesmo; apalpai-me e vede, pois, um espírito não tem carne nem ossos, como vedes que eu tenho. E, dizendo isto, mostrou-lhes as mãos e os pés.” (Lucas 24:39-40). Jesus ainda mostra para eles as suas mãos, mostra os seus pés, que estavam com os furos, as marcas dos cravos que o pregaram na cruz. Inclusive isso serve para esclarecer a dúvida, pois muito chegam a comentar ou pensar que os pregos, cravos foram colocados em seus pulsos e não nas suas mãos, e aqui fica bem claro, pois o próprio Senhor manda olhar as suas mãos. Jesus chama a atenção dos discípulos mostrando que Ele não era somente um espírito, porque espírito não tem carne e nem ossos, mas Ele estava no corpo glorificado, e, portanto, tinha tudo isso. Quando Jesus ressuscitou, não foi só em espírito, mas em corpo também, só que o corpo passou por transformação, agora é um corpo glorificado, e todos nós também o teremos, pois todos os que forem ressuscitados também terão um corpo glorificado semelhante ao de Jesus, e os que estiverem vivos na sua volta subirão com os corpos, ou seja, com a carne, que também passará por transformação, para o corpo ser glorificado. O corpo glorificado é algo tão formidável, tão difícil de entendermos porque, apesar de poder passar por paredes fechadas, pode se alimentar, como Jesus fez para provar que Ele estava vivo. “E, não o crendo eles ainda por causa da alegria, e estando maravilhados, disse-lhes: Tendes aqui alguma coisa que comer? Então eles apresentaram-lhe parte de um peixe assado, e um favo de mel; O que Ele tomou, e comeu diante deles.” (Lucas 24:41-43). Apesar de Jesus estar diante deles, estar falando com eles, ainda não creram, até porque era muita alegria, muita felicidade para eles, era como quase crer no impossível. Mas Jesus então come, alimenta-se com eles, para mostrar que não era um espírito, que eles não estavam tendo uma visão ou um delírio coletivo, mas que era Ele mesmo que estava falando com eles. Nós não podemos criticá-los em hipótese alguma, porque todos nós, seres humanos, somos muitos limitados, e, por maior que seja a nossa fé, há momentos em que chegamos a duvidar, há momentos em que não cremos na intervenção Divina e, quando acontece, ficamos como bobos, extasiados. Os discípulos queriam muito que Jesus estivesse vivo, e a sede era tão grande que, quando aconteceu, eles duvidaram, estavam diante do Senhor e tinham dúvidas se era Ele mesmo. Por isso deram alimento, peixe e mel para Ele comer, para que pudessem crer. “E disse-lhes: São estas as palavras que vos disse estando ainda convosco: Que convinha que se cumprisse tudo o que de mim estava escrito na lei de Moisés, e nos profetas e nos Salmos. Então abriu-lhes o entendimento para compreenderem as Escrituras.” (Lucas 24:44-45). Jesus começa a explicar as Escrituras para eles e mostra que elas já há muito falavam tudo o que ia acontecer com Ele, e exatamente como aconteceu, assim como os profetas, assim como Davi, todos os profetas, e as Escrituras apontavam para Ele e relatavam como tudo aconteceria. Se eles tivessem procurado meditar sobre elas, compreendê-las, saberiam disso. “E disse-lhes: Assim está escrito, e assim convinha que o Cristo padecesse, e ao terceiro dia ressuscitasse dentre os mortos, e em seu Nome se pregasse o arrependimento e a remissão dos pecados, em todas as nações, começando por Jerusalém. E destas coisas sois vós testemunhas. E eis que sobre vós envio a promessa de meu Pai; ficai, porém, na cidade de Jerusalém, até que o alto sejais revestidos de poder. E levou-os fora, até Betânia; e, levantando as suas mãos, os abençoou. E aconteceu que, abençoando-os Ele, se apartou deles e foi elevado ao céu. E, adorando-o eles, tornaram com grande júbilo para Jerusalém. E estavam sempre no templo, louvando e bendizendo a Deus. Amém.” (Lucas 24:46-53).
Leiam e pratiquem a Bíblia. Que Deus os abençoe.
Um abraço,
Pr. Henrique Lino 


Se voce está passando por problemas na sua vida espiritual, familiar, profissional, sentimental, com filhos em situação de risco, envolvimento com drogas, ou em processo de separação, divorcio, traído(a) abandonado(a) entre em contato conosco.O Ministério Atalaia do Evangelho de Deus está a sua disposição para aconselhamento, oração, e interseção e orientação, e cobertura espiritual. Visitem nosso site www.atalaiadedeus.com.br - O Ministério Atalaia do Evangelho de Deus tem como objetivo levar a Palavra de Deus. Trabalha voluntariamente com assistência as famílias, para restaurar casamentos e orientação espiritual a todo aquele que necessita de uma Palavra de cura, salvação e libertação. Esse Ministério tem obedecido ao chamado do Senhor, venha fazer parte desse trabalho com sua oração.