EVANGELIZAR.

NESTE BLOG DISPONIBILIZAMOS MENSAGENS CRISTÃS SEGUNDO A BIBLIA. FALAMOS DOS ESTATUTOS DO REINO DE DEUS.

sexta-feira, 31 de julho de 2015

A LOUCURA DA CRUZ

"Porque a palavra da cruz é loucura para os que perecem; mas para nós, que somos salvos, é o poder de Deus." (1 Coríntios 1:18)

 Quando falamos que Deus cura toda e qualquer enfermidade, as pessoas dizem crer, mas continuam buscando médicos, hospitais, tomando remédios. Até oram, pedem orações, mas não creem, não têm fé, não sabem depender do Senhor. Quando falamos em salvação e em perdição, muitos, até mesmo pessoas que estão em altar como líderes, não creem totalmente, caso contrário, não cometeriam tantos erros e desobediências. As pessoas gostam de religião, mas não conhecem e nem colocam em prática o Poder de Deus. Não aceitam ter uma vida simples e dependente do Senhor, preferem viver agindo sobre o que é aparente. Creem no que veem, no que podem tocar e sentir. Acham ou entendem que a Palavra de Deus é um consolo somente na hora das lutas e tribulações. Mas a Palavra de Deus é loucura para o mundo, porque a vemos e sabemos que ela é viva e nos conduz à salvação. Sabemos que Jesus está vivo e continua operando milagres até maiores e continua condenando o que condenava antes. Sabemos que o Poder de Deus se manifesta pela sua Palavra, e que sem fé é impossível agradar a Deus. "Porque está escrito: Destruirei a sabedoria dos sábios, E aniquilarei a inteligência dos inteligentes." (1 Coríntios 1:19). Os que se dizem ou se acham sábios têm sido envergonhados constantemente, muitos se rendem ao Senhor e outros tentam justificar o injustificável. Os sábios criam histórias, teorias loucas para justificar inúmeros fenômenos que não têm explicação fora de Deus. Não conseguem justificar os acontecimentos bíblicos, os relatos das histórias do povo de Israel. Não conseguem explicar a cura de pessoas enfermas com doenças supostamente incuráveis. Pessoas têm sido curadas de todos os tipos de enfermidades, mortos têm se levantado, pessoas totalmente perdidas têm se transformado, o que estava destruído, morto, tem se levantado, tem tido vida, se reconstituído. Os sábios não conseguem explicar fatos, ações e acontecimentos da natureza, humana, não conseguem explicar a origem da vida, do mundo, sem mostrar que tudo é fruto do Criador. Os sábios do mundo não podem explicar nem mesmo o comportamento incrédulo deles mesmos diante de provas incontentáveis da ação, dos cuidados, do amor e Poder de Deus.
 "Onde está o sábio? Onde está o escriba? Onde está o inquiridor deste século? Porventura não tornou Deus louca a sabedoria deste mundo?"(1 Coríntios 1:20). Todos quantos tentam justificar a criação sob uma ótica humana simplesmente fazem papel de tolos. Ninguém, absolutamente, tem como explicar os inúmeros milagres que acontecem diariamente pelo mundo afora, sem assumir que é o Poder de Deus. Pessoas são curadas, libertas, transformadas, salvas, alimentadas pelo Poder de Deus, de maneira inegável, incontestável. É loucura o que fazem tentando explicar o inexplicável para não assumirem que somente o Senhor tem Poder, e que tudo é criação Dele, e nada absolutamente nada acontece a sua revelia. As pessoas tentam justificar as suas ações simplesmente para não assumirem que são dependentes do Senhor, para não se submeterem a sua vontade. Mas, infelizmente, agindo assim, ainda continuam sob a direção Dele, e ainda serão conduzidas à perdição e morte eterna. Os que se dizem sábios querem mostrar que têm poder, que sabem alguma coisa e podem viver da maneira que acham que devem, e que ninguém tem autoridade sobre eles. Como são tolos, porque, quanto mais se rebelam, mais provam a existência de Deus e mostram o cumprimento da sua Palavra. "Visto como na sabedoria de Deus o mundo não conheceu a Deus pela sua sabedoria, aprouve a Deus salvar os crentes pela loucura da pregação." (1 Coríntios 1:21). O mundo não reconheceu, não entendeu a vontade, o amor e cuidado de Deus para com todos, e por isso o Senhor salvou e salva somente os crentes. Digo crentes os que creem Nele, os que praticam e vivem segundo as suas ordenanças, não religiosos. Os que creem no Senhor são salvos pela sua Palavra, e até esse ato dos crentes é considerado loucura para o mundo, porque vivemos olhando para o futuro, olhando para o além, olhando para Jesus sabendo que viveremos Nele e com Ele por toda a eternidade. Por esse motivo temos um comportamento diferenciado do mundo, nos apartamos, procuramos viver em santidade e rejeitamos os prazeres do mundo. As pessoas que estão no mundo não conseguem entender essa nossa maneira de viver, porque elas pensam que devem viver e desfrutar de tudo aqui. Para alcançar a salvação, a vida, é necessário crer no Senhor, e quem crê pratica a sua Palavra, o que é ilógico para a maioria das pessoas. Somos motivo de gracejos, risos e piadas, mas sabemos que o Senhor cura, salva e liberta, e que é o mesmo ontem, hoje e sempre.
 "Porque os judeus pedem sinal, e os gregos buscam sabedoria;Mas nós pregamos a Cristo crucificado, que é escândalo para os judeus, e loucura para os gregos." (1 Coríntios 1:22-23). Os judeus e outros povos vivem olhando para o céu pedindo sinais da existência e da volta do Senhor. Países que se dizem desenvolvidos procuram justificar tudo pela ciência. Pessoas tentam desafiar Deus exigindo sinais, provas, mas o Senhor, além de não as olhar, nem mesmo considera o que falam ou fazem, pois Jesus deixou bem claro que não mostraria nenhum sinal. Outros tentam, através de estudos, teorias inconclusivas, justificar ou não o Poder de Deus. Mas nós simplesmente falamos do Evangelho de Jesus Cristo, falamos daquele que morreu na cruz do Calvário, mas ressuscitou ao terceiro dia, daquele que levou os nossos pecados, que nos deu condições de ser salvos Nele, e que o rejeitando somos lançados para o sofrimento e morte eterna. Muitos creem em sacrifícios, em imagens, ou na ciência, mas nós cremos em Jesus Cristo. "Mas para os que são chamados, tanto judeus como gregos, lhes pregamos a Cristo, poder de Deus, e sabedoria de Deus." (1 Coríntios 1:24). Para receber a Palavra, para aceitá-la, é necessário sermos chamados por Cristo, é preciso ter um coração preparado para aceitar a verdade. Qualquer que seja a pessoa que recebeu a Palavra e se converteu por inteiro ao Senhor, já tinha sido chamado e escolhido. Muitos são os que lotam templos, igrejas, mas não têm compromisso, não se converteram, prova tal é que ficam sempre pecando e querendo voltar para o mundo. O mundo e os seus prazeres os atraem, ou pensam que, por estarem em uma igreja, têm que desfrutar do melhor. Esses que ficam algum tempo em templos, até mesmo no altar, mas depois voltam para o mundo, na verdade, nunca conheceram o Senhor. Mas nós que vivemos e pregamos o Evangelho sabemos, temos consciência de que não temos para onde ir se não for no Senhor. "Porque a loucura de Deus é mais sábia do que os homens; e a fraqueza de Deus é mais forte do que os homens." (1 Coríntios 1:25). As pessoas não entendem, não conseguem compreender a maneira de Deus agir. Muitos chegam até o ponto de julgá-lo, não entendendo, ou melhor, não querendo entender a maneira de o Senhor nos amar. Para não querer aceitar a correção, temos que saber que todos, sem exceção, são feituras, criaturas de Deus; para sermos filhos, recebermos cuidados de filhos, temos que amá-lo, viver segundo as suas determinações. "Porque, vede, irmãos, a vossa vocação, que não são muitos os sábios segundo a carne, nem muitos os poderosos, nem muitos os nobres que são chamados. Mas Deus escolheu as coisas loucas deste mundo para confundir as sábias; e Deus escolheu as coisas fracas deste mundo para confundir as fortes; E Deus escolheu as coisas vis deste mundo, e as desprezíveis, e as que não são, para aniquilar as que são; Para que nenhuma carne se glorie perante ele."(1 Coríntios 1:26-29). Deus nos escolheu para vivermos, pregarmos e ensinarmos o Evangelho, nos capacitou para operar milagres e maravilhas no seu Nome, fomos chamados para dar testemunhos do seu Poder. E não fomos escolhidos dentre os mais capacitados de acordo com a lógica e ótica humana. "Mas vós sois Dele, em Jesus Cristo, o qual para nós foi feito por Deus sabedoria, e justiça, e santificação, e redenção; Para que, como está escrito: Aquele que se gloria glorie-se no Senhor." (1 Coríntios 1;30-31). 
Leiam e pratiquem a Bíblia. Que Deus os abençoe.
 Um abraço,
 Pr.Henrique Lino
 Se voce está passando por problemas na sua vida espiritual, familiar, profissional, sentimental, com filhos em situação de risco, envolvimento com drogas, homossexualismo, ou em processo de separação, divorcio, traído(a) abandonado(a) entre em contato conosco.O Ministério Atalaia do Evangelho de Deus está a sua disposição dia e noite para aconselhamento, oração, e interseção e orientação, e cobertura espiritual. 
Visitem nosso site www.atalaiadedeus.com.br - O Ministério Atalaia do Evangelho de Deus tem como objetivo levar a Palavra de Deus. Trabalha voluntariamente com assistência as famílias, para restaurar casamentos e orientação espiritual a todo aquele que necessita de uma Palavra de cura, salvação e libertação. Esse Ministério tem obedecido ao chamado do Senhor, venha fazer parte desse trabalho com sua oração. 

quarta-feira, 29 de julho de 2015

INSENSATOS

"Ó insensatos gálatas! quem vos fascinou para não obedecerdes à verdade, a vós, perante os olhos de quem Jesus Cristo foi evidenciado, crucificado, entre vós?"(Gálatas 3:1)

 Paulo chama atenção dos gálatas por eles se desviarem do Evangelho puro e seguirem os judaizantes com doutrinas baseadas na lei, e não na Graça. Paulo, ao chamá-los de insensatos, não está dizendo que eles tenham limitações mentais, mas simplesmente deixaram de empregar a capacidade de percepção. De igual forma podemos nos referir a muitos que frequentam igrejas denominacionais e se propõem a fazer sacrifícios, ou oferecer sacrifícios para obter algo. Algumas pessoas, para alcançarem uma bênção, um socorro, praticam a lei, praticam atos sacrificiais, desmerecendo o sacrifício da cruz. Vão a altares ofertando tudo o que têm e não têm; com o objetivo de restaurar um casamento, tiram a aliança do dedo e a ofertam no altar. Não percebem, primeiramente, que não deveriam tirar a aliança, pois Deus foi testemunha de todos os casamentos legalizados, foi testemunha da aliança. Portanto, ao tirar a aliança com desculpas de oferecer-Lhe, essas pessoas estão se desfazendo de um compromisso firmado por Ele. Segundo, não entendem que o Senhor não pede nada além do que está em sua Palavra; é mandamento devolver os dízimos, que pertencem a Ele, ofertar quando temos o que ofertar, mas jamais sacrifícios. O Senhor não é Deus de barganha, portanto todos os que participam de campanhas e, no final, oferecem ou se sacrificam para dar valores estão pecando. Isso é obra da carne, é sacrifício, é pecado. "Só quisera saber isto de vós: recebestes o Espírito pelas obras da lei ou pela pregação da fé?" (Gálatas 3:2). A lei se cumpriu em Jesus, e desde então vivemos na Graça. Jesus foi o único sacrifício vivo aceitável, e Nele tudo se finalizou e vivemos livres. Não recebemos o Espírito Santo, o Consolador de Deus, através de obras da nossa carne, mas o recebemos por Jesus. Estou falando do Espírito de Deus, que nos convence do erro, do juízo e do pecado, e mais ainda: quando recebemos o batismo, não é por obra da lei, mas é pela Graça. Jesus disse que Ele iria, mas enviaria o Consolador, o Espírito da parte do Pai, que nos guiaria em todos os caminhos. Foi promessa do Senhor e se cumpriu, e não temos que fazer nenhum sacrifício para sermos guiados pelo Espírito de Deus, temos que ouvi-Lo somente e obedecer-Lhe.
 "Sois vós tão insensatos que, tendo começado pelo Espírito, acabeis agora pela carne?" (Gálatas 3:3). Somente agindo de forma insensata, de maneira emocional, é que alguém pode abandonar a vontade do Espírito para atender à vontade da carne. Quando entendemos que temos que fazer alguma coisa para que Deus nos ouça, nos atenda, quando resolvemos nos sacrificar, oferecer sacrifícios, estamos praticando obras da lei. Quando nos convertemos, quando aceitamos o Senhor, permitindo que Ele comandasse as nossas vidas, não foi através de obra da carne, não tivemos que fazer esforço algum, simplesmente nos entregar a Ele. Não importa se alguém nasceu em um lar evangélico, mesmo porque isso não a torna crente em Jesus, o que a faz é quando ela, por sua vontade, entrega-se ao Senhor. Portanto, depois que nos entregamos, nos rendemos a Ele, agora podemos querer sacrificar, ou negociar para obter algo. "Será em vão que tenhais padecido tanto? Se é que isso também foi em vão." (Gálatas 3:4) Quando nos convertemos ao Senhor, passamos por lutas, afrontas e perseguições, na maioria das vezes no nosso meio familiar. Amigos, conhecidos, no trabalho, e, como estamos no primeiro amor, não olhamos para isso, e seguimos em frente. Passamos por lutas internas, abandonando os pecados, as práticas erradas, e buscando nos moldar ao Evangelho. Depois de tudo isso não podemos nos curvar às obras da lei e tentar conquistar alguma coisa por nós mesmos. Não podemos participar somente de uma religião, de barganhas, não podemos tentar chamar a atenção do Senhor por qualquer ato nosso, devemos simplesmente praticar a sua Palavra."Aquele, pois, que vos dá o Espírito, e que opera maravilhas entre vós, o faz pelas obras da lei, ou pela pregação da fé?" (Gálatas 3:5). Quando nos convertemos ao Senhor, não o fizemos por nenhum sacrifício ou obra da lei, mas porque ouvimos a pregação da fé, ouvimos a Palavra viva. Podemos ouvir a Palavra de inúmeras maneiras, como assistir a uma pregação, ler a Bíblia, um livro, uma mensagem como essa. Pode ser através de uma pessoa que vem até nós falando do amor de Deus, de um convite para irmos a uma igreja, pode ser através até de uma criança, mas o fato é que, quando acontece, não é por obra da lei, é pela fé que nos convertemos ao Senhor. Quando ouvimos o Espírito, nos convencemos e nos rendemos, e Ele faz toda a obra.
 "Assim como Abraão creu em Deus, e isso lhe foi imputado como justiça. Sabei, pois, que os que são da fé são filhos de Abraão." (Gálatas 3:6-7). Somos todos descendentes de Abraão, o pai da fé, os que são praticantes da fé em Jesus, os que creem no Evangelho de Jesus Cristo. E crer, Jesus nos disse que é quem obedece aos seus preceitos e ordenanças, e essa obediência é pela fé. Assim, para falarmos que somos descendentes de Abraão, é necessário ser praticante da fé e viver pela fé em Jesus. Se vivemos pela fé, não vivemos pelas obras da carne e nem pela lei, então somos vencedores em Cristo. A justiça de Deus se manifesta em nossas vidas através da fé e não de outra maneira. "Ora, tendo a Escritura previsto que Deus havia de justificar pela fé os gentios, anunciou primeiro o Evangelho a Abraão, dizendo: Todas as nações serão benditas em ti."(Gálatas 3:8). Deus, tendo determinado que haveria de justificar, salvar todos pela fé, anunciou primeiro o Evangelho a Abraão, falou diretamente com ele, deu ordens que foram obedecidas pela fé. Mesmo porque naquela época não existia lei nem ordenanças, a não ser as que vinham diretamente da boca do Senhor. Como esse patriarca foi fiel, manteve-se firme na fé, alcançou a promessa e hoje toda a nação é bendita nele. "De sorte que os que são da fé são benditos com o crente Abraão." (Gálatas 3:9). Os que são da fé, que vivem e praticam a fé em Jesus Cristo, são benditos como o crente Abraão. Mas os que não praticam a fé, a Graça, que vivem pela lei, praticam desafios, são malditos, pois a palavra diz que é maldito todo aquele que não pratica toda a lei. Bênção e maldições, ser abençoado ou viver na maldição, a escolha é nossa. "Todos aqueles, pois, que são das obras da lei estão debaixo da maldição; porque está escrito: Maldito todo aquele que não permanecer em todas as coisas que estão escritas no livro da lei, para fazê-las."(Gálatas 3:10). Todos os que querem alcançar o Senhor através de sacrifícios, desafios, estão debaixo de maldição, porque é obra da lei, que se extinguiu em Jesus. E para oferecerem sacrifícios e fazer desafios, têm que viver na totalidade da lei, e ninguém consegue, por isso é maldito. Teriam também que oferecer sacrifícios diariamente, holocaustos, guardar o sábado, e todas as ordenanças da antiga lei. Portanto, todas as pessoas que se submetem a ordenanças antigas praticadas e incentivadas por algumas denominações estão indo contra o Evangelho de Jesus Cristo. "E é evidente que pela lei ninguém será justificado diante de Deus, porque o justo viverá pela fé." (Gálatas 3:11). Ninguém consegue se justificar diante do Senhor praticando qualquer obra da lei. A nossa justificação vem pela fé em Jesus Cristo, e somente por Ele. Não existe fé em qualquer outra coisa que nos justifique diante do Senhor, somente Jesus. "Ora, a lei não é da fé; mas o homem, que fizer estas coisas, por elas viverá. Cristo nos resgatou da maldição da lei, fazendo-se maldição por nós; porque está escrito: Maldito todo aquele que for pendurado no madeiro; Para que a bênção de Abraão chegasse aos gentios por Jesus Cristo, e para que pela fé nós recebamos a promessa do Espírito." (Gálatas 3:12-14). 
Leiam e pratiquem a Bíblia. Que Deus os abençoe.
 Um abraço,
 Pr.Henrique Lino
 Se voce está passando por problemas na sua vida espiritual, familiar, profissional, sentimental, com filhos em situação de risco, envolvimento com drogas, homossexualismo, ou em processo de separação, divorcio, traído(a) abandonado(a) entre em contato conosco.O Ministério Atalaia do Evangelho de Deus está a sua disposição dia e noite para aconselhamento, oração, e interseção e orientação, e cobertura espiritual. 
Visitem nosso site www.atalaiadedeus.com.br - O Ministério Atalaia do Evangelho de Deus tem como objetivo levar a Palavra de Deus. Trabalha voluntariamente com assistência as famílias, para restaurar casamentos e orientação espiritual a todo aquele que necessita de uma Palavra de cura, salvação e libertação. Esse Ministério tem obedecido ao chamado do Senhor, venha fazer parte desse trabalho com sua oração. 

PELA VIRTUDE DO ESPÍRITO

"Então, pela virtude do Espírito, voltou Jesus para a Galiléia, e a sua fama correu por todas as terras em derredor." (Lucas 4:14)

 Jesus tinha sido batizado no rio Jordão pelo profeta João Batista, tinha também recebido o Espírito Santo, que veio sobre Ele em forma corpórea de uma pomba. Deus tinha falado do alto em voz audível para todos que Ele era o Filho Amado e que Nele tinha prazer. Depois disso, o próprio Espírito Santo de Deus tinha o conduzido ao deserto, onde foi tentado pelo diabo durante quarenta dias e resistiu a todas as tentações, saindo vencedor. Jesus volta agora cheio de Poder e vai para Galiléia, e por toda a parte já se falava Nele, porque operava milagres e maravilhas, curava enfermos, libertava as pessoas possuídas de espíritos malignos, e, principalmente, pregava o Evangelho. Falava sobre o Reino de Deus. Ele comunicava que o Reino havia chegado. Jesus não se afastou em nenhum momento da sua missão, que era ensinar o Evangelho e mostrar o Poder de Deus. "E ensinava nas suas sinagogas, e por todos era louvado. E, chegando a Nazaré, onde fora criado, entrou num dia de sábado, segundo o seu costume, na sinagoga, e levantou-se para ler." (Lucas 4:15-16). Jesus ensinava o Evangelho nos templos. Jesus pregava nos templos, nas igrejas dos judeus, ao contrário do que muitos dizem que Ele não pregava em igrejas. Sempre que possível, Jesus estava ensinando nos templos, claro que não foi onde fez a maioria das suas pregações, mesmo porque não existiam templos com a capacidade física de suportar a quantidade de pessoas que participaram de muitos de seus cultos. Jesus foi para Nazaré, onde foi criado e cresceu, portanto todos o conheciam e sabiam da sua origem humana. Sabiam que Ele era filho de Maria e José, a bem que essa não era a Verdade, pois Jesus era e é Filho de Deus para toda a eternidade. "E foi-lhe dado o livro do profeta Isaías; e, quando abriu o livro, achou o lugar em que estava escrito (Lucas 4:17). Jesus começou a ler o livro de Isaías no capítulo 61, não sabemos se foi Ele mesmo que escolheu ou se simplesmente era o texto escolhido para aquele dia, porque os livros do Antigo Testamento eram escritos em rolos e guardados em lugar especial na sinagoga e passados para o leitor por um funcionário específico. Portanto, não sabemos se foi Ele mesmo quem fez a escolha desse trecho ou se foi o escolhido para aquele dia, mas o fato foi que era a Palavra de Deus para os judeus falando do seu Filho amado.
 "O Espírito do Senhor é sobre mim, Pois que me ungiu para evangelizar os pobres. Enviou-me a curar os quebrantados de coração, A pregar liberdade aos cativos, E restauração da vista aos cegos, A pôr em liberdade os oprimidos, a anunciar o ano aceitável do Senhor." (Lucas 4:18-19). Jesus leu exatamente no livro de Isaías, capítulo 61, os versículos 1 e 2 em que se fala sobre Ele, em que Isaías pelo Espírito fala de Jesus e quem é e sobre a sua missão, porque Jesus tinha a unção e poder para evangelizar, pregar para os pobres, uma vez que Ele não veio para os ricos espiritualmente, porque estes não precisavam Dele. Quem mais precisa conhecer o Senhor são os pobres de espírito, os que vivem em opressões. Jesus veio para curar os quebrantados de corações, os que buscam, os que têm sede da Verdade, que buscam o Senhor. Os que não estão satisfeitos com os sofrimentos, com a dor e a opressão do adversário, os que querem desfrutar da paz do Senhor. Jesus veio para libertar todos os oprimidos do nosso adversário, veio trazer a liberdade e inaugurar uma nova era, um novo século, baseado na fé e não nas obras da lei. Jesus veio para fazer os cegos espirituais enxergarem, fazer com que as escamas dos seus olhos caíssem e eles pudessem enxergar o amor de Deus e receber a salvação Nele. "E, cerrando o livro, e tornando-o a dar ao ministro, assentou-se; e os olhos de todos na sinagoga estavam fitos Nele.Então começou a dizer-lhes: Hoje se cumpriu esta Escritura em vossos ouvidos." (Lucas 4:20-21). Jesus pegou o livro de Isaías, leu-o, depois o fechou e o entregou ao oficial encarregado de guardá-lo. Como Ele demorou um pouco para falar, fazer algum comentário, todos ficaram olhando, esperando o que Ele poderia falar. Possivelmente esperavam algum comentário rotineiro, como muitos faziam, mas com certeza não esperavam a revelação Dele dizendo que o que estava escrito ali se cumpria Nele.Aquele garoto que cresceu no meio deles, que o conheciam desde pequeno, agora faz uma afirmação de que Ele era o Messias, que a Palavra a que Isaías se referia era a seu respeito. Jesus afirma que a Palavra tinha se cumprido Nele, e que Ele é que tinha sido enviado para libertar os cativos, curar os quebrantados de coração, abrir os olhos dos cegos. Como eles já tinham sabido de muitos milagres que Jesus tinha feito em outros lugares, ficaram impressionados com essa revelação.
 "E todos lhe davam testemunho, e se maravilhavam das palavras de graça que saíam da sua boca; e diziam: Não é este o filho de José?" (Lucas 4:22).Todos ficaram atônitos com a revelação de que Ele era o Messias, o revelado por Isaías e os outros profetas do Antigo Testamento. Então começaram a questionar como poderia ser Ele, pois todos o conheciam, era o menino Jesus, crescido no meio deles, filho de José, o carpinteiro. É interessante como as pessoas gostam de se ater somente ao que lhes é conveniente entender, porque as Escrituras falavam de Jesus desde o nascimento, ou melhor, antes do nascimento. E se eles realmente observassem, veriam que em Jesus estava se cumprindo, mas preferiram olhar com olhos carnais e apontar o que viam de imediato. Assim somos nós, gostamos de falar de promessas de Deus para as nossas vidas, mas não queremos saber das obediências, esquecendo que uma coisa está ligada a outra. Como a bênção, os milagres não acontecem, não recebemos o que queremos ou pedimos, achamos que o Senhor falhou ou que a promessa não é para todos. Temos que abrir os nossos olhos e olhar de maneira espiritual, pois somos seres espirituais. "E ele lhes disse: Sem dúvida me direis este provérbio: Médico, cura-te a ti mesmo; faze também aqui na tua pátria tudo que ouvimos ter sido feito em Cafarnaum." (Lucas 4;23). Jesus, diante da incredulidade deles, cita um provérbio, porque eles sabiam, tinham ouvido tudo o que Jesus tinha feito em outros lugares. Sabiam dos milagres e prodígios que Ele tinha operado em Cafarnaum, e com certeza os queriam também. Mas não tinham fé para receber o milagre, e sabemos que sem fé é impossível agradar a Deus. Devemos entender que existe diferença entre fé e querer algo, querer é desejar, fé é ter a certeza de que vai receber, que vai acontecer. As pessoas queriam que Jesus provasse, mostrasse quem era e operasse o que falavam que Ele tinha feito em outros lugares, mas não acreditavam que ele poderia fazer. "E disse: Em verdade vos digo que nenhum profeta é bem recebido na sua pátria." (Lucas 4:24). Jesus mostra que o profeta não tem honra em casa, pois, como as pessoas o conheciam de antes, não creem na transformação e no Poder de Deus sobre Ele, uma vez que esperam algo sobrenatural, mágico, e não uma ação simples como as coisas do Senhor o são. "Em verdade vos digo que muitas viúvas existiam em Israel nos dias de Elias, quando o céu se cerrou por três anos e seis meses, de sorte que em toda a terra houve grande fome; E a nenhuma delas foi enviado Elias, senão a Sarepta de Sidom, a uma mulher viúva. E muitos leprosos havia em Israel no tempo do profeta Eliseu, e nenhum deles foi purificado, senão Naamã, o siro."(Lucas 4:25-27). Jesus cita então exemplos bíblicos da falta de fé do povo hebreu, dos judeus, e mostra que por esse motivo profetas usados por Deus operaram milagres em estrangeiros diante da incredulidade do seu povo. Assim ainda acontece, vemos pessoas de várias religiões e seitas receberem milagres, e os crentes não receberem, isso ocorre por não terem fé. Mas, quando são confrontados, mostrando que são pessoas que somente falam, mas não têm fé, elas reagem com violência e querem matar, como quiseram matar Jesus. "E todos, na sinagoga, ouvindo estas coisas, se encheram de ira. E, levantando-se, o expulsaram da cidade, e o levaram até ao cume do monte em que a cidade deles estava edificada, para dali o precipitarem. Ele, porém, passando pelo meio deles, retirou-se.(Lucas 4:28-29). 
Leiam e pratiquem a Bíblia. Que Deus os abençoe.
 Um abraço,
 Pr.Henrique Lino
 Se voce está passando por problemas na sua vida espiritual, familiar, profissional, sentimental, com filhos em situação de risco, envolvimento com drogas, homossexualismo, ou em processo de separação, divorcio, traído(a) abandonado(a) entre em contato conosco.O Ministério Atalaia do Evangelho de Deus está a sua disposição dia e noite para aconselhamento, oração, e interseção e orientação, e cobertura espiritual. 
Visitem nosso site www.atalaiadedeus.com.br - O Ministério Atalaia do Evangelho de Deus tem como objetivo levar a Palavra de Deus. Trabalha voluntariamente com assistência as famílias, para restaurar casamentos e orientação espiritual a todo aquele que necessita de uma Palavra de cura, salvação e libertação. Esse Ministério tem obedecido ao chamado do Senhor, venha fazer parte desse trabalho com sua oração. 

terça-feira, 28 de julho de 2015

PODER DE DEUS, NÃO MAGIA

"E estava ali um certo homem, chamado Simão, que anteriormente exercera naquela cidade a arte mágica, e tinha iludido o povo de Samaria, dizendo que era uma grande personagem; Ao qual todos atendiam, desde o menor até ao maior, dizendo: Este é a grande virtude de Deus." (Atos 8:9-10)

 Samaria era uma cidade apóstata desde a época da divisão entre Israel e Judá, reino do norte e reino do sul. Esse fato aconteceu no reinado de Roboão, neto de Davi e filho de Salomão (Samaria ficou sendo de Israel, e Jerusalém de Judá). Simão, para que o povo não fosse a Jerusalém adorar a Deus, tinha mandado construir dois bezerros de ouro e determinado que o povo o adorasse, que aqueles eram o deus deles. Mas Jesus já tinha passado por ali algumas vezes e, em uma delas, pregou para uma mulher na beira do poço, a qual, após ouvi-lo, trouxe uma grande multidão para ouvi-lo. Aceitaram a Palavra e ainda insistiram para que Ele ficasse naquela cidade mais dois dias pregando. Agora Filipe, um homem de Deus, chega à cidade e, no seu trabalho de pregar a Palavra, se depara com um mágico que fingia ser alguma coisa. E como praticava a malandragem e outras coisas, fazendo crer que era um enviado de Deus, todos nele acreditavam. Assim também temos visto no nosso meio pessoas que dizem fazer cirurgias através de espírito, ou que falam com os mortos, e outras muitas coisas, que têm levado muitos a crerem no que fazem. Existem muita malandragem e ação diabólica, porque os demônios usam as pessoas para enganar, além de o próprio ser humano ter a tendência de querer ser enganado e receber e ouvir o que deseja. Também no meio gospel existe muita coisa que não é lícito e não tem nenhum fundamento na Palavra, vemos e ouvimos promessas mirabolantes que nada têm a ver com o Evangelho de Jesus Cristo. Os mágicos, magos, os enganadores estão em toda parte, mas nós temos que observar a Palavra de Deus, praticá-la, e assim não seremos enganados. "E atendiam-no, porque já desde muito tempo os havia iludido com artes mágicas." (Atos 8:11) Os buscadores de facilidades, os que procuram um caminho fácil para obter o que desejam são facilmente enganados. Também há os que são enganados por desconhecerem o Evangelho, por isso a necessidade de sempre meditar na Palavra do Senhor.
 "Mas, como cressem em Filipe, que lhes pregava acerca do Reino de Deus, e do Nome de Jesus Cristo, se batizavam, tanto homens como mulheres." (Atos 8:12). Quando Filipe chegou a Samaria e começou a pregar o verdadeiro Evangelho, muitos creram e se renderam ao Senhor. Todos os que aceitavam o Senhor eram batizados, e olha que não tinham que se submeter a nenhum curso de batismo, muito em moda na nossa época. O batismo ensinado na Bíblia é praticado após as pessoas aceitarem o Senhor e não exige nenhuma preparação para isso, pois Jesus disse que sem batismo não existe salvação. O tempo urge, portanto não se pode perder tempo, porque podemos ser responsáveis por almas que partem antes de cumprirmos com o nosso dever. Filipe pregava, e as pessoas que o ouviam e aceitavam o Evangelho de Jesus Cristo eram por ele batizadas imediatamente. "E creu até o próprio Simão; e, sendo batizado, ficou de contínuo com Filipe; e, vendo os sinais e as grandes maravilhas que se faziam, estava atônito." (Atos 8:13). O mágico entendeu que não era mágica o que estava vendo, percebeu que o que Filipe pregava e os sinais que operava não eram ilusão, como as artes dele, que realmente eram o Poder de Deus. Até o mágico creu e se rendeu, mas não se converteu totalmente, como veremos adiante. Quando as pessoas vêm ao Senhor, quando ouvem a Palavra e a aceitam e são batizadas, isso não quer dizer que a conversão seja total, porque como estavam no mundo onde passaram a vida toda, para mudar os hábitos, costumes demora um pouco; assim como mudar a forma de pensar e agir. Mas quando veem realmente o Poder de Deus em ação se rendem e desejam não somente receber como também vir a praticar a Palavra em Nome de Jesus. "Os apóstolos, pois, que estavam em Jerusalém, ouvindo que Samaria recebera a palavra de Deus, enviaram para lá Pedro e João." (Atos 8:14). A liderança da igreja em Jerusalém, quando ficou sabendo que Filipe tinha pregado o Evangelho de Jesus Cristo em Samaria e que muitos tinham se rendido ao Senhor, resolveu mandar Pedro e João para lá para completarem o trabalho, porque, após as pessoas se renderem ao Senhor, necessitam de acompanhamento, de orientação e ensino, para que possam conhecer o Evangelho e assim viverem de acordo com o mesmo. É preciso apoio para que não desanimem, porque o mundo procura desviá-los, fazê-los desistir do Caminho chamado Jesus.
 "Os quais, tendo descido, oraram por eles para que recebessem o Espírito Santo (Porque sobre nenhum deles tinha ainda descido; mas somente eram batizados em Nome do Senhor Jesus)." (Atos 8:15-16). Os discípulos Pedro e João, chegando a Samaria e continuando o trabalho, começaram a orar com imposição de mãos para que aqueles que tinham recebido a Palavra do Senhor, que tinham sido batizados nas águas, também recebessem o batismo no Espírito Santo. Mesmo porque eles ainda não conheciam o batismo com o Espírito Santo, e sabemos que, quando nos rendemos ao Senhor, nos convertemos a Ele, com sinceridade então recebemos o batismo com fogo. Mas também devemos saber que o batismo com Espírito Santo é uma prerrogativa do Senhor, e não nossa, portanto não basta querer, desejar, é o Senhor que decide a hora exata para receber essa dádiva. Neste caso, em Samaria aconteceu, porque foi o próprio Espírito Santo que direcionou os apóstolos para agir naquela cidade e naquele momento de tal maneira. Assim uma pessoa pode ser direcionada por Deus para orar por uma ou mais pessoas para que recebam o Batismo, e isso acontece na hora. "Então lhes impuseram as mãos, e receberam o Espírito Santo." (Atos 8:17). Quando se fazem as coisas direcionadas pelo Espírito, a resposta é imediata, os apóstolos oravam e então as pessoas recebiam o batismo. Não é por vontade do pregador, pastor que o batismo acontece, mas é sob a direção do próprio Espírito Santo. "E Simão, vendo que pela imposição das mãos dos apóstolos era dado o Espírito Santo, lhes ofereceu dinheiro, Dizendo: Dai-me também a mim esse poder, para que aquele sobre quem eu puser as mãos receba o Espírito Santo." (Atos 8:18-19). Como observamos, o mágico se rendeu ao Senhor, mas o mundo ainda estava nele, e por isso, quando viu a ação do Espírito Santo, tentou agir de forma carnal, tentou comprar esse Poder com dinheiro. Assim são vários que, quando se convertem, agindo na emoção, oferecem e dão dinheiro e outras coisas na intenção de negociar com Deus, querendo receber bênçãos do Senhor, através de negociação. E não são poucas as igrejas denominacionais, pastores que incentivam esse tipo de comportamento, no intuito de levar vantagens. Pessoas participam de campanhas, colocam valores em envelopes, na esperança de receber algo do Senhor, não percebendo que o Senhor não negocia, e, para recebermos algo Dele, basta nos rendermos a Ele e praticar a sua Palavra. "Mas disse-lhe Pedro: O teu dinheiro seja contigo para perdição, pois cuidaste que o Dom de Deus se alcança por dinheiro. Tu não tens parte nem sorte nesta palavra, porque o teu coração não é reto diante de Deus. Arrepende-te, pois, dessa tua iniquidade, e ora a Deus, para que porventura te seja perdoado o pensamento do teu coração; Pois vejo que estás em fel de amargura, e em laço de iniquidade." (Atos 8:20-23). 
Leiam e pratiquem a Bíblia. Que Deus os abençoe.
 Um abraço,
 Pr.Henrique Lino
 Se voce está passando por problemas na sua vida espiritual, familiar, profissional, sentimental, com filhos em situação de risco, envolvimento com drogas, homossexualismo, ou em processo de separação, divorcio, traído(a) abandonado(a) entre em contato conosco.O Ministério Atalaia do Evangelho de Deus está a sua disposição dia e noite para aconselhamento, oração, e interseção e orientação, e cobertura espiritual. 
Visitem nosso site www.atalaiadedeus.com.br - O Ministério Atalaia do Evangelho de Deus tem como objetivo levar a Palavra de Deus. Trabalha voluntariamente com assistência as famílias, para restaurar casamentos e orientação espiritual a todo aquele que necessita de uma Palavra de cura, salvação e libertação. Esse Ministério tem obedecido ao chamado do Senhor, venha fazer parte desse trabalho com sua oração. 

segunda-feira, 27 de julho de 2015

HOUVE TREVAS

"E, chegada a hora sexta, houve trevas sobre toda a terra até a hora nona."(Marcos 15:33)

 A hora sexta é ao meio dia, doze horas, a hora nona é às três horas da tarde, ou seja, às quinze horas houve trevas, escuridão total, trevas densas não somente sobre Israel, Jerusalém, mas em toda a terra. Quando Jesus Cristo foi crucificado naquela cruz, e com todos os nossos pecados, as trevas dominaram por algum tempo. Jesus estava com todos os pecados do mundo sobre Ele, e isso é muito até para o Pai, que fechou os seus olhos, porque não aceita ou permite o pecado. "E, à hora nona, Jesus exclamou com grande voz, dizendo: Eloí, Eloí, lamá sabactâni?" Que, traduzido, significa: "Deus meu, Deus meu, por que me desamparaste?" (Marcos 15:34). As palavras foram proferidas em aramaico (mas com algumas características hebraicas), um dos idiomas comumente falados nos dias de Jesus. Revelam quão profundamente Jesus se sentia abandonado por Deus ao carregar sobre si os pecados da espécie humana. Jesus foi abandonado ali na Cruz do Calvário ao tomar o nosso lugar, ao carregar todos os nossos pecados. Jesus, o Filho de Deus, foi abandonado, o Pai fechou os olhos, houve trevas na terra nessa hora. Isto porque Deus Pai não aceita, não permite o pecado. O Senhor não suporta o pecado, e como Jesus estava carregado de pecado, o Pai se afastou, e Jesus gritou. Ao sentir o abandono do Pai, o seu grito de desespero foi inevitável. E isso Ele sofreu foi por nós, por nos amar. Assim fica claro que, se Deus não suportou o pecado em seu Filho, jamais vai tolerar em nós. Somos abandonados quando estamos em desobediência, quando estamos em pecado, porque Deus não tolera, não permite e não consegue nem nos olhar, e assim as trevas nos envolvem. Quando estamos pecando, as trevas densas estão ao nosso redor e, por mais que gritemos, se não abandonarmos os pecados, morreremos na escuridão. "E alguns dos que ali estavam, ouvindo isto, diziam: Eis que chama por Elias." (Marcos 15: 35). As pessoas não entenderam o que Jesus gritou, pensaram que Ele estivesse gritando pelo profeta Elias. O profeta Elias foi um homem notável, extremante usado por Deus, que tinha vivido centenas de anos antes, e não tinha passado pela morte, porque o Senhor o arrebatou em vida. O profeta Eliseu veio a lhe substituir no ministério, andava, quando uma carruagem de fogo o arrebatou e o conduziu em vida ao Senhor. E nas Escrituras ele é o que representa todos os profetas, e apareceu junto com Moisés e Jesus no monte da transfiguração. O povo entendeu que Jesus estava chamando por Elias, porque existia uma crença comum de que ele viria em tempos de necessidades críticas para proteger os inocentes e ajudar os justos (crença somente).
 "E um deles correu a embeber uma esponja em vinagre e, pondo-a numa cana, deu-lho a beber, dizendo: Deixai, vejamos se virá Elias tirá-lo." (Marcos 15:36). Esse vinagre era uma espécie de vinho azedo bebido por trabalhadores braçais e soldados, e que também era usado como anestésico. Vendo o sofrimento e dor de Jesus, queriam abreviar a sua morte, porque a morte em cruz ela se dá por sufocação. A pessoa fica apoiada sobre os pés pregados na cruz e sobre as mãos, e assim consegue manter a respiração. Mas, quando relaxa, ou é vencido pela fraqueza, e se entrega, a sufocação acontece e a pessoa morre. Assim, ao trazer aquele vinagre, a função foi fazer com que Ele relaxasse e então morresse logo, e neste caso não foi por crueldade, mas exclusivamente para aliviar o sofrimento e dor. As pessoas ainda criam em histórias, mas não nas Escrituras, não acreditavam em Jesus, prova que o estavam crucificando, mas ainda acreditavam na lenda de Elias. Sim, porque era somente lenda o que falavam a respeito deste que foi morar com o Senhor. "E Jesus, dando um grande brado, expirou." (Marcos 15:37). Jesus gritou e se entregou, ninguém tirou a vida do Senhor, Jesus não foi morto, Ele morreu, Ele entregou o seu espírito na dor insuportável por causa da crucificação, os cravos em suas mãos e pés, a dor do seu corpo, as chicotadas que tinha recebido, o entorpecimento chegando, o abandono do Pai quando Ele assumiu todos os nossos pecados. Naquele momento, após tomar um pouco do vinagre, Ele gritou e se entregou. Jesus morreu, a sua Palavra se cumpriu. "Ninguém ma tira de mim, mas eu de mim mesmo a dou; tenho poder para a dar, e poder para tornar a tomá-la. Este mandamento recebi de meu Pai." (João 10:18). Jesus ainda em vida tinha dito que ninguém tinha poder para tirar a sua vida, mas que Ele a entregaria por amor a nós. E assim foi, Ele disse que tinha poder para dar e tomá-la de novo, e assim foi. Ele morreu ali na Cruz, se entregou por nós, mas Ele tomou a sua vida de volta e hoje vive por toda a eternidade, sentado ao lado do Pai. Jesus foi obediente até o final, Ele cumpriu as ordens do Pai e se entregou por nós, assumiu nossos pecados, foi abandonado por Deus, morreu ressuscitou e hoje tem todo o Poder.
 "E o véu do templo se rasgou em dois, de alto a baixo." (Marcos 15:38). O véu do templo era a cortina que separava o lugar Santo do Lugar Santíssimo, onde só podia entrar o sumo sacerdote uma vez por ano e sem pecado, caso contrário, morria lá dentro e tinha que ser puxado para fora por uma corda, que era presa a sua cintura quando entrava, porque ninguém mais podia entrar lá nem para buscar o cadáver do sacerdote morto. Rasgar essa cortina significava que Cristo entrara no próprio céu a nosso favor, a fim de que também entrássemos na presença de Deus. Rasgando o véu, mostrava que não mais existia separação entre nós e Deus, e que não somente o sumo sacerdote, mas todos podiam ir ao Senhor. Qualquer um pode ir ao Senhor em oração, se arrepender e ser salvo. Nada nos impede de ir ao Senhor, basta nos arrepender, nos libertar dos erros, dos nossos pecados, porque podemos fazer isso agora, uma vez que Jesus os levou. Antes não tinha como se livrar deles, mas agora podemos abandoná-los, pedir perdão e ir ao Senhor."E o centurião, que estava defronte Dele, vendo que assim clamando expirara, disse: Verdadeiramente este homem era o Filho de Deus." (Marcos 15:39). Centurião era um comandante de cem soldados do exército romano. Possivelmente esse comandante tinha sido designado para estar ali vigiando a crucificação, e, ao ver tudo o que estava acontecendo, reconheceu Jesus como o Filho de Deus. Temos que observar que um estrangeiro, um romano reconheceu Jesus, enquanto o povo escolhido por Deus e que tinha as Escrituras, que recebia o cuidado de Deus, além de não reconhecê-lo, ainda o crucificou. Jesus morreu se entregando por todos, inclusive pelos que o crucificaram. "E também ali estavam algumas mulheres, olhando de longe, entre as quais também Maria Madalena, e Maria, mãe de Tiago, o menor, e de José, e Salomé; As quais também o seguiam, e o serviam, quando estava na Galiléia; e muitas outras, que tinham subido com Ele a Jerusalém." (Marcos 15:40-41). As mulheres que seguiam Jesus, que mantinham o seu ministério, estavam ali, observavam tudo sem nada poderem fazer. Mulheres que receberam milagres de Jesus, ou que presenciaram os inúmeros milagres, as bênçãos que as pessoas receberam Dele, agora simplesmente não podiam fazer nada para salvar, proteger ou cuidar do Mestre. Jesus Cristo, o carpinteiro, aquele que nasceu em uma manjedoura, mas que transformou água em vinho, que pregou o Evangelho, que multiplicou pães e peixes, abriu olhos aos cegos, fez aleijados andar, ressuscitou mortos, agora estava morto. A tristeza dominava, porque essas mulheres não entendiam a Palavra Dele, que disse que depois de três dias ressuscitaria. "E, chegada a tarde, porquanto era o dia da preparação, isto é, a véspera do sábado, Chegou José de Arimatéia, senador honrado, que também esperava o Reino de Deus, e ousadamente foi a Pilatos, e pediu o corpo de Jesus. E Pilatos se maravilhou de que já estivesse morto. E, chamando o centurião, perguntou-lhe se já havia muito que tinha morrido. E, tendo-se certificado pelo centurião, deu o corpo a José;
O qual comprara um lençol fino, e, tirando-o da cruz, o envolveu nele, e o depositou num sepulcro lavrado numa rocha; e revolveu uma pedra para a porta do sepulcro. E Maria Madalena e Maria, mãe de José, observavam onde o punham." (Marcos 15:42-47).
 
Leiam e pratiquem a Bíblia. Que Deus os abençoe.
 Um abraço,
 Pr.Henrique Lino
 Se voce está passando por problemas na sua vida espiritual, familiar, profissional, sentimental, com filhos em situação de risco, envolvimento com drogas, homossexualismo, ou em processo de separação, divorcio, traído(a) abandonado(a) entre em contato conosco.O Ministério Atalaia do Evangelho de Deus está a sua disposição dia e noite para aconselhamento, oração, e interseção e orientação, e cobertura espiritual. 
Visitem nosso site www.atalaiadedeus.com.br - O Ministério Atalaia do Evangelho de Deus tem como objetivo levar a Palavra de Deus. Trabalha voluntariamente com assistência as famílias, para restaurar casamentos e orientação espiritual a todo aquele que necessita de uma Palavra de cura, salvação e libertação. Esse Ministério tem obedecido ao chamado do Senhor, venha fazer parte desse trabalho com sua oração. 

sábado, 25 de julho de 2015

JESUS NO CASAMENTO

"E, ao terceiro dia, fizeram-se umas bodas em Caná da Galiléia; e estava ali a mãe de Jesus. E foi também convidado Jesus e os seus discípulos para as bodas." (João 2:1-2)

 A Bíblia nos relata que Jesus foi convidado para uma festa, uma cerimônia de casamento, e tudo leva a crer que era um parente de Maria. O Senhor compareceu com os seus discípulos, o que para nós é de extrema relevância, pois mostra que, além das festas religiosas judaicas, é a única que a Bíblia cita que Jesus compareceu. Tudo isso serve para que entendamos o significado, a seriedade do casamento diante do Senhor, e, mais ainda, pois iremos entender que foi onde Ele realmente começou o seu ministério, porque até então Jesus não tinha operado nenhum milagre ou sinal. "E, faltando vinho, a mãe de Jesus lhe disse: Não têm vinho. Disse-lhe Jesus: Mulher, que tenho eu contigo? Ainda não é chegada a minha hora."(João 2:3-4). A celebração de um casamento naquela região era um evento muito importante e podia durar uma semana. Deixar de oferecer a devida hospitalidade era defeito grave. Maria vai até Jesus informando que o vinho tinha acabado, na verdade pedindo ajuda, mas vemos que Jesus disse a ela que a sua hora não tinha chegado, e realmente ela só chegou na Cruz do Calvário. Jesus também nos mostra outro sinal, não desmerecendo ou desrespeitando Maria, mas mostrando que ela nada podia fazer e que ela não era intercessora de ninguém. Veremos também que o Espírito Santo, usando Maria, mostra que, para ser atendido pelo Senhor, basta obedecer, fazer tudo o que Ele mandar. Basta viver o Evangelho, a sua Palavra. Aqui é uma grande revelação, Jesus mostrando que Maria era simplesmente uma mulher como todas as outras, e ela mostrando que, para recebermos, devemos obedecer. Jesus fala: "o que tenho eu contigo", ou seja, o Filho de Deus não tinha nada com ela, não lhe obedecia, pois Ele era Deus, Ele não atendia, pois ela era mãe carnal, não a espiritual, e Ele só obedecia a Deus. Devemos entender que Maria foi uma mulher extremamente abençoada, pois teve a honra de gerar o Filho de Deus, o Salvador, mas isso não a transformou em alguém que pudesse interferir a favor de quem quer que seja. Jesus deixou isto bem claro várias vezes quando falou que os felizes e abençoados eram os que ouviam e praticavam a sua Palavra.
 "Sua mãe disse aos serventes: Fazei tudo quanto ele vos disser." (João 2:5). Depois de uma resposta supostamente dura de Jesus, ela manda que os servos façam tudo o que Jesus mandar, mas ela estava falando não só para aqueles, e sim para todos. Ela, sendo usada pelo Espírito, nos dá o ensinamento a respeito de obediência aos preceitos, às ordenanças de Cristo. Se quisermos receber alguma coisa do Senhor, se precisamos do milagre do Socorro, então façamos tudo o que Ele manda. "E estavam ali postas seis talhas de pedra, para as purificações dos judeus, e em cada uma cabiam dois ou três almudes. Disse-lhes Jesus: Enchei de água essas talhas. E encheram-nas até em cima." (João 2:6-7). Os judeus ficavam impuros nas circunstâncias normais da vida diária, sendo purificados ao derramar água sobre as mãos. Para uma festa prolongada com muitos hóspedes, era necessária uma grande quantidade de água para esse fim. No Velho Testamento, há duas palavras hebraicas geralmente empregadas para designar o vinho: YAYIN, que se refere ao suco fermentado de uvas, e TIROSH, que se refere ao vinho doce, fresco, sem fermento, não alcoolizado. Por exemplo, em vários livros da Bíblia se emprega a palavra YAYIN, vinho fermentado. Há um caso curioso em Isaías 25:6 sobre vinho clarificado, sem borras. Era um vinho que devia ser filtrado antes de ser usado. A palavra TIROSH geralmente designa suco de uvas ou outras frutas, embora, algumas vezes e raramente, indique mosto, que é o suco em fase de fermentação. Assim fica entendido que, nesse caso, a designação para o vinho não era a bebida alcoólica conhecida nossa. Jesus não transformou água em bebida alcoólica, que isto fique claro. "E disse-lhes: Tirai agora, e levai ao mestre-sala. E levaram. E, logo que o mestre-sala provou a água feita vinho (não sabendo de onde viera, se bem que o sabiam os serventes que tinham tirado a água), chamou o mestre-sala ao esposo, E disse-lhe: Todo o homem põe primeiro o vinho bom e, quando já têm bebido bem, então o inferior; mas tu guardaste até agora o bom vinho." (João 2:8-10). A água que Jesus transformou em vinho, ou suco, foi de uma qualidade fora do comum, superior. Esse foi o primeiro milagre, e Jesus fez isso para nos mostrar que Ele transforma tudo o que vem a Ele. Todos os que o ouvir são transformados de maneira surpreendente e em pessoas inigualáveis. O primeiro milagre foi a transformação, não podemos esquecer-nos disso jamais., Ele é o transformador.
 "Jesus principiou assim os seus sinais em Caná da Galiléia, e manifestou a sua glória; e os seus discípulos creram Nele.
Depois disto desceu a Cafarnaum, Ele, e sua mãe, e seus irmãos, e seus discípulos; e ficaram ali não muitos dias." (João 2:11-12).
 Jesus iniciou o seu ministério de milagres e sinais em uma festa de casamento em Caná da Galiléia, foi ali que Ele mostrou o seu Poder, revelou-se ao mundo. Isso nos mostra a seriedade do casamento para o Senhor. Ele iniciou o ministério que poderia ter sido no templo ou em outro lugar qualquer, mas escolheu o casamento. A partir de então, os seus discípulos começaram de fato a crer Nele, e juntos seguiram para Jerusalém, em direção ao templo. "E estava próxima a páscoa dos judeus, e Jesus subiu a Jerusalém. E achou no templo os que vendiam bois, e ovelhas, e pombos, e os cambiadores assentados." (João 2:13-14). Como naquela época exigiam-se sacrifícios, holocaustos e ofertas para apresentação de crianças e outras, os judeus que vinham de lugares muito distantes precisavam comprar animais sacrificiais perto do templo. Os mercadores, no entanto, estavam vendendo no átrio exterior do templo, portanto fora do templo. Também havia os cambistas, porque muitas moedas tinham que ser trocadas por dinheiro aceitável pelas autoridades do templo, e isso exigia a presença de cambista, mas não podiam estar no templo nem nos arredores. Seria o equivalente a vendas de CDs, DVDs, livros, bíblias e outras coisas que são comercializadas hoje em dia dentro dos templos, dentro das igrejas. "E tendo feito um azorrague de cordéis, lançou todos fora do templo, também os bois e ovelhas; e espalhou o dinheiro dos cambiadores, e derribou as mesas; E disse aos que vendiam pombos: Tirai daqui estes, e não façais da casa de meu Pai casa de venda." (João 2:15-16). (Azorrague de cordéis é um açoite de várias correias trançadas, atadas a um pau, ou de uma correia só, com que os cocheiros tangem as bestas. Também classificado como castigo, flagelo. Cordel é uma corda fina, baraça, baraço, barbante, guita). Então, resumindo, Jesus chicoteava com um azorrague de cordéis. Portanto, o segundo sinal de Jesus foi fazer um chicote e expulsar do átrio do templo os comerciantes da fé. Jesus os expulsou de forma violenta, e como sabemos que Ele é o mesmo ontem, hoje e sempre, então continua expulsando da sua presença todos os comerciantes da Fé, todos os que por motivos vários fazem qualquer tipo de comércio dentro do templo ou na porta, tanto quem compra quanto quem vende. Templos, igrejas que têm lojas, cantinas que vendem todo o tipo de coisa dizendo que é para abençoar, será que estão na presença do Senhor, ou já foram expulsos e ainda não perceberam? Jesus, no início do seu ministério, a primeira vez que foi ao templo, fez uma limpeza expulsando os comerciantes da fé. "E os seus discípulos lembraram-se do que está escrito: O zelo da tua casa me devorou." (João 2:17). 
Leiam e pratiquem a Bíblia. Que Deus os abençoe.
 Um abraço,
 Pr.Henrique Lino 
 Se voce está passando por problemas na sua vida espiritual, familiar, profissional, sentimental, com filhos em situação de risco, envolvimento com drogas, homossexualismo, ou em processo de separação, divorcio, traído(a) abandonado(a) entre em contato conosco.O Ministério Atalaia do Evangelho de Deus está a sua disposição dia e noite para aconselhamento, oração, e interseção e orientação, e cobertura espiritual. 
Visitem nosso site www.atalaiadedeus.com.br - O Ministério Atalaia do Evangelho de Deus tem como objetivo levar a Palavra de Deus. Trabalha voluntariamente com assistência as famílias, para restaurar casamentos e orientação espiritual a todo aquele que necessita de uma Palavra de cura, salvação e libertação. Esse Ministério tem obedecido ao chamado do Senhor, venha fazer parte desse trabalho com sua oração. 

sexta-feira, 24 de julho de 2015

PASSEANDO NO TEMPLO

E em Jerusalém havia a festa da dedicação, e era inverno. E Jesus andava passeando no templo, no alpendre de Salomão." (João 10:22-23)

 A festa da dedicação (Hanukkah) é a comemoração da dedicação do templo. A Bíblia faz questão de ressaltar que era inverno quando aconteceu essa festa. Naquele dia, Jesus estava passeando no templo, estava no alpendre de Salomão, uma estrutura com teto, algo semelhante a um pórtico grego que, em geral, embora erroneamente, se acreditava remontar aos tempos de Salomão. Jesus estava passeando nesse local que, por sinal, ficava distante do altar. Observamos que o Senhor não buscava lugar de destaque, até mesmo lugares mais tranquilos e sem chamar a atenção. "Rodearam-no, pois, os judeus, e disseram-lhe: Até quando terás a nossa alma suspensa? Se tu és o Cristo, dize-no-lo abertamente." (João 10:24). Mas, mesmo nos lugares mais discretos, os perseguidores o buscavam para acusá-lo e persegui-lo. Os judeus o cercaram e perguntaram se Ele iria ou não confirmar se era o Filho de Deus, mas não fazem essa pergunta com o intuito de saber a verdade, e sim para formalizar uma acusação ou desmoralizá-lo, porque Jesus já tinha declarado que Ele era o Filho de Deus, mas o que eles queriam era que Jesus confessasse para eles, assim poderiam ter a desculpa para apedrejá-lo, matá-lo, alegando que Ele, um humano, se fez filho de Deus. Ou se ele por medo dissesse que não era, então poderiam desmoralizá-lo dizendo que não era nada, somente um falastrão. Esse questionamento é simplesmente mais um dos que vemos no Evangelho, pois durante todo o tempo esses judeus, os fariseus, tentaram armar ciladas, jogos de palavras para o pegar, e no final, não o conseguindo, conseguiram testemunhas falsas para o levar a um julgamento ilegal e condená-lo. "Respondeu-lhes Jesus: Já vô-lo tenho dito, e não o credes. As obras que eu faço, em nome de meu Pai, essas testificam de mim." (João 10:25). Jesus respondeu de maneira direta, repetindo e afirmando que Ele já tinha dito isso, Jesus já tinha falado, demonstrado com Poder que Ele era o Filho de Deus, o Messias, o esperado. Disse ainda que tudo o que Ele fazia, os inúmeros milagres, os sinais, Ele não o fazia por Ele mesmo, mas pelo Pai, mesmo porque nem em Israel e em nenhuma parte do mundo tinham visto pessoa alguma fazer tantos sinais como Ele fazia. E já tinha deixado bem claro que o que fazia não era por Ele, mas por Deus, que habitava Nele.
 "Mas vós não credes porque não sois das minhas ovelhas, como já vô-lo tenho dito. As minhas ovelhas ouvem a minha voz, e eu conheço-as, e elas me seguem; E dou-lhes a vida eterna, e nunca hão de perecer, e ninguém as arrebatará da minha mão." (João 10:26-28). Jesus fala que eles não acreditam Nele porque não são ovelhas do seu rebanho, porque não são pessoas convertidas, não conhecem Deus, pois, se o conhecessem, conheceriam o seu Filho. Assim são muitos os que falam, ou melhor, citam o nome de Deus, falam que conhecem Jesus, que Deus está em toda parte e em todas as religiões, mas são pessoas que não o conhecem e nunca o viram. São pessoas que nada têm com o Reino de Deus nem com Jesus, por não serem ovelhas do seu pasto. Não é por ser religioso, por frequentar um templo denominacional qualquer que as pessoas se transformam em servos, filhos de Deus. Os que são filhos de Deus, são irmãos de Jesus e o conhecem e o seguem, por Ele são protegidos. Muitos dos que se dizem filhos de Deus nunca o viram e nem o conheceram e não têm parte no seu Reino, são pessoas inimigas, são lobos. Os verdadeiros, os que o conhecem, os que creem na sua Palavra não ficam questionando várias vezes, mas ouvem e sabem que foi Ele quem falou, e por isso colocam em prática as suas ordenanças. Esses têm proteção, cuidados e desfrutam do amor do Pai, e Jesus se manifesta neles. Jesus afirmou àqueles judeus que eles não eram suas ovelhas. "Meu Pai, que mas deu, é maior do que todos; e ninguém pode arrebatá-las da mão de meu Pai. Eu e o Pai somos um."(João 10:29-30). Os que ouvem e seguem Jesus, independentemente de qualquer coisa, são suas ovelhas, e ninguém, nenhum lobo consegue arrebatá-las das suas mãos. Por isso, todos os que dizem que estiveram na presença do Senhor e saíram, se desviaram, não eram do Senhor, porque, se eles se desviaram, não eram ovelhas. Se foram para o mundo, se eles se desviaram, é porque o lobo os arrebatou, e, se isso aconteceu, não eram ovelhas do Senhor, uma vez que as suas ovelhas são protegidas por Ele, e nenhum lobo pode tirá-las Dele. Pessoas dúbias, que estão em igrejas, que falam que são convertidas, mas que ficam olhando para o mundo, e que por qualquer motivo se afastam da presença do Senhor e vão para o mundo, a bem da verdade, nunca se converteram. Sabemos que a maioria dos que se dizem crentes, evangélicos, nada mais são do que religiosos, pois frequentam somente uma congregação, mas os seus pensamentos e ações são mundanos e contrários à Palavra de Deus.
 "Os judeus pegaram então outra vez em pedras para o apedrejar."(João 10:31). Esses judeus, ao serem confrontados, e Jesus afirmar que eles não eram ovelhas, pegaram em pedras com o objetivo de apedrejá-lo até a morte, e depois se esconderiam na lei mosaica, dizendo que foi por Ele ter dito que era filho de Deus. Mas o que eles não entendiam era que Jesus não era somente o Filho de Deus como era o próprio Deus. Os religiosos não queriam ser contrariados, não queriam que fosse revelado que não eram filhos de Deus e que não conheciam o Senhor. Tentaram matar com pedradas o Filho de Deus por ignorância, por amarem a lei e desprezarem Deus, por serem mundanos. Mundanos, porque só quem vive no mundo é que busca pretexto para usar a Palavra para agradá-lo ou ter permissão para fazer o que o Senhor condena. Todos os que tentam mudar a Palavra de Deus, ou alegar uma misericórdia que não existe, não são filhos de Deus, nem fazem parte do rebanho de Jesus, eles são os que com pedras querem apedrejar o Senhor. "Respondeu-lhes Jesus: Tenho-vos mostrado muitas obras boas procedentes de meu Pai; por qual destas obras me apedrejais?" (João 10:32). Jesus ainda questiona por qual obra queriam apedrejá-lo, assim Ele continua perguntando a todos os que querem apedrejá-lo. E todos os que não aceitam o seu Evangelho, que o distorcem, que tentam fazê-lo ser somente um profeta, os que o colocam em imagens, os que adoram ídolos e ainda falam que amam Deus, são religiosos e apedrejadores de Cristo. Todos os que dizem que não gostam Dele por este ou aquele motivo, os que dizem que não se convertem por discordarem Dele neste ou naquele assunto, todos os que não se submetem a Ele são os que não são ovelhas e não têm parte no Reino. "Os judeus responderam, dizendo-lhe: Não te apedrejamos por alguma obra boa, mas pela blasfêmia; porque, sendo tu homem, te fazes Deus a ti mesmo." (João 10:33). Jesus era o Filho de Deus e era o próprio Deus, e por mostrar isso não só com palavras, mas, principalmente, Poder, eles disseram que queriam matá-lo. Os que queriam fazer isso diziam que eram praticantes da Palavra, da lei mosaica, mas, se eles realmente o fossem, não poderiam jamais alegar esse motivo para querer matá-lo, e Jesus mostra isso. "Respondeu-lhes Jesus: Não está escrito na vossa lei: Eu disse: Sois deuses?"(10:34). A Palavra diz que fomos feitos à imagem e semelhança de Deus, portanto os homens são pequenos deuses, porque os filhos de peixe peixinhos são, assim os filhos de Deus são pequenos deuses. "Pois, se a lei chamou deuses àqueles a quem a palavra de Deus foi dirigida, e a Escritura não pode ser anulada, «aquele a quem o Pai santificou, e enviou ao mundo, vós dizeis: Blasfemas, porque disse: Sou Filho de Deus?"(João 10:35-36). Se a Palavra diz isso e ela não pode ser mudada, então todos os homens, filhos de Deus, são pequenos deuses, por esse motivo eles realizam milagres e prodígios no Nome de Jesus. Mas se Deus disse que são deuses, então o Filho Dele, que foi ungido e consagrado por Ele, não pode ser questionado. "Se não faço as obras de meu Pai, não me acrediteis. Mas, se as faço, e não credes em mim, crede nas obras; para que conheçais e acrediteis que o Pai está em mim e eu Nele." (João 10:37-38).
 Leiam e pratiquem a Bíblia. Que Deus os abençoe.
 Um abraço,
 Pr.Henrique Lino
 Se voce está passando por problemas na sua vida espiritual, familiar, profissional, sentimental, com filhos em situação de risco, envolvimento com drogas, homossexualismo, ou em processo de separação, divorcio, traído(a) abandonado(a) entre em contato conosco.O Ministério Atalaia do Evangelho de Deus está a sua disposição dia e noite para aconselhamento, oração, e interseção e orientação, e cobertura espiritual. 
Visitem nosso site www.atalaiadedeus.com.br - O Ministério Atalaia do Evangelho de Deus tem como objetivo levar a Palavra de Deus. Trabalha voluntariamente com assistência as famílias, para restaurar casamentos e orientação espiritual a todo aquele que necessita de uma Palavra de cura, salvação e libertação. Esse Ministério tem obedecido ao chamado do Senhor, venha fazer parte desse trabalho com sua oração. 

quinta-feira, 23 de julho de 2015

PERFEIÇÃO E SACERDÓCIO

"De sorte que, se a perfeição fosse pelo sacerdócio levítico (porque sob ele o povo recebeu a lei), que necessidade havia logo de que outro sacerdote se levantasse, segundo a ordem de Melquisedeque, e não fosse chamado segundo a ordem de Arão?" (Hebreus 7:11)

 Muitos gostam de tentar seguir a lei, praticar os ensinamentos da lei mosaica, digo tentam, porque ninguém realmente consegue segui-la por completo, e, como a própria lei diz, maldito todo aquele que não a praticar por inteiro. Há várias religiões, seitas que tudo fazem para praticar parte da lei, apesar de acrescentarem novidades, e também da Graça, ou seja, fazem remendo e acham que estão corretos. Muitos criaram ensinamentos heréticos fundamentados em parte na lei mosaica. Mas o que temos que entender é que, se a lei dada por Moisés fosse perfeita, não haveria necessidade de Jesus ter vindo. Moisés, Arão eram da tribo de Levi, por tal motivo é que se fala ensinamentos levíticos. Jesus, o Supremo Sacerdote, não veio da família de Levi, mas Ele é chamado de Sacerdote da ordem de Melquisedeque, que foi um sacerdote enviado por Deus para abençoar e receber o dízimo de Abraão quando ainda não existia lei nem determinação sobre a obediência dos dízimos. Portanto, o sacerdócio não é da tribo de Levi, mas do Senhor, pois, quando Deus enviou Melquisedeque para abençoar Abrão, os patriarcas Isaque e Jacó não sonhavam em existir, havia somente a promessa do Senhor sobre Abrão. Existem diferenças gritantes entre a lei e a Graça. "Porque, mudando-se o sacerdócio, necessariamente se faz também mudança da lei. Porque aquele de quem estas coisas se dizem pertence a outra tribo, da qual ninguém serviu ao altar.(Hebreus 7:12-13). Quando se muda a lei, obrigatoriamente se muda o sacerdócio; assim, quando Jesus veio na lei, e ela se cumpriu integralmente Nele, teve início uma nova lei, Novo Sacerdócio. A antiga aliança finalizou em Jesus, o Antigo Testamento, e começou o Novo Testamento, Nova aliança, que só teve valor a partir da morte daquele que a fez. Assim começou a Nova Aliança, que não procede de Levi, e ninguém jamais até então tinha servido no altar, porque o Sacerdócio Dele não tinha sido exercido no mundo.
 "Visto ser manifesto que nosso Senhor procedeu de Judá, e concernente a essa tribo nunca Moisés falou de sacerdócio." (Hebreus 7:14). A descendência terrena de Jesus era da tribo de Judá e não a de Levi, como era exigido para participar do sacerdócio. Segundo a lei, somente as pessoas da tribo de Levi podiam cuidar de qualquer coisa relacionada ao sacerdócio, assim todos os que ministravam, cuidavam, transportavam, todos os que faziam qualquer coisa pelo templo, ministério, eram da tribo de Levi. Jesus veio de outra tribo, exatamente para ficar claro que era um Novo Sacerdócio, mas que o antigo conduzia para Ele. Se observarmos, veremos que o Senhor extinguiu as observâncias do sábado e dos oferecimentos de sacrifícios e holocaustos, que eliminou a lei do olho por olho e dente por dente, o que na época da lei deveria ser cumprido sob pena de ser apedrejado até a morte. Portanto, não se pode querer cumprir parte da antiga lei que é obsoleta, mas praticar a Graça e os ensinamentos, o Evangelho de Jesus Cristo. Jesus deixou bem claro que não se pode colocar remendos novos em vestes velhas, nem vinho novo em odres velhos, pois se rompem. Assim, Ele está dizendo que não adianta, não se pode tentar cumprir a lei na época da Graça. "E muito mais manifesto é ainda, se à semelhança de Melquisedeque se levantar outro sacerdote, Que não foi feito segundo a lei do mandamento carnal, mas segundo a virtude da vida incorruptível." (Hebreus 7:15-16). Melquisedeque, que foi o sacerdote que surgiu para abençoar Abrão, não tinha genealogia conhecida, porque ele representava, prefigurava Jesus, que viria milhares de anos depois. Assim, a Nova aliança já estava determinada por Deus há muitos anos diante da fraqueza da lei que apontava o pecado, mas não o eliminava, e os seus mandamentos só serviam para os encobrir até a nova aliança. "Sem pai, sem mãe, sem genealogia, não tendo princípio de dias nem fim de vida, mas sendo feito semelhante ao Filho de Deus, permanece sacerdote para sempre." (Hebreus 7:3). E mais: "E Melquisedeque, rei de Salém, trouxe pão e vinho; e era este sacerdote do Deus Altíssimo.E abençoou-o, e disse: Bendito seja Abrão pelo Deus Altíssimo, o Possuidor dos céus e da terra; E bendito seja o Deus Altíssimo, que entregou os teus inimigos nas tuas mãos. E Abrão deu-lhe o dízimo de tudo." (Gênesis 14:18-20). Jesus é o Sacerdote da ordem de Melquisedeque, porque, quando ainda não existiam os patriarcas, ou o patriarca Levi, Ele já existia, antes de Judá Ele já existia, e o primeiro sacerdote bíblico foi Jesus, que era Melquisedeque.
 "Porque ele assim testifica: Tu és sacerdote eternamente, Segundo a ordem de Melquisedeque." (Hebreus 7:17). Jesus estava com Deus desde o início na Criação, e durante todo o tempo foi o primeiro Sacerdote. Cristo é Sacerdote Eterno, portanto, ao assumir o ministério terreno, invalidou a antiga lei, que foi criada posteriormente à inauguração do seu Sacerdócio. Por toda a eternidade, o nosso Sacerdote é o Senhor Jesus Cristo, que ofereceu o Sacrifício Real uma única vez por todos nós. Assim como na antiga lei só podia haver um supremo sacerdote, Jesus veio e mostrou que somente Ele é o Supremo Sacerdote. "Porque o precedente mandamento é ab-rogado por causa da sua fraqueza e inutilidade (Pois a lei nenhuma coisa aperfeiçoou) e desta sorte é introduzida uma melhor esperança, pela qual chegamos a Deus." (Hebreus 7:18-19). A ordenança anterior foi revogada, porque era inútil e fraca; revogação quer dizer cancelamento, extinção, e é exatamente isto que quer dizer ab-rogado. A antiga lei foi cancelada, ela se finalizou em Jesus, portanto não cabe a ninguém tentar praticá-la, mesmo porque sabemos que a lei e os profetas se cumpriram em Jesus. Temos que viver, praticar o Evangelho de Jesus Cristo e não buscar uma facilidade da antiga aliança, porque, para que se faça isso, é necessário que se cumpra ela por inteiro, como Jesus cumpriu. Se a lei fosse perfeita, não haveria necessidade de uma Nova Aliança, um Novo Testamento, mas exatamente pela sua falibilidade que foi necessária. A lei Mosaica não conduzia ninguém a Deus, mas a Nova é Deus, e é o único meio que se chega a Deus. Jesus é o único Caminho que nos conduz ao Pai, e, para irmos por Ele, é necessário simplesmente praticar o seu Evangelho, que é Ele próprio, porque Ele é o Verbo, a Palavra, e, se a cumprirmos, estamos obedecendo e andando no Caminho. Todo sacerdote baseia-se no seu juramento, e com Jesus não foi diferente, porque foi ungido, consagrado pelo Pai como Sumo Sacerdote para toda a eternidade e nos entregou a Ele." E visto como não é sem prestar juramento (porque certamente aqueles, sem juramento, foram feitos sacerdotes, Mas este com juramento por aquele que lhe disse: Jurou o Senhor, e não se arrependerá; Tu és sacerdote eternamente, Segundo a ordem de Melquisedeque, De tanto melhor aliança Jesus foi feito fiador."(Hebreus 7:20-22).Jesus é o nosso fiador, e, como fomos entregues a Ele, seremos submetidos ao seu julgamento, e no Dia do Juízo todos compareceremos diante Dele. Assim, quem não aceitou a sua Aliança, seu Testamento será por Ele julgado e condenado, porque desprezou o Sacrifício da Cruz, o Sangue da Nova Aliança. "E, na verdade, aqueles foram feitos sacerdotes em grande número, porque pela morte foram impedidos de permanecer, Mas este, porque permanece eternamente, tem um sacerdócio perpétuo. Portanto, pode também salvar perfeitamente os que por Ele se chegam a Deus, vivendo sempre para interceder por eles. Porque nos convinha tal Sumo Sacerdote, Santo, Inocente, Imaculado, Separado dos pecadores, e feito mais sublime do que os céus; Que não necessitasse, como os sumos sacerdotes, de oferecer cada dia sacrifícios, primeiramente por seus próprios pecados, e depois pelos do povo; porque isto fez Ele, uma vez, oferecendo-se a si mesmo. Porque a lei constitui sumos sacerdotes a homens fracos, mas a palavra do juramento, que veio depois da lei, constitui ao Filho, perfeito para sempre."(Hebreus 7:23-28). 
Leiam e pratiquem a Bíblia. Que Deus os abençoe.
 Um abraço,
 Pr.Henrique Lino 
 Se voce está passando por problemas na sua vida espiritual, familiar, profissional, sentimental, com filhos em situação de risco, envolvimento com drogas, homossexualismo, ou em processo de separação, divorcio, traído(a) abandonado(a) entre em contato conosco.O Ministério Atalaia do Evangelho de Deus está a sua disposição dia e noite para aconselhamento, oração, e interseção e orientação, e cobertura espiritual. 
Visitem nosso site www.atalaiadedeus.com.br - O Ministério Atalaia do Evangelho de Deus tem como objetivo levar a Palavra de Deus. Trabalha voluntariamente com assistência as famílias, para restaurar casamentos e orientação espiritual a todo aquele que necessita de uma Palavra de cura, salvação e libertação. Esse Ministério tem obedecido ao chamado do Senhor, venha fazer parte desse trabalho com sua oração.