EVANGELIZAR.

NESTE BLOG DISPONIBILIZAMOS MENSAGENS CRISTÃS SEGUNDO A BIBLIA. FALAMOS DOS ESTATUTOS DO REINO DE DEUS.

segunda-feira, 30 de novembro de 2015

SAL E LUZ

"Vós sois o sal da terra; e se o sal for insípido, com que se há de salgar? Para nada mais presta senão para se lançar fora, e ser pisado pelos homens."(Mateus 5:13)

 Jesus compara o cristão ao sal, mostrando que é impossível o verdadeiro cristão não se sobressair, não fazer a diferença. Assim como é o sal o principal tempero, é o que dá gosto à comida e faz realçar o sabor dos alimentos, nós também temos a função de fazer realçar, aparecer o que as pessoas têm de melhor, levando até elas o Evangelho de Jesus Cristo. E assim, quando se convertem, também passam a ser sal. O sal que não salga para nada presta, por isso sabemos que temos que ser um sal forte em sabor. Cristão faz a diferença, não tem como se misturar, pois todos percebem que ele não é igual. O comportamento, a fala, a maneira de agir do cristão, do discípulo de Jesus é totalmente diferente do mundo, assim não é possível se misturar, e todos o reconhecem e o identificam. Não importa se somos reconhecidos e criticados, perseguidos, o fato é que somos diferentes. Mas quando, para agradar o mundo, os que se dizem cristãos começam a agir igual às pessoas que não conhecem o Senhor, então já não servem para nada, a não ser para serem jogados fora, assim como o sal insípido."Vós sois a luz do mundo; não se pode esconder uma cidade edificada sobre um monte;
Nem se acende a candeia e se coloca debaixo do alqueire, mas no velador, e dá luz a todos que estão na casa." (Mateus 5:14:15).
 Ser a luz do mundo, ser uma luz no mundo que jaz nas trevas, que vive na escuridão, essa é a nossa função, porque onde existe escuridão e chega a luz, se acende a luz, acaba a escuridão e tudo se torna claro, então existe conhecimento de tudo o que existe no local. Portanto, a nossa obrigação como cristãos é fazer a diferença, é sermos reconhecidos como discípulos de Jesus. Não por ficarmos insistindo com as pessoas para irem à igreja, mas por falarmos de Jesus e vivermos de maneira diferente e pacífica. "Assim resplandeça a vossa luz diante dos homens, para que vejam as vossas boas obras e glorifiquem a vosso Pai, que está nos céus." (Mateus 5:16). Temos que fazer a diferença se somos realmente cristãos, e não somente faladores, religiosos; temos a obrigação de apresentar Jesus a todo o tempo. Temos que apresentar a Verdadeira Luz, que ilumina todos e que nada lhe é oculto.
 "Não cuideis que vim destruir a lei ou os profetas: não vim ab-rogar, mas cumprir." (Mateus 5:17). Jesus não veio na rebeldia, não veio como um anarquista, ao contrário, veio para cumprir a lei. Jesus cumpriu toda a lei e foi o único que conseguiu tal coisa e fez isso por nós, e por tal motivo conseguiu nos dar o direito à salvação. Todos os profetas antes falavam a seu respeito, todos eles mostravam que o Messias viria e salvaria o povo. A lei que Moisés entregou conduzia para Jesus, e Ele veio e tudo se cumpriu. Jesus é o nosso exemplo de obediência, assim não cabe criticar a antiga lei que teve um papel fundamental. Ela foi o caminho, foi o aio que conduziu a Cristo, mas agora temos o Senhor, temos que cumprir a sua lei. Temos que cumprir o Novo Testamento, a Nova Aliança feita no Sangue de Cristo. "Porque em verdade vos digo que, até que o céu e a terra passem, nem um jota ou um til jamais passará da lei, sem que tudo seja cumprido."(Mateus 5:18). Nada pode ser tirado ou acrescentado do Evangelho, assim como a antiga lei, o til é o menor sinal da língua hebraica, e, apesar da dor, sofrimento, humilhação por que teve que passar, Jesus se submeteu e tudo se cumpriu. Quando Ele fez essa afirmação, foi ainda no início do seu ministério e sabia o que passaria. Ele não fugiu, não permitiu alteração e se submeteu a tudo e morreu como estava escrito a seu respeito, as profecias se cumpriram Nele. A Palavra de Deus é perfeita, é maravilhosa, e se cumpre em todos os sentidos, se cumpriu na vida de Jesus em nosso benefício e se cumprirá em nós também. O que importa é a nossa obediência, assim como o nosso mestre foi obediente até a morte e de Cruz. "Qualquer, pois, que violar um destes mandamentos, por menor que seja, e assim ensinar aos homens, será chamado o menor no Reino dos céus; aquele, porém, que os cumprir e ensinar será chamado grande no Reino dos céus."(Mateus 5:19). Mas os que vivem e pregam um Evangelho diferente, tentando aplicar uma velha lei que se cumpriu em Jesus, estão conduzindo o rebanho ao matadouro, para onde irão junto com ele, porque não se pode omitir a Verdade, nem invalidar o Sacrifício da Cruz, não se pode desprezar o que o Senhor sofreu em nosso lugar. Assim, temos a obrigação de ensinar a verdade, ensinar Jesus, porque, caso contrário, seremos pequeninos. Mas seremos grandes se ensinarmos a Verdade, ensinarmos Jesus, ensinarmos o Evangelho, mostrarmos que vivemos não na lei, mas na Graça Salvífica do Senhor.
 "Porque vos digo que, se a vossa justiça não exceder a dos escribas e fariseus, de modo nenhum entrareis no Reino dos céus." (Mateus 5:20). Se formos iguais, ou se quisermos ser iguais a todos, não conhecemos o Senhor, porque é a nossa obrigação sermos diferentes, sermos o sal, a luz do mundo. Temos que apresentar o Senhor pelo nosso caráter, pela nossa maneira de agir, de nos portar em toda a parte, não como religiosos que muito falam, mas se misturam em comportamento. Temos que ser acima da média, sermos apontados como pessoas diferentes, se quisermos ter vida abundante. Se não formos diferentes, não seremos cidadãos do Reino, não viveremos segundo os estatutos do Reino. Não podemos ter medo de ser diferentes, de sermos apontados e criticados pelo mundo, temos que buscar aprovação somente do Senhor. Não se pode querer agradar pessoas e o Senhor, não se pode viver no mundo para o mundo e querer servir o Senhor. O amor ao mundo é a inimizade com Deus. O discípulo de Jesus não se envolve com negócios deste mundo, porque vive em função do Reino, assim a nossa justiça, o nosso senso de justiça é superior, porque é do Reino. "Ouvistes que foi dito aos antigos: Não matarás; mas qualquer que matar será réu de juízo." (Mateus 5:21). Jesus mostra alguns exemplos da Justiça de Deus, e como devemos praticá-la, porque a antiga lei dizia "não matarás", e é condenado todo aquele que tirar a vida do seu semelhante. Mas temos que entender o que é ser sal, ser luz agora, fazer a diferença, agir em conformidade com o Evangelho. "Eu, porém, vos digo que qualquer que, sem motivo, se encolerizar contra seu irmão, será réu de juízo; e qualquer que disser a seu irmão: Raca, será réu do sinédrio; e qualquer que lhe disser: Louco, será réu do fogo do inferno."(Mateus 5:22). Na antiga lei e na lei dos homens, do mundo, a pessoa só é considerada homicida se matar alguém, mas, na nova lei de Deus, na lei da Graça, do Evangelho de Jesus Cristo, só em chamar alguém de tolo, bobo (Raca), só pelas nossas palavras seremos lançados no inferno. A Graça, Jesus não veio para nos dar liberdade de agir segundo o nosso querer ou entendimento, e sim liberdade de escolher viver ou morrer, obedecer ou se rebelar. E obedecer é ser luz, ser sal, é saber que não podemos fazer nada contra ninguém que não queremos que faça a nós mesmos. Portanto, a nossa justiça tem que ser superior a todos, porque conhecemos Cristo e sabemos que não temos outro caminho a não ser obedecer, para termos vidas. "Portanto, se trouxeres a tua oferta ao altar, e aí te lembrares de que teu irmão tem alguma coisa contra ti, Deixa ali diante do altar a tua oferta, e vai reconciliar-te primeiro com teu irmão e, depois, vem e apresenta a tua oferta. Concilia-te depressa com o teu adversário, enquanto estás no caminho com ele, para que não aconteça que o adversário te entregue ao juiz, e o juiz te entregue ao oficial, e te encerrem na prisão. Em verdade te digo que de maneira nenhuma sairás dali enquanto não pagares o último ceitil." (Mateus 5:23-26). 
Leiam e pratiquem a Bíblia. Que Deus os abençoe.
 Um abraço,
 Pr.Henrique Lino
 Se voce está passando por problemas na sua vida espiritual, familiar, profissional, sentimental, com filhos em situação de risco, envolvimento com drogas, homossexualismo, ou em processo de separação, divorcio, traído(a) abandonado(a) entre em contato conosco.O Ministério Atalaia do Evangelho de Deus está a sua disposição dia e noite para aconselhamento, oração, e interseção e orientação, e cobertura espiritual. Visitem nosso site www.atalaiadedeus.com.br - O Ministério Atalaia do Evangelho de Deus tem como objetivo levar a Palavra de Deus. Trabalha voluntariamente com assistência as famílias, para restaurar casamentos e orientação espiritual a todo aquele que necessita de uma Palavra de cura, salvação e libertação. Esse Ministério tem obedecido ao chamado do Senhor, venha fazer parte desse trabalho com sua oração. 

domingo, 29 de novembro de 2015

QUANDO CHEGOU

"E, achando-o no outro lado do mar, disseram-lhe: Rabi, quando chegaste aqui?" (João 6:25)

 Jesus tinha multiplicado pães e alimentado cinco mil pessoas com cinco pães de cevada e dois peixinhos. Por esse motivo, a multidão o estava seguindo, mesmo porque tinham a intenção de levantá-lo como rei físico de Israel, uma vez que, no momento, os hebreus atravessavam momentos difíceis, e nada melhor do que ter um rei poderoso que dava alimento a eles. Só que eles não entendiam que Jesus não era esse tipo de rei. Mas foram atrás de Jesus e o encontraram do outro lado do lago de Genesare, ou mar de Tiberíades, e os seus discípulos o tinham visto andar sobre as águas. Assim, pelos motivos errados, também muitas vezes muitos de nós têm ido ao Senhor, porque estamos preocupados com as coisas físicas, materiais. "Jesus respondeu-lhes e disse: Na verdade, na verdade vos digo que me buscais, não pelos sinais que vistes, mas porque comestes do pão e vos saciastes." (João 6:26). Jesus lhes responde dizendo o porquê de eles o estarem procurando. Essa confrontação que o Senhor faz mostra os pensamentos destes. Muitos de nós buscamos o Senhor por causa de uma enfermidade, problemas nos relacionamentos, família, dificuldades na vida financeira ou em qualquer outra área. Isto faz com que muitos que vão em busca do Senhor por esses motivos, que são os motivos errados, geralmente não se convertam por inteiro, porque sempre acham que o Senhor tem a obrigação de atendê-los, abençoá-los, produzir milagres em suas vidas. Mas não pensam em praticar a obediência, em viver em santidade, em se entregar totalmente a suas vidas, porque temos que buscar o Senhor não pelo que Ele possa nos dar, mas por Ele ser Deus. Esquecem que não temos um Jesus bobinho ou tolinho, que podemos enganá-lo ou usá-lo, porque Ele conhece todos os nossos pensamentos e desejos, e, assim como Ele confrontou essas pessoas, também nos confrontará, e poderemos ser expulsos da sua presença por não sermos sinceros. "Trabalhai, não pela comida que perece, mas pela comida que permanece para a vida eterna, a qual o Filho do homem vos dará; porque a este o Pai, Deus, o selou." (João 6:27). Temos que trabalhar, lutar para estar em sua presença, para fazer a sua vontade, e, se Ele nos der alguma coisa, se Ele nos abençoar, é lucro, porque a maior bênção, o maior milagre que poderemos receber é a vida eterna ao seu lado. A nossa preocupação não pode ser com coisas materiais, com alimento perecível, mas com o alimento da alma.
 "Disseram-lhe, pois: Que faremos para executarmos as obras de Deus?" (João 6:28). As pessoas acham que o simples fato de estarem buscando o Senhor para receber uma bênção, buscando-o em momento de desespero já é o bastante. Mas fazer as obras de Deus é buscá-lo todo o tempo, é tudo fazer para agradá-lo, viver o Evangelho. Não é adoração, ou obras do Senhor, viver simplesmente pedindo, buscando alguma bênção. Não podemos ficar procurando o Senhor para receber alguma coisa, devemos buscá-lo para entregar a nossa verdadeira adoração, devoção, obediência. Temos que aprender a priorizá-lo, a entender que Ele é a nossa vida, e sem Ele nada somos ou temos, somos mortos vivos. "Jesus respondeu, e disse-lhes: A obra de Deus é esta: Que creiais naquele que ele enviou." (João 6:29). A obra de Deus é crer em Jesus, é acreditar que Cristo veio ao mundo como homem para sofrer e morrer em nosso lugar, para levar todos os nossos pecados, e assim nos dar vida eterna. Quem acredita vive de acordo com os seus preceitos e ordenanças porque sabe que somente vivendo Nele é que terá condições de alcançar a vida eterna. Quem crê em Jesus o ama e demonstra isso guardando os seus mandamentos. As pessoas que só vêm até Ele buscando bênçãos e milagres não creem Nele, não acreditam Nele como Filho de Deus. Acreditam Nele somente como alguém que pode e tem a obrigação de abençoá-los. São tolos. "Disseram-lhe, pois: Que sinal, pois, fazes tu, para que o vejamos, e creiamos em ti? Que operas tu?" (João 6:30). Esses o questionaram, quando confrontados, e sabemos que eles não tinham motivo para isso, mesmo porque eles mesmos tinham acabado de presenciar um milagre espantoso, afinal, ninguém nunca tinha multiplicado pães e peixes daquela forma e os alimentado. Não poderiam pedir sinal maior do que esse. Como eles, muitos, quando dentro dos templos, os que vieram somente buscar bênçãos, que vieram para receber algo, quando se fala em santidade, também questionam. Será que Deus não quer que sejam felizes? - porque eles associam a felicidade à desobediência, à liberdade de poderem viver nos erros, pecados e ainda receber os cuidados do Senhor. Eles querem que Jesus os entenda e os aceite, e que providencie a felicidade total para eles, caso contrário, não é Deus para eles.
 "Nossos pais comeram o maná no deserto, como está escrito: Deu-lhes a comer o pão do céu." (João 6:31).Fizeram uma referência ao maná que os hebreus receberam durante quarenta anos no deserto, mas eles esqueceram que o maná, o alimento foi Deus quem enviou, e não Moisés, e mesmo assim a maioria que comeu desse alimento morreu no mesmo deserto por causa da rebeldia, da desobediência, por não crer no Senhor. O fato de recebermos uma bênção do Senhor, receber milagres, o seu cuidado, não é sinal de aprovação de conduta, e não quer dizer que seremos salvos. O Senhor ama todos, mas os que são seus filhos, filhos de Deus são somente os obedientes, os que o amam, os que vivem o seu Evangelho, aqueles que dão prioridade ao Senhor, aqueles que mesmo aqui vivem no Reino. "Disse-lhes, pois, Jesus: Na verdade, na verdade vos digo: Moisés não vos deu o pão do céu; mas meu Pai vos dá o verdadeiro Pão do céu." (João 6:32). Moisés ou qualquer outra pessoa não tinha condições de dar o pão do céu, somente Deus, porque o verdadeiro pão do céu é Jesus Cristo. Ninguém poderia nos dar o alimento verdadeiro, nos dar o Salvador, nos dar vida, e o único alimento que produz vida é Jesus. Tudo o que é necessário para alimentarmos, para termos vida em abundância se encontra em Jesus. Portanto, encontramos tudo de que necessitamos no Senhor, e, para termos vida, devemos nos alimentar Nele e Dele. "Porque o Pão de Deus é aquele que desce do céu e dá vida ao mundo. Disseram-lhe, pois: Senhor, dá-nos sempre desse pão."(João 6;33-34). O pão, o alimento é Jesus, que veio ao mundo para dar vida, mas muitos ainda ficam pedindo o que já foi enviado, o que eles precisam é simplesmente se alimentar, porque está disponível a todos. As pessoas sabem do alimento, mas se recusam a comê-lo, não gostam, acham amargo e preferem comer porcaria. Não adianta ficar pedindo alimento e não comê-lo. Vemos as pessoas pedindo, mas não querem praticar o Evangelho, não querem praticar a Palavra de Deus, e, quando recusamos a obedecer-lhe, estamos recusando o alimento verdadeiro, estamos recusando Jesus. "E Jesus lhes disse: Eu Sou o Pão da vida; aquele que vem a mim não terá fome, e quem crê em mim nunca terá sede." (João 6:35). Jesus é o alimento, e hoje o vemos no Evangelho, porque Ele é o Evangelho, Ele é o Verbo, é a Palavra, e, para nos alimentarmos, temos somente que lhe obedecer. Jesus é simples, o Evangelho é simples, basta querer se alimentar com o verdadeiro alimento, que desfrutará de vida. "Mas já vos disse que também vós me vistes, e contudo não credes. Todo o que o Pai me dá virá a mim; e o que vem a mim de maneira nenhuma o lançarei fora." (João 6:36-37). Jesus continua nos falando, e muitos de nós, apesar de ouvi-lo, não aceitamos e desprezamos os seus ensinamentos. Jesus tem dito a todo o instante que Ele, somente Ele é a fonte genuína de alimento, mas muitos se recusam a comer. Mas os que ouvem, aceitam, atendem e se alimentam jamais serão rejeitados, pois só os que Deus realmente chama é que têm parte no Reino. Todos os que não aceitam a Verdade, a Palavra, não foram chamados por Deus."Porque eu desci do céu, não para fazer a minha vontade, mas a vontade daquele que me enviou. E a vontade do Pai que me enviou é esta: Que nenhum de todos aqueles que me deu se perca, mas que o ressuscite no último dia.Porquanto a vontade daquele que me enviou é esta: Que todo aquele que vê o Filho, e crê Nele, tenha a vida eterna; e eu o ressuscitarei no último dia." (João 6:38-40). 
Leiam e pratiquem a Bíblia. Que Deus os abençoe.
Um abraço,
 Pr.Henrique Lino
 Se voce está passando por problemas na sua vida espiritual, familiar, profissional, sentimental, com filhos em situação de risco, envolvimento com drogas, homossexualismo, ou em processo de separação, divorcio, traído(a) abandonado(a) entre em contato conosco.O Ministério Atalaia do Evangelho de Deus está a sua disposição dia e noite para aconselhamento, oração, e interseção e orientação, e cobertura espiritual. Visitem nosso site www.atalaiadedeus.com.br - O Ministério Atalaia do Evangelho de Deus tem como objetivo levar a Palavra de Deus. Trabalha voluntariamente com assistência as famílias, para restaurar casamentos e orientação espiritual a todo aquele que necessita de uma Palavra de cura, salvação e libertação. Esse Ministério tem obedecido ao chamado do Senhor, venha fazer parte desse trabalho com sua oração.

sexta-feira, 27 de novembro de 2015

VIDA NO ALÉM

"E, chegando-se alguns dos saduceus, que dizem não haver ressurreição, perguntaram-lhe." (Lucas 20:27)

 Os saduceus eram um grupo aristocrático politizado, inclinado a fazer acordos com líderes seculares e pagãos. Controlavam o sumo sacerdócio nessa época e detinham a maioria dos lugares no Sinédrio. Não acreditavam na ressurreição, nem na vida do além, rejeitando a tradição oral ensinada pelos fariseus. Assim como os saduceus, existem muitas religiões e seitas que não acreditam na ressurreição, nem em vida no além. Mesmo no meio cristão, existem pessoas que não creem na ressurreição e se preocupam exclusivamente em conseguir viver bem aqui e desfrutar de tudo da melhor maneira possível. Mas fazemos questão de deixar claro que o cristianismo é ressurreição, porque Jesus veio ao mundo para nos dar vida, Ele veio para abrir o caminho para que pudéssemos ter vida além desta aqui. Jesus não veio para que pudéssemos ter uma boa vida aqui, mas para que tivéssemos vida em abundância ao seu lado. E Ele foi o primogênito, ou seja, o primeiro a ressuscitar, mostrando o que acontecerá com cada um de nós. O fato é que todos nós iremos ressuscitar, a não ser, é claro, os que estiverem vivos quando o Senhor voltar, aí será uma transição sem passar pela morte, porque sabemos que, para haver ressurreição, tem que haver a morte. Jesus morreu na Cruz do Calvário, mas Deus Pai o ressuscitou, e hoje Ele vive para todo o sempre e domina sobre tudo e todos. Todos os que já morreram, e os que morreram antes de Jesus voltar, na sua volta ressuscitarão, uns para a vida em abundância e eterna, outros para a vergonha e o sofrimento eternos. O que não podemos ser é como os saduceus, que se recusavam a crer na ressurreição, e hoje temos prova inabalável da ressurreição, porque Jesus ressuscitou. "Dizendo: Mestre, Moisés nos deixou escrito que, se o irmão de algum falecer, tendo mulher, e não deixar filhos, o irmão dele tome a mulher, e suscite posteridade a seu irmão." (Lucas 20:28). Aqui os saduceus vieram até Jesus os tentar, vieram com o propósito de fazê-lo se contradizer e trouxeram à baila a lei de Moisés, mais especificamente a lei do levirato. Essa referência a essa lei era algo importante para os saduceus, porque eles davam muita importância ao Pentateuco (cinco primeiros livros da bíblia). Esses cincos livros tinham autoridade especial para eles, e ali em Deuteronômio 25:5-6 cita a lei do levirato (do latim levir,"cunhado"), que foi promulgada a fim de proteger a viúva e garantir a continuação da linhagem familiar.
 "Houve, pois, sete irmãos, e o primeiro tomou mulher, e morreu sem filhos; E tomou-a o segundo por mulher, e ele morreu sem filhos." (Lucas 20:29-30). A lei do levirato impunha sobre os irmãos, no caso de falecimento de um irmão, a obrigação de manter relações sexuais com a viúva até gerar um filho, e esse filho deveria ser considerado do marido falecido. Apesar de ser gerado através da relação do cunhado, o filho era reconhecido como filho do defunto e, inclusive, levava o seu nome. E essa responsabilidade era passada de irmão para irmão até a viúva se engravidar, e houve caso de a viúva exigir o cumprimento da lei do sogro. Assim, por desconhecer o Reino de Deus, os saduceus vieram testar Jesus a respeito dessa lei, porque eles pensavam que a vida no além seria igual à daqui. Assim citaram um caso que não sabemos se foi real ou não, mas o fato que servia para ilustrar o que eles queriam saber. Essa resposta que Jesus vai dar é o nosso esclarecimento e entendimento a respeito do além. Assim também muitos cristãos pensam que, após a morte, sendo salvos, estarão em contato com os familiares, amigos, será uma reunião familiar, uma comemoração pelos que se salvaram também. Pensam que será somente um prosseguimento da vida aqui. "E tomou-a o terceiro, e igualmente também os sete; e morreram, e não deixaram filhos. E por último, depois de todos, morreu também a mulher." (Lucas 20:31-32). Como disse anteriormente, não sabemos e nem temos base para afirmar que isso foi um caso real, ou uma parábola, uma história para ilustrar, trazer entendimento, mas o fato é que deu condições de entendermos, compreendermos tudo a respeito da vida no além. A preocupação dos saduceus era em saber como Jesus explicaria como seria a relação da viúva com os sete com os quais ela manteve relação, porque, pensando que a relação terrena daria continuidade no além, como ficaria a situação dessa que ficou com os sete? "Portanto, na ressurreição, de qual deles será a mulher, pois que os sete por mulher a tiveram?" (Lucas 20:33). A Palavra de Deus sempre foi muita clara em relação ao adultério, que não era permitido em hipótese alguma, e, no caso de ocorrer, os praticantes eram mortos apedrejados. Por esse motivo, uma vez que essa mulher teve vários homens, ou seja, seis além do seu marido, eles queriam saber qual a relação deles, agora que todos estavam mortos. Todos reunidos no além, como continuaria a relação: seria de cunhado, ou de maridos, e com qual?
 "E, respondendo Jesus, disse-lhes: Os filhos deste mundo casam-se, e dão-se em casamento." (Lucas 20;34). Jesus responde falando que aqui as pessoas casam, têm filhos e tudo mais. Mostra que aqui todos têm uma vida de trabalho, labuta, prazeres carnais, emoções humanas. Os sentimentos carnais de tristeza, dor, saudades, mágoa e outros são inerentes da vida terrena. Aqui as pessoas crescem pensando no relacionamento com o sexo oposto, pensando em criar, construir famílias, em ter filhos, netos, e assim continuar. "Mas os que forem havidos por dignos de alcançar o mundo vindouro, e a ressurreição dentre os mortos, nem hão de casar, nem ser dados em casamento" (Lucas 20:35). Mas os que se salvarem, os que forem viver com o Senhor não passarão mais por isso, porque a vida no Céu, no além, no Reino de Deus, é totalmente diferente do que eles imaginavam - assim como muitos dos cristãos ainda hoje imaginam. No além não mais existirá o conceito de família, casamento, ou qualquer outra coisa. A vida pós-morte será totalmente diferente do que imaginamos, uma vez que lá o nosso prazer será em adorar o Reis dos Reis e viver em eterna abundância, ou seja, de nada sentiremos falta, em qualquer área. Seremos supridos de tudo, e nada absolutamente nada nos faltará, não existirão tristeza, mágoa ou qualquer outro sentimento a não ser paz e alegria. "Porque já não podem mais morrer; pois são iguais aos anjos, e são filhos de Deus, sendo filhos da ressurreição." (Lucas 20:36). Assim, os que alcançam a vida eterna, a salvação em Jesus não mais experimentarão a morte ou qualquer sofrimento, serão semelhantes aos anjos. Semelhantes, não são anjos, mas somente parecidos, isto porque terão vida eterna. São filhos de Deus. Não se pode pressupor que a vida depois da ressurreição seguirá os atuais padrões terrenos. Na era do porvir, não haverá casamento, nem procriação, nem morte. Na verdade, os salvos não terão lembrança do que viveram aqui, nem conhecimento ou reconhecimento de ninguém, pois isso traria sofrimento. No mundo vindouro não existem lembranças de nada, seremos viventes no Senhor, e Nele temos alegria e paz, porque todos os outros sentimentos que trazem dor são carnais e mortais. "E que os mortos hão de ressuscitar também o mostrou Moisés junto da sarça, quando chama ao Senhor Deus de Abraão, e Deus de Isaque, e Deus de Jacó." (Lucas 20:37). Moisés, quando o Senhor o convocou para ir libertar o povo hebreu e se identificou para ele na sarça que queimava e não se consumia, identificou-se como Deus de Abraão de Isaque, e de Jacó, apesar de todos os três já há muito terem falecido. Esses patriarcas já tinham falecido havia centenas de anos, mas Deus disse que era o Deus deles, mostrando assim que eles viviam ainda. Assim, mesmo antes de Jesus vir, Deus estava falando da ressurreição. "Ora, Deus não é Deus de mortos, mas de vivos; porque para ele vivem todos." (Lucas 20:38). O nosso Deus é Deus dos vivos, assim sabemos que a ressurreição é um fato e que, se queremos alcançar a vida vindoura, teremos que nos esforçar. "E, respondendo alguns dos escribas, disseram: Mestre, disseste bem. E não ousavam perguntar-lhe mais coisa alguma." (Lucas 20:39-40). 
Leiam e pratiquem a Bíblia. Que Deus os abençoe.
 Um abraço,
 Pr.Henrique Lino 
 Se voce está passando por problemas na sua vida espiritual, familiar, profissional, sentimental, com filhos em situação de risco, envolvimento com drogas, homossexualismo, ou em processo de separação, divorcio, traído(a) abandonado(a) entre em contato conosco.O Ministério Atalaia do Evangelho de Deus está a sua disposição dia e noite para aconselhamento, oração, e interseção e orientação, e cobertura espiritual. Visitem nosso site www.atalaiadedeus.com.br - O Ministério Atalaia do Evangelho de Deus tem como objetivo levar a Palavra de Deus. Trabalha voluntariamente com assistência as famílias, para restaurar casamentos e orientação espiritual a todo aquele que necessita de uma Palavra de cura, salvação e libertação. Esse Ministério tem obedecido ao chamado do Senhor, venha fazer parte desse trabalho com sua oração. 

quinta-feira, 26 de novembro de 2015

VIDA NOVA

"Portanto, agora nenhuma condenação há para os que estão em Cristo Jesus, que não andam segundo a carne, mas segundo o Espírito." (Romanos 8:1)

 Nenhuma sentença condenatória paira sobre a vida dos que estão vivendo em Cristo Jesus. Não importa o que tenham feito no passado, na época da ignorância; por mais grave que tenha sido o pecado, se realmente houve uma conversão, uma entrega real ao Senhor, todos os pecados foram perdoados e agora se vive em novidade de vida. Estar em Cristo Jesus é viver segundo o seu Evangelho, é se permitir ser guiado pelo seu Espírito, o que fazemos simplesmente praticando a sua Palavra. Estávamos perdidos sem a menor possibilidade de salvação, mas Deus Pai, pelo seu imenso amor, pela sua misericórdia, enviou o seu Filho amado para sofrer e morrer em nosso lugar. Assim, agora a vida está disponível para todos, basta nos submeter ao Senhor. Para termos vida, Jesus teve que morrer, e por tal motivo temos que fazer morrer a nossa natureza carnal para vivermos Nele. "Porque a lei do Espírito de vida, em Cristo Jesus, me livrou da lei do pecado e da morte." (Romanos 8:2). A lei do Espírito, da Graça regeneradora em Cristo nos deu vida. Assim, quando aceitamos a morte sacrificial de Cristo, quando nos entregamos ao Senhor, estamos assumindo a lei do Espírito de vida da Graça. Somos libertos da morte, do sofrimento eterno somente através de Jesus, mas a libertação Dele, que está disponível a todos, para a recebermos, devemos concordar e aceitar. Essa aceitação se dá através da submissão, e não somente por palavras vazias, a confissão tem que ser real, pois a nossa vida o é. Em Cristo somos livres, libertos; Nele temos vida, e essa escolha depende só de nós, pois Ele já a disponibilizou para todos. "Porquanto o que era impossível à lei, visto como estava enferma pela carne, Deus, enviando o seu Filho em semelhança da carne do pecado, pelo pecado condenou o pecado na carne."(Romanos 8:3). A lei estava enferma e por ela ninguém tinha condições de alcançar salvação, porque o que era para a vida transformou-se em morte. Uma vez que ela apontava os pecados, mas não a solução, nela não havia o perdão, portanto era enferma, além de que o mandamento dela era de que, para ter vida, era necessário cumpri-la totalmente, e quem não a cumprisse era maldito. Diante dos rigores da lei, tornava-se impossível alguém a cumprir por inteiro, assim todos eram malditos na lei, e somente Jesus veio em forma humana e a cumpriu integralmente.
 "Para que a justiça da lei se cumprisse em nós, que não andamos segundo a carne, mas segundo o Espírito." (Romanos 8:4). A vinda do Senhor, sua vida, sofrimento e morte aconteceram exatamente para que a sua justiça se cumprisse em nós. Mas, para entendermos isso, para compreender, é necessário que aprendamos a andar em Espírito, que é muito mais do que orar e pensar que o Senhor disse isto ou aquilo. Andar em Espírito é viver pela sua Palavra, porque Cristo nos fala por ela, não existe revelação ou entendimento que possa contradizer o que Ele nos deixou em seu Evangelho. Quando andamos, vivemos segundo a nossa vontade, querer, desejo, segundo o entendimento humano, estamos longe do Senhor. Por isso, devemos somente praticar, fazer o que o Senhor permite, e jamais fazer o que Ele condena em sua Palavra, isto sim é andar em Espírito. "Porque os que são segundo a carne inclinam-se para as coisas da carne; mas os que são segundo o Espírito para as coisas do Espírito."(Romanos 8:5). Os que vivem segundo a vontade da carne não entendem as espirituais, e, portanto, não têm parte no Reino de Deus. Quando pensamos em como ter, possuir cada vez mais bens materiais, quando queremos desfrutar de todos os prazeres mundanos, nos preocupamos com o que temos e com o que somos, é porque somos carnais, porque quem vive em Espírito preocupa-se em agradar Cristo, preocupa-se em viver plenamente o Evangelho de Jesus Cristo. "Porque a inclinação da carne é morte; mas a inclinação do Espírito é vida e paz." (Romanos 8:6). Toda a vontade da carne conduz ao afastamento do Senhor, conduz à perdição e morte eterna. Por esse motivo não podemos satisfazê-la e nem agir em emoção, ou crer que é na emoção que o Senhor nos atende; temos que ser sábios, inteligentes, para compreender que a única maneira de Jesus nos falar hoje é pela sua Palavra. Mas, quando nos permitirmos viver em Espírito, a nos submeter à vontade de Deus, permitir que o seu Espírito nos guie, então desfrutaremos de paz e vida para sempre. Assim, quando nos negamos a satisfazer a vontade da carne, nos negamos aos prazeres do mundo por curto período de tempo em relação a nossa vida, que é eterna, estamos sendo inteligentes, sábios. Aqui a nossa estada é passageira, é rápida, atualmente dificilmente alguém passa dos cem anos, enquanto que temos toda a eternidade para viver ou morrer.
 "Porquanto a inclinação da carne é inimizade contra Deus, pois não é sujeita à lei de Deus, nem, em verdade, o pode ser.Portanto, os que estão na carne não podem agradar a Deus." (Romanos 8:7-8). Toda a vontade da carne, os desejos carnais conduzem para longe do Senhor. Quem satisfaz os desejos carnais se coloca na posição de adversário do Senhor e amigo do satanás. Como a própria Palavra nos diz, o coração é enganoso, quem se permite ser guiado por ele está se colocando contra Deus. Temos que andar pelo Espírito, andar pela Palavra, pois é assim que os amigos de Deus procedem. A vontade da carne é que faz com que tantos crimes, maldades, pecados, sejam cometidos. Já o Espírito traz paz, alegria, abundância e, principalmente, vida. Portanto, os carnais são inimigos de Deus, e os espirituais são amigos do Senhor. "Vós, porém, não estais na carne, mas no Espírito, se é que o Espírito de Deus habita em vós. Mas, se alguém não tem o Espírito de Cristo, esse tal não é Dele." (Romanos 8:9). Todos os que estão buscando conhecer a natureza Divina do Senhor para o agradar, para fazer a sua vontade já não são carnais, e sim espirituais. Mesmo que ainda não tenham pleno conhecimento da verdade, se estão buscando não só a conhecer, mas colocá-la em prática, então já têm o Espírito de Deus. Se existe temor, que não é outra coisa senão medo de desagradar o Senhor, se existe uma busca real, verdadeira, pela obediência ao Senhor, então já somos Dele. Mas se não temos preocupação em agradar o Senhor, em fazer a sua vontade, se não temos temor, medo Dele, então não o conheceremos, não seremos Dele. Ter o Espírito de Deus é ter a Palavra em nossas vidas. "E, se Cristo está em vós, o corpo, na verdade, está morto por causa do pecado, mas o espírito vive por causa da justiça." (Romanos 8:10). Se Cristo, se o Evangelho vive em nós, então mortificamos o nosso corpo; assim como Jesus morreu, também morremos para o mundo e vivemos para Ele. Se temos o Espírito, se vivemos em espírito, então vivemos na morte carnal, não estamos mais no mundo, mas no Reino de Deus. Se andarmos em Espírito, viveremos no Reino aqui, e o apresentaremos, pela nossa morte, para o mundo e os desejos carnais. "E, se o Espírito daquele que dentre os mortos ressuscitou a Jesus habita em vós, aquele que dentre os mortos ressuscitou a Cristo também vivificará os vossos corpos mortais, pelo seu Espírito que em vós habita." (Romanos 8:10). Se vivermos a morte carnal agora, se fugirmos do que o mundo oferece, quando chegar o momento de nos desvencilhar deste corpo carnal corrompido, também seremos ressuscitados com Cristo e com Ele viveremos por toda a eternidade. Mas, se não vivermos a sua morte aqui, com certeza a viveremos por toda a eternidade. "De maneira que, irmãos, somos devedores, não à carne para viver segundo a carne. Porque, se viverdes segundo a carne, morrereis; mas, se pelo Espírito mortificardes as obras do corpo, vivereis. Porque todos os que são guiados pelo Espírito de Deus esses são filhos de Deus."(Romanos 8:12-14). 
Leiam e pratiquem a Bíblia. Que Deus os abençoe.
 Um abraço,
 Pr.Henrique Lino 
 Se voce está passando por problemas na sua vida espiritual, familiar, profissional, sentimental, com filhos em situação de risco, envolvimento com drogas, homossexualismo, ou em processo de separação, divorcio, traído(a) abandonado(a) entre em contato conosco.O Ministério Atalaia do Evangelho de Deus está a sua disposição dia e noite para aconselhamento, oração, e interseção e orientação, e cobertura espiritual. Visitem nosso site www.atalaiadedeus.com.br - O Ministério Atalaia do Evangelho de Deus tem como objetivo levar a Palavra de Deus. Trabalha voluntariamente com assistência as famílias, para restaurar casamentos e orientação espiritual a todo aquele que necessita de uma Palavra de cura, salvação e libertação. Esse Ministério tem obedecido ao chamado do Senhor, venha fazer parte desse trabalho com sua oração. 

quarta-feira, 25 de novembro de 2015

A CARNE E O ESPÍRITO

"Digo, porém: Andai em Espírito, e não cumprireis a concupiscência da carne." (Gálatas 5:16)

 Andar em Espírito é andar na contramão das vontades da carne, dos desejos humanos. Concupiscências da carne quer dizer exatamente vontade desenfreada da carne. Assim não podemos permitir ser guiados pela carne, pelos nossos desejos humanos, naturais, porque eles conduzem à morte eterna, ao afastamento definitivo do Senhor. Andar em Espírito é ser guiado pela Palavra de Deus, é pensar, agir, fazer qualquer coisa sempre de acordo com o Evangelho de Jesus Cristo. Não é entender que teve uma revelação particular, algo novo sem ser abalizado pela Palavra. Andar em Espirito é amortecer a nossa carne, não agir em emoção, ou com sentimentos humanos, é ir contra a lógica e o entendimento humano, rejeitar tudo o que não se fundamenta no Evangelho, é compreender que emoções, sentimentos carnais são opostos ao Espírito. Assim, por mais criticado, acusado que sejamos, devemos nos firmar na Palavra, ir contra nós mesmos, porque a carne é que representa o que somos e fazemos, o que é visível. Andar em Espírito não é andar em busca de revelação, não é ficar aguardando que o Espírito Santo fale o que se deve fazer, mesmo porque Ele já falou e está tudo nos Evangelhos. Qualquer revelação, entendimento tem que estar de acordo com o Evangelho, porque o Espírito é Deus e é imutável. "Porque a carne cobiça contra o Espírito, e o Espírito contra a carne; e estes opõem-se um ao outro, para que não façais o que quereis."(Gálatas 5:17). A carne é totalmente contra o Espírito, e tudo faz, luta, peleja, para que a vontade do Espírito não seja respeitada. Todos os que satisfazem a vontade da carne destroem não somente a sua carne, como também o seu espírito. Temos que compreender que somos semelhança de Deus, que é Deus Pai, Deus Filho, Espírito Santo. Nós somos corpo, alma e espírito, mas é claro que só vemos a carne, que é esse corpo mortal corrupto que voltará ao pó. Exatamente pela sua origem terrena, barro, pó é que é corrupta, mas o espírito, que é do Senhor, é que se permite se aliar com o Espírito de Deus, e fazemos somente o que o Senhor deseja, e assim somos guiados e conduzidos a Ele. Sabemos que fazer a vontade do Espírito nem sempre é fácil exatamente pela nossa natureza carnal, mas devemos combater, resistir, lutar, porque é lutar pela vida. Não é fácil rejeitar os prazeres do mundo, rejeitar os convites, e muitas vezes ter que se isolar para fugir das tentações.
 "Mas, se sois guiados pelo Espírito, não estais debaixo da lei." (Gálatas 5:18). Quando nos permitimos ser guiados, conduzidos pelo Espírito, não temos medo, não nos preocupamos em errar e sofrer, porque sabemos exatamente para onde vamos e o que nos acontecerá. Quando andamos em Espírito, estamos sempre preparados para o que possa acontecer, e não somos surpreendidos. Andar em Espírito é não se sujeitar à lei da escravidão de tentar agradar a Deus através de obras ou sacrifícios. Em Cristo há liberdade, assim basta seguirmos Jesus, e isto se dá quando praticamos o Evangelho, que também é o mesmo que andar em Espírito. Não podemos confundir religião, espiritualidade ou qualquer outra coisa com o andar em Espírito, porque o Evangelho é obediência, e, quando nós obedecemos a ele, cumprimos toda a lei."Porque as obras da carne são manifestas, as quais são: adultério, fornicação, impureza, lascívia, Idolatria, feitiçaria, inimizades, porfias, emulações, iras, pelejas, dissensões, heresias, Invejas, homicídios, bebedices, glutonarias, e coisas semelhantes a estas, acerca das quais vos declaro, como já antes vos disse, que os que cometem tais coisas não herdarão o Reino de Deus."(Gálatas 5:19:21). As obras da carne são tudo o que o mundo acha normal, o que todos fazem, e somente não as praticam os que vivem em Espírito. Os adultérios, as fornicações, o mundo acha normal as pessoas terem relações sexuais sem serem casados, ou pessoas casadas traírem seus cônjuges, ou até mesmo se divorciarem e casarem novamente. O mundo acha natural falar, comentar do sexo oposto, admirar, desejar, e isso quando não do mesmo sexo. Também a concordância com o homossexualismo, algo que é aceito e aprovado pela vontade da carne. Idolatrar pessoas, figuras, imagens, não importa o que seja, é errado, porque o Evangelho condena. Também as brigas, pelejas, demandas em vários âmbitos e por qualquer motivo, assim como fazer trabalhos de feitiçaria, macumbas, amaldiçoar os desafetos. Mesmo a justiça terrena justifica o homicídio como legítima defesa, sendo que deveríamos primeiro entender que todos somos imagens e semelhança de Deus. Ingerir, tomar bebidas alcoólicas, farrear, comer exageradamente, ou ter preocupação somente com alimentação. Enfim, isto é somente alguns dos hábitos, manias, atos cometidos pelas pessoas que se deixam ser guiadas pela carne. Sabemos como a Palavra afirma que essas pessoas, com certeza, não herdarão o Reino de Deus.
 "Mas o fruto do Espírito é: amor, gozo, paz, longanimidade, benignidade, bondade, fé, mansidão, temperança. Contra estas coisas não há lei." (Gálatas 5:22-23). O fruto do Espírito, e não os frutos como muitos dizem, devemos pronunciar no singular, pois é algo como uma fruta composta. Tudo está dentro desse fruto, e não são muitos, apenas nove, que, se praticarmos, se vivermos de acordo com eles, viveremos por toda a eternidade. Amor é para ser praticado de acordo com o Evangelho, não como este que apresentam, que é um sentimento carnal, emotivo, destrutivo, vingativo e nocivo a todos. Amar é corrigir, educar, exortar, ajudar, socorrer, mas jamais aceitar, tolerar concordar com o erro e o pecado. Gozo ou alegria é algo inerente a todos os que conhecem o Senhor, portanto não acredito em pessoas que só vivem mal- humoradas, com raiva, chateadas, e dizem que conhecem o Senhor, uma vez que quem está no Senhor é alegre, pois Nele está toda alegria. Assim como é de paz todos os que o conhecem; não vivem brigando, pelejando, disputando, se inflamando, são controlados e de paz, pois Jesus é a paz. Longanimidade ou paciência os discípulos de Jesus têm que ter, quem vive em Espírito tem, porque sabe que não adianta nada tentar apressar qualquer coisa. Devemos esperar no Senhor. Benignidade ou amabilidade, o ato de sermos amáveis em todos os tempos e com todos, uma vez que não existe raiz de amargura em nós. Bondade é o ato de ser bom, de fazer coisas boas, de ter uma natureza boa, estar sempre pronto a ajudar, socorrer o próximo. Sabemos que fazemos parte do mesmo corpo. Quando somos bons com as pessoas, estamos sendo bons com o próprio Deus, porque todos são imagem e semelhança Dele. Ser bom é não ser mesquinho nem avarento, é não ser idólatra. Fidelidade, ou fé, uma vez que fé é a nossa fidelidade aos preceitos do Senhor, é ser fiel nos seus ensinamentos no Evangelho; fé é crer e viver baseado no que Ele diz. A fé só pode ser praticada por quem é fiel, porque como crer em quem não é fiel, porque mesmo que seja em pensamento existe a fidelidade, e isso é fé. E a nossa fé tem que ser no Senhor, não em outra coisa qualquer do mundo. Mansidão é o ato de viver de maneira mansa, sem nervosismo, sem alteração. Mansidão não é lerdeza, mas a maneira de se conduzir e agir, falar, mostrando o caráter de Cristo, que era manso, foi o cordeiro manso do Senhor. Temperança ou domínio próprio é se dominar, não se permitir agir de maneira impulsiva, carnal, emotiva. É sempre estar com o controle e sob controle, porque o Espírito Santo não traz descontrole e nem inconsciência. Dominar-se, controlar, manter-se com o domínio, não se prestando a falsas ações que querem atribuir ao Espírito, mas são carnais. "E os que são de Cristo crucificaram a carne com as suas paixões e concupiscências. Se vivemos em Espírito, andemos também em Espírito." (Gálatas 5:24-25). Se somos de Jesus, se somos salvos Nele, então já crucificamos nossa carne e vivemos guiados pelo Espírito. Assim não mais permitimos que a nossa carne, nossos desejos predominem, ou ditem as regras. Vivamos todo o tempo de acordo com o Evangelho de Jesus Cristo. "Não sejamos cobiçosos de vanglórias, irritando-nos uns aos outros, invejando-nos uns aos outros." (Gálatas 5:26). 
Leiam e pratiquem a Bíblia. Que Deus os abençoe.
 Um abraço,
 Pr.Henrique Lino 
 Se voce está passando por problemas na sua vida espiritual, familiar, profissional, sentimental, com filhos em situação de risco, envolvimento com drogas, homossexualismo, ou em processo de separação, divorcio, traído(a) abandonado(a) entre em contato conosco.O Ministério Atalaia do Evangelho de Deus está a sua disposição dia e noite para aconselhamento, oração, e interseção e orientação, e cobertura espiritual. Visitem nosso site www.atalaiadedeus.com.br - O Ministério Atalaia do Evangelho de Deus tem como objetivo levar a Palavra de Deus. Trabalha voluntariamente com assistência as famílias, para restaurar casamentos e orientação espiritual a todo aquele que necessita de uma Palavra de cura, salvação e libertação. Esse Ministério tem obedecido ao chamado do Senhor, venha fazer parte desse trabalho com sua oração. 

terça-feira, 24 de novembro de 2015

AUTORIDADE E JUÍZO DOS INJUSTOS

"Ousa algum de vós, tendo algum negócio contra outro, ir a juízo perante os injustos, e não perante os santos?" (1 Coríntios 6:1)

 É difícil entender, ou melhor, compreender o evangelho vivido e difundido hoje por muitas denominações, porque não mais existe a comunhão, a congregação, os irmãos, o que existe é o EU, o que importa é cada um ser abençoado e se dar bem. Dizem que são irmãos, mas vivem brigando, disputando, se arranhando, e não é novidade quando deparamos com notícias sobre brigas e atentados à vida de um suposto evangélico por outro. Adultério dentro dos templos, irmãos saindo com a esposa de outro, pastores saindo com mulheres casadas das suas congregações. Mulheres, irmãzinhas, missionárias fazendo revelações mentirosas para atraírem homens, maridos de outras mulheres. Líderes mentindo, enganando para atraírem membros de outras denominações para as suas. Empregados de igrejas entrando na justiça contra o templo para receberem direitos trabalhistas. Pastores indo à polícia, à justiça contra um membro por acusação de roubo, desvio, pastores que desviam fundos para benefício próprio. Mas o interessante é que isso é público, porque essas disputas estão sendo travadas na justiça comum, no mundo. Já não existem pessoas sábias na direção das congregações para solucionar as questões envolvendo as igrejas, os templos e seus membros. Estão levando essas questões ao mundo para denegrir o Evangelho, porque o procedimento que vemos nesse meio denominado evangélico não se vê nem mesmo entre os pagãos. Não se veem tantas disputas públicas entre pessoas de outras religiões como se vê no meio Evangélico. Líderes brigando, se acusando mutuamente, brigando por causa de faturamento, horário na TV, nas mídias, se matando por causa de ovelhas. "Não sabeis vós que os santos hão de julgar o mundo? Ora, se o mundo deve ser julgado por vós, sois porventura indignos de julgar as coisas mínimas?" (1 Coríntios 6:2). Como podemos falar que somos cristãos, que somos salvos em Cristo, se não temos condições de ensinar os irmãos, de mostrar os erros e solucionar as questões em nosso meio? Como falar do Evangelho, como praticá-lo se não conseguimos solucionar as questões entre os irmãos e temos que recorrer ao mundo? A verdade é que toda disputa entre os irmãos, se houver, mesmo porque o correto é que elas nãos existam, mas, se houver, que sejam resolvidas pelos próprios irmãos.
 "Não sabeis vós que havemos de julgar os anjos? Quanto mais as coisas pertencentes a esta vida?"(1 Coríntios 6:3).Não podemos nos omitir, esconder, fugir das nossas responsabilidades como cristãos. Não podemos tentar nos esconder em um versículo bíblico muito utilizado fora de contexto para fugir das nossas responsabilidades. Muitos querem dizer que a Bíblia fala para não julgarmos, mas Jesus disse que é para nós primeiro nos corrigirmos para só depois apontarmos erros dos outros irmãos. Primeiro tirar o cisco, a trave dos nossos olhos, e depois então tirar do irmão. Temos a obrigação de julgar os que se dizem crentes, e, se estiverem agindo de maneira errada, incompatível com o Evangelho, é nosso dever alertá-los, e chamá-los à razão. Temos a missão, o dever de julgar as questões entre os irmãos, porque os salvos irão julgar os anjos decaídos; como faremos isso se não conseguimos nem mesmo julgar essas disputas aqui? Devem existir pessoas sábias nas congregações entre os irmãos para julgar todas as questões envolvendo os irmãos, os membros, e não as levar ao mundo. "Então, se tiverdes negócios em juízo, pertencentes a esta vida, pondes para julga-los os que são de menos estima na igreja?" (1 Coríntios 6:4). Não importa a questão que seja, mas, se estiver envolvendo membros, irmãos de fé, não se pode conduzir para fora do nosso meio para serem julgados, mas julgarmos nós mesmos. E não podemos simplesmente eleger qualquer um para fazer isso, mas que sejam os líderes os mais sábios, os responsáveis que devem fazer esse julgamento. Sendo realmente crentes, quem deve julgar qualquer erro acontecido dentro dos templos ou entre os irmãos são os próprios irmãos, e não um tribunal mundano. Também não se pode passar para qualquer um ou para as pessoas de menor capacidade a obrigação de solucionar as questões; por menor que seja, essa função tem que ser praticada pelos líderes. "Para vos envergonhar o digo. Não há, pois, entre vós sábios, nem mesmo um, que possa julgar entre seus irmãos? Mas o irmão vai a juízo com o irmão, e isto perante infiéis." (1 Coríntios 6:5-6). Quando se leva qualquer disputa de irmãos para ser resolvida nos órgãos mundanos, estamos assumindo que não existem no nosso meio pessoas sábias, capacitadas e cheias do Espírito Santo de Deus para solucionar isso. Quando estamos procedendo assim, estamos assumindo que somos incapazes e afirmando que o mundo é mais sábio do que nós, estamos denegrindo o Evangelho de Jesus Cristo.
 "Na verdade é já realmente uma falta entre vós, terdes demandas uns contra os outros. Por que não sofreis antes a injustiça? Por que não sofreis antes o dano?" (1 Coríntios 6-7). Só o fato de haver disputas, questões entre os irmãos mostra que ainda não conhecem Cristo, que não são convertidos. Mostra que são materialistas, que são pessoas preocupadas com as coisas deste mundo, porque, caso contrário, o procedimento seria outro. Jesus nos disse que, quando alguém nos tomasse algo, que deveríamos não exigir que nos devolvessem. Temos que deixar de ser hipócritas, porque gostamos de falar no Evangelho, praticá-lo somente quando nos é conveniente. Não é correto existirem disputas, questões entre irmãos, entre os que conhecem Cristo, porque, se algum tentar ou nos prejudicar, devemos simplesmente orar por ele, para que venha se converter. "Eu, porém, vos digo que não resistais ao mau; mas, se qualquer te bater na face direita, oferece-lhe também a outra; E, ao que quiser pleitear contigo, e tirar-te a túnica, larga-lhe também a capa; E, se qualquer te obrigar a caminhar uma milha, vai com ele duas. Dá a quem te pedir, e não te desvies daquele que quiser que lhe emprestes." (Mateus 5:39-42). Se alguém que se diz irmão nos causar qualquer dano, devemos levar ao conhecimento dos sábios da congregação para que possam orientá-lo, ensinar-lhe, mas não podemos ficar entrando em disputas. Que soframos prejuízo, que tenhamos perdas, mas que tenhamos vitórias no mundo espiritual, que sejamos cristãos, que sejamos praticantes do Evangelho de Jesus Cristo. Cristãos, pessoas convertidas ao Senhor, não há disputas com seus irmãos, e, se estão acontecendo, falta conversão. "Mas vós mesmos fazeis a injustiça e fazeis o dano, e isto aos irmãos. Não sabeis que os injustos não hão de herdar o Reino de Deus?" (1 Coríntios 6:8-9). Para nossa tristeza quem deveria ser luz, fazer a diferença são os que mais têm causado confusão nos templos. Porque, a bem da verdade, são líderes que estão se aranhando e indo para os tribunais, se acusando, se digladiando, e não vejo nenhum outro irmão procurando solucionar a questão, ao contrário incentivam, tomam partido. Se somos cidadãos do Reino, devemos agir de acordo com as leis do Reino e não do mundo, e toda confusão e disputa não são do Reino de Deus, mas mundana, carnal. Que tenhamos prejuízos, mas que pratiquemos a Palavra de Deus, que sejamos imitadores de Cristo, que sejamos obedientes ao seu Evangelho. "Não erreis: nem os devassos, nem os idólatras, nem os adúlteros, nem os efeminados, nem os sodomitas, nem os ladrões, nem os avarentos, nem os bêbados, nem os maldizentes, nem os roubadores herdarão o Reino de Deus." (1 Coríntios 6:10). Não importa se estamos dentro de uma congregação, um templo, se estamos nos identificando como cristãos, se não estivermos praticando a Palavra de Deus, com certeza padeceremos. Se estivermos praticando algum dos atos citados, infelizmente o que nos aguarda é a dor eterna. "E é o que alguns têm sido; mas haveis sido lavados, mas haveis sido santificados, mas haveis sido justificados em Nome do Senhor Jesus, e pelo Espírito do nosso Deus."(1 Coríntios 6:11). 
Leiam e pratiquem a Bíblia. Que Deus os abençoe.
 Um abraço,
 Pr.Henrique Lino 
 Se voce está passando por problemas na sua vida espiritual, familiar, profissional, sentimental, com filhos em situação de risco, envolvimento com drogas, homossexualismo, ou em processo de separação, divorcio, traído(a) abandonado(a) entre em contato conosco.O Ministério Atalaia do Evangelho de Deus está a sua disposição dia e noite para aconselhamento, oração, e interseção e orientação, e cobertura espiritual. Visitem nosso site www.atalaiadedeus.com.br - O Ministério Atalaia do Evangelho de Deus tem como objetivo levar a Palavra de Deus. Trabalha voluntariamente com assistência as famílias, para restaurar casamentos e orientação espiritual a todo aquele que necessita de uma Palavra de cura, salvação e libertação. Esse Ministério tem obedecido ao chamado do Senhor, venha fazer parte desse trabalho com sua oração. 

segunda-feira, 23 de novembro de 2015

BARRADOS PELO ESPÍRITO

"E, passando pela Frígia e pela província da Galácia, foram impedidos pelo Espírito Santo de anunciar a Palavra na Ásia." (Atos 16:6) 

 Todos nós sabemos que o apóstolo Paulo, antes Saulo de Tarso, após a sua conversão a caminho de Damasco, não mais parou. Foi o apóstolo que mais fundou igrejas, que mais viagens missionárias realizou, e também foi o que mais escreveu no Novo Testamento. Esse homem, esse servo fiel do Senhor era incansável na pregação do Evangelho, e a sua maior alegria era quando se abria uma porta para a pregação. Mas sempre tudo fez sob a direção do Espírito Santo, ou seja, ele não agia por ele mesmo, segundo a lógica humana. Não agia somente baseado em uma vontade, um desejo, mas sob o comando do Senhor, e, mesmo assim, vimos como inúmeras vezes enfrentou situações de dor e sofrimentos. Vamos observar que, quando estamos seguindo a direção do Espírito Santo, quando o Senhor está nos guiando, não quer dizer que não enfrentaremos problemas, ao contrário, mas o importante é saber que seremos vencedores. Paulo foi um dos apóstolos que mais sofreu, o que mais vezes foi preso, apedrejado, e levou chicotadas, mas em nenhum momento sabemos de ele pensar em desistir ou dizer que estava cansado. Vemos que, mesmo doente, enfermo, ele continuava pregando, e ainda usava todas as oportunidades para testemunhar sobre Jesus. Nas prisões, as suas defesas eram somente pregações, testemunhos a respeito de Cristo e do seu Poder. Aqui, neste relato, Paulo e os seus companheiros queriam pregar na Ásia, mas foram impedidos pelo Espírito Santo. Vemos que o Senhor proibiu que eles pregassem naquele momento naquela região. Ao querermos pregar para alguém, querermos falar do Evangelho em algum local, ou para determinada pessoa, é necessário primeiro consultar o Senhor, não é porque vamos falar do Evangelho que está tudo correto e se tem a aprovação do Senhor. É necessário sempre consultar o Senhor sobre todas as nossas decisões, saber se temos a sua aprovação, saber se devemos levar o Evangelho para determinadas pessoas ou local. Por tal motivo, é que vemos pessoas falando incansavelmente e sem produzir resultado algum, porque estão fazendo tudo sem consultar o Senhor. Paulo foi impedido, proibido de pregar naquela região, naquele momento.
 "E, quando chegaram a Mísia, intentavam ir para Bitínia, mas o Espírito não lho permitiu." (Atos 16:7). Novamente ele tentou ir a Bitínia e foi proibido, foi-lhe negada essa autorização, mas ele era um servo de Deus obediente, era um discípulo de Jesus, porque ele ouviu o Espírito, não questionou, ao contrário de muitos de nós que tomamos uma decisão e, quando o Espírito tenta nos impedir, nós dizemos que é o diabo impedindo. Temos o hábito de alegar que tudo o que vem contra a nossa vontade, nosso querer, nosso desejo é uma ação maligna. E sempre apresentamos alegações de que estamos tentando fazer a vontade de Deus, mas não ouvimos o Senhor para saber se realmente é a sua vontade que façamos tal coisa. Vemos casos de esposas ou maridos tentarem convencer os seus cônjuges, cobram, brigam, insistem que os mesmos vão à igreja, e isto acaba irritando, provocando discussões, e às vezes a separação. Isto acontece porque não consultam o Senhor, para saberem se é a vontade do Senhor pregarem para o seu cônjuge. Não é porque achamos que estamos fazendo algo certo, bom, proveitoso, e de acordo com a Palavra, que devemos fazer pregação para aquela pessoa, naquele momento. E nem sabemos se somos as pessoas certas, talvez o Senhor tenha outra pessoa para aquele propósito, e nos tem reservado outra missão. "E, tendo passado por Mísia, desceram a Trôade. E Paulo teve de noite uma visão, em que se apresentou um homem da Macedônia, e lhe rogou, dizendo: Passa à Macedônia, e ajuda-nos." (Atos 16:8-9). Quando somos obedientes ao Senhor, Ele nos guia, nos mostra o que devemos fazer, e isso o Senhor nos fala e nos revela de várias maneiras e formas, mas todas de acordo com a sua Palavra. Aqui, por sonho, o Senhor o conduziu a Macedônia, e como esse servo era sensível à voz do Senhor, veremos que ele imediatamente obedeceu. Às vezes o que achamos que deveríamos fazer, a lógica, é que deveríamos fazer tal coisa, mas o Senhor não nos permite e, quando obedecemos, somos guiados a fazer algo sem lógica. Pode ser algo que aos nossos olhos não vemos vantagem, progresso, não enxergamos benefícios imediatos. Mas devemos simplesmente obedecer, temos que ser guiados pelo Espírito. Vemos tantos fracassos, derrotas, sofrimentos, e dores porque as pessoas não ouvem o Senhor, não ouvem o Espírito, fazem tudo de acordo com a emoção e os sentimentos carnais.
 "E, logo depois desta visão, procuramos partir para a Macedônia, concluindo que o Senhor nos chamava para lhes anunciarmos o Evangelho." (Atos 16:10). Não importa o que o Senhor nos mande fazer devemos obedecer-Lhe, porque, se foi o Senhor, com certeza teremos vitória, mesmo que venhamos a passar por lutas, mas a vitória é garantida, uma vez que não existem projetos fracassados do Senhor. Ouvir o Senhor, fazer o que Ele manda não quer dizer que teremos garantia de isenção de lutas, muito pelo contrário. Temos que saber que viver no Evangelho, viver sobre a direção de Deus é viver contrário ao mundo e, portanto, é garantido que teremos inúmeras batalhas. As lutas são promessas em nossas vidas, uma vez que estamos combatendo o príncipe deste mundo, estamos lutando contra o intelecto humano, os sentimentos carnais, que são enganadores. Temos que ir não aonde queremos, mas aonde o Senhor nos manda. "E, navegando de Trôade, fomos correndo em caminho direito para a Samotrácia e, no dia seguinte, para Neápolis; E dali para Filipos, que é a primeira cidade desta parte da Macedônia, e é uma colônia; e estivemos alguns dias nesta cidade." (Atos 16:11-12). Podemos estar prontos para fazer algo, e o Senhor nos mandar para outro caminho totalmente oposto. Podemos ser enviados para longe de onde estamos, ou fomos. Podemos ter investido em algum projeto e receber ordem do Senhor para abandonar tudo e ir fazer outra coisa. Quando isso acontece, devemos obedecer, porque, se teimarmos, com certeza pagaremos um preço muito alto, uma vez que a derrota é garantida, mesmo que tudo mostre o contrário. Mesmo que o nosso entendimento faça com que acreditemos que seremos bem-sucedidos, enfrentaremos derrotas, fracasso e sofrimento. Isto porque o Senhor sabe todas as coisas e sabe o que é melhor para nós, e seus projetos são todos para o bem não de uma pessoa, mas do coletivo. "E no dia de sábado saímos fora das portas, para a beira do rio, onde se costumava fazer oração; e, assentando-nos, falamos às mulheres que ali se ajuntaram."(Atos 16:13). Podemos ser impedidos de evangelizar, pregar, ajudar, socorrer várias pessoas, e o Senhor nos conduzir para locais e situações distantes para falar e atender somente uma pessoa. Mas o que não entendemos é que através daquela pessoa muitas serão alcançadas e socorridas. O que o Senhor tem para nós é muito melhor do que podemos imaginar, a sua vontade é agradável e perfeita. Podemos enfrentar lutas obedecendo, e sairemos vitoriosos sempre, e com certeza estaremos pregando o Evangelho legítimo, estaremos salvando vidas. "E uma certa mulher, chamada Lídia, vendedora de púrpura, da cidade de Tiatira, e que servia a Deus, nos ouvia, e o Senhor lhe abriu o coração para que estivesse atenta ao que Paulo dizia. E, depois que foi batizada, ela e a sua casa, nos rogou, dizendo: Se haveis julgado que eu seja fiel ao Senhor, entrai em minha casa, e ficai ali. E nos constrangeu a isso."(Atos 16:14-15). 
Leiam e pratiquem a Bíblia. Que Deus os abençoe.
 Um abraço,
 Pr.Henrique Lino
 Se voce está passando por problemas na sua vida espiritual, familiar, profissional, sentimental, com filhos em situação de risco, envolvimento com drogas, homossexualismo, ou em processo de separação, divorcio, traído(a) abandonado(a) entre em contato conosco.O Ministério Atalaia do Evangelho de Deus está a sua disposição dia e noite para aconselhamento, oração, e interseção e orientação, e cobertura espiritual. Visitem nosso site www.atalaiadedeus.com.br - O Ministério Atalaia do Evangelho de Deus tem como objetivo levar a Palavra de Deus. Trabalha voluntariamente com assistência as famílias, para restaurar casamentos e orientação espiritual a todo aquele que necessita de uma Palavra de cura, salvação e libertação. Esse Ministério tem obedecido ao chamado do Senhor, venha fazer parte desse trabalho com sua oração.