EVANGELIZAR.

NESTE BLOG DISPONIBILIZAMOS MENSAGENS CRISTÃS SEGUNDO A BIBLIA. FALAMOS DOS ESTATUTOS DO REINO DE DEUS.

terça-feira, 31 de julho de 2018

OUTRA VEZ

“Outra vez digo: Ninguém me julgue insensato, ou então recebei-me como insensato, para que também me glorie um pouco.O que digo, não o digo segundo o Senhor, mas como por loucura, nesta confiança de gloriar-me.” (2 Coríntios 11:16-17)

          Infelizmente, atualmente, o mundo tem influenciado as igrejas denominacionais, os templos denominados evangélicos, porque a maioria já age como uma empresa com objetivos de atrair mais pessoas e, consequentemente, aumentar o número de ofertantes e dizimistas. Já não se tem a preocupação com as almas, e sim com o que elas podem oferecer para o templo, por tal motivo, criam-se eventos gospel, campanhas, desafios e muitos shows para atrair as pessoas. Já não pregam a Palavra de Deus, já não expõem o Evangelho, porque sabem que, falando a verdade, as pessoas não vão querer ficar. Como a preocupação é agradar as pessoas, então utilizam todos os meios possíveis para manter cheias suas congregações. E poucos, muito poucos, vivem o Evangelho e ensinam a Verdade de Cristo, e não permitem a corrupção em seus templos, não permitem a comercialização, as campanhas mentirosas, não permitem e não aceitam que as pessoas vivam em pecado. Cobram santidade, pregam sobre arrependimento e conversão. Mas esses que assim procedem, os templos verdadeiros que não são ricos, não estão preocupados em ganhar dinheiro, e sim ver transformação, salvação, esses que não estão preocupados em agradar as pessoas, mas agradar a Deus, passam por lutas, e os grandes templos, os que estão a serviço do mundo, do diabo, os criticam por terem templos pequenos e vazios, enquanto eles têm grandes templos e lotados. Geralmente esses pregadores empresários, comerciantes, pregam prosperidade e bênção sem medida, falam de amor que não é bíblico, e não exortam, na verdade, a única exortação deles é para que o povo contribua, oferte e dizime. Eles consideram nós, os que temos um compromisso com o Senhor, somo loucos, bobos, e nos olham com olhar de piedade, esquecendo que temos um objetivo, que é seguir Jesus e levar muitos também a segui-lo. Mas nós não exaltamos nem nos gloriamos no que temos, nós nos gloriamos no Senhor, não nos gloriamos pelo tamanho do templo, nem por nada, nós gloriamos em conhecer Jesus e saber que estamos fazendo a sua vontade. Somos considerados insensatos por não pregarmos a mentira, por não extorquirmos as ovelhas, mas nos darmos a elas, e infelizmente as pessoas, ovelhas cegas, seguem essas pessoas por quererem facilidades e acabam encontrando a porta do inferno.
 “Pois que muitos se gloriam segundo a carne, eu também me gloriarei. Porque, sendo vós sensatos, de boa mente tolerais os insensatos. Pois sois sofredores, se alguém vos põe em servidão, se alguém vos devora, se alguém vos apanha, se alguém se exalta, se alguém vos fere no rosto.” (2 Coríntios 11:18-20). Sim, sentimo-nos orgulhosos de fazermos o que é certo segundo a reta Palavra de Deus, nos alegramos por saber que estamos vivendo, praticando o Evangelho de Jesus Cristo. Infelizmente, as pessoas se tornaram cegas e seguem esses templos, esses pregadores e nos criticam, mas, como disse antes, sentimo-nos felizes por estarmos fazendo a vontade de Deus, porque não estamos comprometidos com o mundo e nem com o que Ele oferece, porque a nossa glória é o Senhor. Portanto, bens materiais, templos grandes e cheios não são o nosso propósito, e sim vermos pessoas realmente convertidas ao Senhor, vermos discípulos de Jesus e não pessoas lotando templos vazios do Poder de Deus. Sim, nos gloriamos em Jesus, assim como esses falsos profetas, falsos pastores, que dirigem falsos templos, que se gloriam no poder econômico e financeiro, se gloriam no número de templos e de ovelhas, ou bodes, nós nos gloriamos em fazer a vontade de Deus. As pessoas estão sendo enganadas por esses pregadores profissionais e ainda se gloriam disso, vemos a cegueira espiritual delas. Mas, quando somos criticados, acusados, nos alegramos e ainda fazemos questão de testemunhar, mostrar que estamos seguindo o Caminho, que estamos seguindo Jesus, que estamos carregando a nossa cruz, assim como Ele mandou. “Envergonhado o digo, como se nós fôssemos fracos, mas no que qualquer tem ousadia (com insensatez falo) também eu tenho ousadia. São hebreus? Também eu. São israelitas? Também eu. São descendência de Abraão? Também eu.” (2 Coríntios 11:21-22). Esses que querem passar como mais sábios, querem apresentar um evangelho diferente, querem agradar o povo, dourar a pílula, julgam-se superiores exatamente pelo número de seguidores e pelo poder econômico. Mas temos que falar é do Evangelho, eles são pregadores, nós também, e, assim como o apóstolo Paulo, temos a nossa consciência em paz por saber que estamos fazendo o que é certo e não por agradar a ninguém. Passamos por lutas, mas em tudo damos glórias ao Senhor, pois sabemos que o nosso Salvador passou por lutas muito maiores e deixou bem claro que os seus discípulos passarão por lutas; assim, sofremos quando não temos os recursos para pagar os aluguéis, ou para ajudar e socorrer um irmão, uma irmã que necessita, quando não podemos levar mais adiante a Palavra do Senhor por falta de recurso, ou quando nos acusam, nos abandonam, nos ameaçam ou nos perseguem. Mas em tudo damos glórias a Deus. “São ministros de Cristo? (falo como fora de mim) eu ainda mais: em trabalhos, muito mais; em açoites, mais do que eles; em prisões, muito mais; em perigo de morte, muitas vezes. Recebi dos judeus cinco quarentenas de açoites menos um. Três vezes fui açoitado com varas, uma vez fui apedrejado, três vezes sofri naufrágio, uma noite e um dia passei no abismo;
Em viagens muitas vezes, em perigos de rios, em perigos de salteadores, em perigos dos da minha nação, em perigos dos gentios, em perigos na cidade, em perigos no deserto, em perigos no mar, em perigos entre os falsos irmãos; Em trabalhos e fadiga, em vigílias muitas vezes, em fome e sede, em jejum muitas vezes, em frio e nudez. Além das coisas exteriores, me oprime cada dia o cuidado de todas as igrejas. Quem enfraquece, que eu também não enfraqueça? Quem se escandaliza, que eu me não abrase? Se convém gloriar-me, gloriar-me-ei no que diz respeito à minha fraqueza. O Deus e Pai de nosso Senhor Jesus Cristo, que é eternamente bendito, sabe que não minto.” (2 Coríntios 11:23-31)

Leiam e pratiquem a Bíblia. Que Deus os abençoe.
Um abraço,
Pr. Henrique Lino


Se voce está passando por problemas na sua vida espiritual, familiar, profissional, sentimental, com filhos em situação de risco, envolvimento com drogas, ou em processo de separação, divorcio, traído(a) abandonado(a) entre em contato conosco.O Ministério Atalaia do Evangelho de Deus está a sua disposição para aconselhamento, oração, e interseção e orientação, e cobertura espiritual. Visitem nosso site www.atalaiadedeus.com.br - O Ministério Atalaia do Evangelho de Deus tem como objetivo levar a Palavra de Deus. Trabalha voluntariamente com assistência as famílias, para restaurar casamentos e orientação espiritual a todo aquele que necessita de uma Palavra de cura, salvação e libertação. Esse Ministério tem obedecido ao chamado do Senhor, venha fazer parte desse trabalho com sua oração. 

segunda-feira, 30 de julho de 2018

LUZ E OMISSÃO.

“E disse-lhes: Vem porventura a candeia para se meter debaixo do alqueire, ou debaixo da cama? Não vem antes para se colocar no velador?” (Marcos 4:21)

          Jesus o tempo todo chamava e nos chama para fazermos a diferença, sermos cristãos autênticos e não temermos nada ou ninguém, a não ser somente Deus Pai, porque só Ele tem todo o Poder para nos livrar, salvar ou nos matar, e ainda lançar as nossas almas no inferno. Sermos cristãos autênticos e não nos envergonharmos do Evangelho, não termos vergonha ou medo de nos declarar como discípulos de Jesus, porque nós temos a obrigação de fazermos a diferença, temos que ser luzes, sermos o sal da terra, temos que temperar. Ninguém acende uma luz, uma lâmpada para mantê-la escondida, ao contrário, a luz tem que estar em local de destaque, tem que estar em um local que possa iluminar todo o ambiente. Assim nós, como cristãos, devemos ser reconhecidos em toda parte como cristãos, como pessoas honestas, de caráter, como pessoas amigáveis, e como pessoas hospitaleiras às quais todos saibam que podem recorrer, que podem contar conosco na hora da necessidade, que podem vir pedir um conselho, uma orientação, porque ouvirão dos nossos lábios as palavras diretas do Reino. Temos que ser reconhecidos como discípulos de Jesus no trabalho, em casa, no colégio, no lazer, em toda parte, podemos ser escarnecidos por esse motivo, mas não devemos nos importar. Não podemos em hipótese alguma negar Jesus, e todos os que se omitem estão negando Cristo e, portanto, serão negados também por Ele. Não podemos nos corromper, nem deixar nos influenciar pelas coisas do mundo, não podemos tentar nos igualar às leis do mundo, e não existem justificativas que permitam que sejamos iguais. Mas, claro, só seremos diferentes se formos luzes, porque são muitas as lâmpadas queimadas, são muitas as lâmpadas apagadas, são pessoas que frequentam uma igreja denominacional qualquer, que praticam rituais, mas continuam no erro, no pecado e, na verdade, as vezes são piores do que os ímpios. Sabemos que podemos ser rejeitados, podemos ser criticados, até perdermos emprego, sermos discriminados, mas não podemos nos omitir, não podemos esconder, temos que ter uma posição clara sobre a nossa fé. Não podemos simplesmente nos calar com medo de sofrimentos, porque somente Deus pode nos salvar. Temos que iluminar, esclarecer, temos que trazer conhecimento, temos que iluminar o ambiente, portanto, onde estivermos, tudo se torna claro e não existem trevas, as pessoas que quiserem permanecer no erro será por opção, e não por ignorância.
 “Porque nada há encoberto que não haja de ser manifesto; e nada se faz para ficar oculto, mas para ser descoberto. Se alguém tem ouvidos para ouvir, ouça.” (Marcos 4:22-23). Não existe absolutamente nada que fica escondida, mesmo porque tudo está claro e patente diante do Senhor, pois Ele esquadrinha os nossos corações, examina as nossas mentes. Assim aquele que tenta se passar por cristão sem de fato, sem realmente agir como discípulo de Jesus com certeza vai padecer por toda a eternidade, o que lhe está reservado é sofrimento e dor, por negar o Senhor. Por isso somos inteligentes, seguimos Jesus, pegamos a nossa cruz e vamos nos seus passos, estando preparados para levar o Evangelho a todos, não somente com palavras, mas principalmente com a nossa maneira de ser, de viver, por causa do nosso caráter, e porque em nós habita o Espírito de Deus, e assim praticamos o seu fruto, que é bondade, benignidade, amor, domínio próprio, mansidão, fé e temperança. Podemos ser criticados por agirmos o tempo todo em Nome de Jesus (que é Santo para sempre Amém), mas jamais por não sermos verdadeiros, porque quem se omite peca. “Aquele, pois, que sabe fazer o bem e não o faz, comete pecado.” (Tiago 4:17). Portanto, todos os que se omitem, os que não se apresentam, não se declaram como homens e mulheres de Deus, agindo em conformidade com o Evangelho de Jesus Cristo, estão em pecado, estão em erro, por mais que sejam frequentadores de templos evangélicos cristãos ou outros. Não existem desculpas para a omissão, temos que simplesmente ser e fazer a diferença, temos que influenciar o mundo como lâmpadas, como grandes faróis iluminando tudo para que onde estivermos não existam trevas. As pessoas, os pecadores têm que se sentir incomodados, envergonhados em nossa presença, e não o contrário. Somos chamados para fazermos a diferença, e não para nos calar ou passar despercebidos, não somos chamados para sermos covardes ou termos medo de sofrimentos, ao contrário, somos chamados para que andemos na Luz de Cristo e, portanto, a sua Luz que reflete em nós nos transforma em luzes. “E disse-lhes: Atendei ao que ides ouvir. Com a medida com que medirdes vos medirão a vós, e ser-vos-á ainda acrescentada a vós que ouvis.” (Marcos 4:24). Assim como somos e vemos é a maneira como seremos vistos e julgados, e não podemos esquecer que o nosso Juízo é o Deus Todo Poderoso e Criador do céu e da terra. Quando não estamos fazendo a diferença, estamos nos omitindo, estamos deixando de apresentar o Reino de Deus, estamos impedindo as pessoas de conhecerem Jesus, de verem a sua face. Quando nos calamos diante de todos os pecados, diante das rebeliões, estamos concordando, e quem concorda, se cala, consente, e quem consente com o erro, com o pecado, está indo contra o Senhor e, portanto, receberá o tratamento dispensado aos adversários, aos inimigos de Deus. Assim sendo, nos levantemos e sejamos autênticos discípulos de Jesus, em tempo integral até o dia da sua volta, pois Ele está voltando para buscar a sua igreja. “Porque ao que tem, ser-lhe-á dado; e, ao que não tem, até o que tem lhe será tirado.” (Marcos 4:25).
Leiam e pratiquem a Bíblia. Que Deus os abençoe.
Um abraço,
Pr. Henrique Lino


Se voce está passando por problemas na sua vida espiritual, familiar, profissional, sentimental, com filhos em situação de risco, envolvimento com drogas, ou em processo de separação, divorcio, traído(a) abandonado(a) entre em contato conosco.O Ministério Atalaia do Evangelho de Deus está a sua disposição para aconselhamento, oração, e interseção e orientação, e cobertura espiritual. Visitem nosso site www.atalaiadedeus.com.br - O Ministério Atalaia do Evangelho de Deus tem como objetivo levar a Palavra de Deus. Trabalha voluntariamente com assistência as famílias, para restaurar casamentos e orientação espiritual a todo aquele que necessita de uma Palavra de cura, salvação e libertação. Esse Ministério tem obedecido ao chamado do Senhor, venha fazer parte desse trabalho com sua oração. 

sexta-feira, 27 de julho de 2018

A RAIVA DE DEUS

“Porque do céu se manifesta a ira de Deus sobre toda a impiedade e injustiça dos homens, que detêm a verdade em injustiça. Porquanto o que de Deus se pode conhecer neles se manifesta, porque Deus lho manifestou.” (Romanos 1:18-19)

          As pessoas falam muito em ira de Deus, mas a maioria não consegue entender isso, e muitos acabam confundido a ira, a raiva de Deus com a bênção Dele. Isto porque, quando as pessoas veem alguém rico, com saúde, vivendo todo tipo de pecado: adultério, fornicação, desonestidade, homossexualismo, violência, mas sorrindo e demonstrando que estão bem, todos acreditam, e muitos ainda sentem inveja. Mas não pararam para pensar que essas pessoas Deus as colocou em lugar escorregadio para serem destruídas, assim como o Faraó, que o Senhor levantou por já conhecer a dureza do seu coração, para que, no momento oportuno, o Nome do Senhor fosse Glorificado por Ele, porque o Nome do Senhor (que é Santo para sempre Amém) é glorificado de todas as maneiras, pois, quando o pecador contumaz é derrotado aqui, quando morre espiritualmente, é simplesmente a Palavra de Deus se cumprindo. Quando alguém afirma que Deus não existe, que é uma invenção, que por isto não acredita Nele, ou quando as pessoas falam que o amam, mas fazem questão de dividir a sua Glória com imagens, santos e santas, ou com outros deuses, quando essas pessoas vivem em pecado e tentam justificar seus erros dizendo que Deus é bom e que por isso permite, concorda ou tolera, e se aprofundam mais e mais nos pecados, não estão sendo abençoadas, ao contrário, estão vivendo a raiva, a ira de Deus. Quando pessoas dizem ser estudadas, cultas, mas desprezam a Palavra, os ensinamentos do Senhor, elas estão debaixo da ira de Deus, porque dessa maneira elas irão padecer por toda a eternidade. “Porque as suas coisas invisíveis, desde a criação do mundo, tanto o seu eterno Poder, como a sua divindade, se entendem, e claramente se veem pelas coisas que estão criadas, para que eles fiquem inescusáveis.” (Romanos 1:20). A cegueira espiritual é exatamente o que o Senhor falou: eles não ouviriam nem enxergariam para que não fossem salvos e curados por Ele. Assim, quando alguém não percebe ou se recusa a Crer em Deus e o no seu imenso Poder e vive às margens da sua lei, não está vivendo, desfrutando de bênçãos, mas da ira, da raiva de Deus, que o enviará fatalmente para a morte e sofrimento eterno.
 “Porquanto, tendo conhecido a Deus, não o glorificaram como Deus, nem lhe deram graças, antes em seus discursos se desvaneceram, e o seu coração insensato se obscureceu. Dizendo-se sábios, tornaram-se loucos.” (Romanos 1:21-22). Muitos não glorificam o Nome do Senhor, apesar de citá-lo, porque eles querem dividir a Glória de Deus com imagens, com deuses, com amuletos, com objetos que para nada servem, e, na verdade, não são nada, uma vez que Deus é o Senhor, o Criador de todas as coisas, e nada pode se comparar a Ele. Algumas pessoas acreditam em muitas coisas e ainda dizem que acreditam em Deus. Elas estão vivendo na cegueira, estão pecando, errando contra o Senhor e, portanto, irão padecer por toda a eternidade. Mas, infelizmente, as pessoas confundem tudo e acham que estão recebendo as bênçãos de Deus, por viverem na fartura, no luxo, nas riquezas, na alegria aqui. Temos que entender que a Promessa do Senhor é vida e não alegrias aqui, devemos atentar que Jesus disse que no mundo nós teríamos aflições. Temos o exemplo Dele, pois foi extremamente afligido. Esses que amam o pecado, que escolheram a maneira de amar Deus, ou os que não creem Nele e na sua Palavra, os que preferem viver de acordo com as leis do mundo, todos, infalivelmente, irão padecer para sempre. Os que acham que têm o direito de reinar aqui, de desfrutar do melhor, que podem buscar a felicidade e o prazer a qualquer preço, estão mortos espiritualmente, estão debaixo da ira de Deus. “E mudaram a glória do Deus incorruptível em semelhança da imagem de homem corruptível, e de aves, e de quadrúpedes, e de répteis. Por isso também Deus os entregou às concupiscências de seus corações, à imundícia, para desonrarem seus corpos entre si; Pois mudaram a verdade de Deus em mentira, e honraram e serviram mais a criatura do que o Criador, que é bendito eternamente. Amém.” (Romanos 1:23-25). As pessoas estão amando muito mais as criaturas, as feituras de Deus, estão amando objetos e a criação muito mais do que o seu Criador, e por isto o Senhor lhes entregou aos seus desejos malignos dos seus corações para que possam correr em direção ao sofrimento e morte eterna. As pessoas escolhem religiões que sabem ser contrárias à Palavra de Deus, e, mesmo sabendo disso, preferem continuar no pecado, porque não creem na Palavra de Deus, não creem na Bíblia. Por isto elas vivem em todo tipo de pecado e reinando aqui, mas o Senhor já as entregou. As pessoas têm que entender que a ira Dele é diferente da nossa, porque Ele é Deus, quando temos os corações endurecidos para Ele, somos entregues para padecermos. “Por isso Deus os abandonou às paixões infames. Porque até as suas mulheres mudaram o uso natural, no contrário à natureza. E, semelhantemente, também os homens, deixando o uso natural da mulher, se inflamaram em sua sensualidade uns para com os outros, homens com homens, cometendo torpeza e recebendo em si mesmos a recompensa que convinha ao seu erro. E, como eles não se importaram de ter conhecimento de Deus, assim Deus os entregou a um sentimento perverso, para fazerem coisas que não convêm; Estando cheios de toda a iniquidade, fornicação, malícia, avareza, maldade; cheios de inveja, homicídio, contenda, engano, malignidade; Sendo murmuradores, detratores, aborrecedores de Deus, injuriadores, soberbos, presunçosos, inventores de males, desobedientes aos pais e às mães; Néscios, infiéis nos contratos, sem afeição natural, irreconciliáveis, sem misericórdia; Os quais, conhecendo o juízo de Deus (que são dignos de morte os que tais coisas praticam), não somente as fazem, mas também consentem aos que as fazem.”(Romanos 1:26-32).
Leiam e pratiquem a Bíblia. Que Deus os abençoe.
Um abraço,
Pr. Henrique Lino


Se voce está passando por problemas na sua vida espiritual, familiar, profissional, sentimental, com filhos em situação de risco, envolvimento com drogas, ou em processo de separação, divorcio, traído(a) abandonado(a) entre em contato conosco.O Ministério Atalaia do Evangelho de Deus está a sua disposição para aconselhamento, oração, e interseção e orientação, e cobertura espiritual. Visitem nosso site www.atalaiadedeus.com.br - O Ministério Atalaia do Evangelho de Deus tem como objetivo levar a Palavra de Deus. Trabalha voluntariamente com assistência as famílias, para restaurar casamentos e orientação espiritual a todo aquele que necessita de uma Palavra de cura, salvação e libertação. Esse Ministério tem obedecido ao chamado do Senhor, venha fazer parte desse trabalho com sua oração. 

quinta-feira, 26 de julho de 2018

REPÚDIO

“E aconteceu que, concluindo Jesus estes discursos, saiu da Galiléia, e dirigiu-se aos confins da Judéia, além do Jordão; E seguiram-no grandes multidões, e curou-as ali. Então chegaram ao pé dele os fariseus, tentando-o e dizendo-lhe: É lícito ao homem repudiar sua mulher por qualquer motivo?” (Mateus 19:1-3)

          Jesus tinha acabado de pregar, de ensinar sobre o perdão, inclusive tinha usado uma parábola muito conhecida para ilustrar o ensino. Depois saiu da Galiléia e foi para a Judéia, e muitas pessoas o seguiam, era na verdade uma multidão que o estava acompanhando por vários motivos, e nem todos tão nobres, porque alguns tinham a intenção de o pegar em alguma cilada, contradição, armadilha, e o desmascarar como se Ele fosse um embusteiro, um falso pregador, porque, apesar de verem os seus inúmeros milagres, muitos não criam Nele. Esperavam encontrá-lo falando contra Deus, contra César ou sobre algo contraditório para o denunciarem, para que fosse preso, portanto, no meio dos seguidores de Jesus, dessa multidão, nem todos queriam realmente receber alguma coisa, ver algum milagre, havia os que queriam sua prisão e morte. Jesus operava muitos milagres e curas, e os religiosos sempre estavam por ali para ver se era real, se havia algo anormal. É claro que havia os buscadores de bênção, os que queriam levantá-lo como rei físico de Israel, para que com o seu poder Ele libertasse os judeus do jugo de Roma. Assim, os fariseus, os religiosos agora vêm até Jesus com uma pergunta de duplo sentido, querendo pegá-lo em uma contradição, contra a lei de Moisés, e ao mesmo buscando um escape para justificar os seus pecados. Assim, da mesma maneira, muitos religiosos que lotam os templos atualmente, que buscam uma desculpa para permanecerem em seus pecados, buscam uma brecha qualquer para poderem afirmar que podem sim continuar no adultério e viver um recasamento. Esses fariseus perguntam se é legal, se pode um homem se divorciar da esposa por qualquer motivo, e é claro casar novamente. Querem saber se podem simplesmente deixar as suas esposas e se aventurarem em novos casamentos, e, para eles fazerem essa pergunta, eles se fundamentam na lei de Moisés, que até a vinda de Jesus vigorava, mas eles não percebem que o que eles falam não era uma determinação de Deus.
 “Ele, porém, respondendo, disse-lhes: Não tendes lido que Aquele que os fez no princípio macho e fêmea os fez, E disse: Portanto, deixará o homem pai e mãe, e se unirá a sua mulher, e serão dois numa só carne? Assim não são mais dois, mas uma só carne. Portanto, o que Deus ajuntou não o separe o homem.” (Mateus19:4-6). Jesus responde de forma ampla, explicando claramente, para que não exista nenhuma dúvida. Ele faz uma explanação iniciando desde a época da Criação do mundo e do ser humano. Mostra que no início Deus Pai criou o homem e a mulher, somente sexo masculino e feminino, assim sabemos que não existe um terceiro ou quarto sexo, somente homem e mulher. E determinou que o homem casaria, deixaria a casa dos seus pais e se uniria a sua esposa, e construiriam a sua família, pois, quando casassem, se tornariam uma só carne, que Deus não mais os vê como duas pessoas, mas somente uma. Ainda faz questão de dizer que o que Deus une é impossível o homem, o ser humano, alguma lei separar, ou seja, é impossível, inclusive para Moisés, separar o que foi unido por Deus. Assim, fica claro que o casamento é indissolúvel, porque é unido por Deus, só assim Deus transforma duas pessoas em uma, porque nem mesmo mãe e filho, apesar de o filho ser gerado, de sair de dentro dela, não são uma só carne. Assim Jesus já responde de maneira clara que não existe divórcio, não existe separação, e muito menos recasamento. “Disseram-lhe eles: Então, por que mandou Moisés dar-lhe carta de divórcio, e repudiá-la? Disse-lhes Ele: Moisés, por causa da dureza dos vossos corações, vos permitiu repudiar vossas mulheres; mas ao princípio não foi assim.” (Mateus19:7-8). Os fariseus, os religiosos não desistem e ainda questionam o porquê de Moisés ter dito que poderia dar carta de divórcio. Eles estão agindo como muitos fariseus modernos que querem uma justificativa, querem uma desculpa para justificarem o adultério. Mas Jesus explica que eles estão se fundamentando em uma desculpa de Homem, porque foi Moisés quem disse que poderiam se divorciar, e ele só disse isto por causa da dureza dos corações deles, isto é, por causa da impossibilidade de perdoar, uma vez que eles não conseguiriam perdoar um adultério. Mas mesmo assim não deu autorização para casarem de novo, porque não há como separar o que Deus uniu, e, quando alguém se une a outra pessoa, sendo casada, está em adultério. É como pegarmos uma nota de dois reais e a emendarmos em uma de cem, fica uma nota adulterada, e não vale nem cem nem dois reais mais. Por isto sabemos que não existe a menor possibilidade de um novo casamento, a não ser em caso de viuvez, e todo o resto é adultério. “Eu vos digo, porém, que qualquer que repudiar sua mulher, não sendo por causa de fornicação, e casar com outra, comete adultério; e o que casar com a repudiada também comete adultério.” (Mateus 19:9) Todos os que se envolvem com pessoas casadas estão em adultério, estão sendo falsas, assim como uma nota de três reais, e o divórcio no caso de adultério foi permissão de Moisés, não de Deus, e mesmo quem se divorciar por causa do adultério perde a salvação, por causa da falta de perdão, porque nós só seremos perdoados se perdoarmos, a dureza do coração é que conduz ao sofrimento, desonra e morte eterna, os divorciados, estão fatalmente condenados à morte e ao sofrimento eterno. “Disseram-lhe seus discípulos: Se assim é a condição do homem relativamente à mulher, não convém casar. Ele, porém, lhes disse: Nem todos podem receber esta palavra, mas só aqueles a quem foi concedido. Porque há eunucos que assim nasceram do ventre da mãe; e há eunucos que foram castrados pelos homens; e há eunucos que se castraram a si mesmos, por causa do Reino dos céus. Quem pode receber isto, receba-o.” (Mateus 19:10-12).

Leiam e pratiquem a Bíblia. Que Deus os abençoe.
Um abraço,
Pr. Henrique Lino


Se voce está passando por problemas na sua vida espiritual, familiar, profissional, sentimental, com filhos em situação de risco, envolvimento com drogas, ou em processo de separação, divorcio, traído(a) abandonado(a) entre em contato conosco.O Ministério Atalaia do Evangelho de Deus está a sua disposição para aconselhamento, oração, e interseção e orientação, e cobertura espiritual. Visitem nosso site www.atalaiadedeus.com.br - O Ministério Atalaia do Evangelho de Deus tem como objetivo levar a Palavra de Deus. Trabalha voluntariamente com assistência as famílias, para restaurar casamentos e orientação espiritual a todo aquele que necessita de uma Palavra de cura, salvação e libertação. Esse Ministério tem obedecido ao chamado do Senhor, venha fazer parte desse trabalho com sua oração. 

quarta-feira, 25 de julho de 2018

A VERDADE QUE LIBERTA

“Jesus dizia, pois, aos judeus que criam Nele: Se vós permanecerdes na minha Palavra, verdadeiramente sereis meus discípulos; E conhecereis a Verdade, e a Verdade vos libertará.” (João 8:31-32)

          Jesus falava para os judeus, para os israelitas que acreditavam Nele, para os que sabiam que Ele era o Filho de Deus. Temos que observar que Jesus não está falando para todos, somente para os que acreditavam Nele, por isso, quando Ele diz: “não fostes vós que escolhestes, mas eu vos escolhi para que vades e deis fruto e o vosso fruto permaneça”. Ele está citando de maneira clara que as pessoas que são convertidas, as pessoas que acreditam Nele são as que foram escolhidas por Ele. E as que não têm fé, as que não acreditam Nele são as que nunca entendem, compreendem a Palavra de Deus, são as pessoas que não conseguem obedecer-lhe e, portanto, o Senhor não lhes manda obedecer a sua Palavra, porque os que são chamados são compungidos a obedecer-lhe, a permanecer no Evangelho, porque o Espírito Santo é quem convence. Os que são chamados têm medo de pecar, não querem sair da presença do Senhor, porque sabem quem é o Filho de Deus, e Ele sempre estará alertando, exortando, para que não saiam da sua presença, para que não saiam do seu Evangelho. Quando permanecemos na Palavra de Cristo, somos os seus discípulos e, consequentemente, conhecemos Jesus, que é a Verdade, e Ele nos libertará do jugo do pecado e teremos vida em abundância, teremos vida eterna. Quando temos um coração endurecido, quando somos materialistas, quando não abrimos mão das coisas do mundo, não conseguimos acreditar em Jesus e, portanto, não conseguimos obedecer-lhe, e assim não somos os seus discípulos, mas no máximo pessoas religiosas que praticam alguns rituais que para nada servem. Mas os que têm um coração aberto para Ele, os que têm sede e fome da sua Palavra, os que querem ter vida, os que sabem que Jesus Cristo é o Filho de Deus sempre estarão recebendo palavras de conforto e de ânimo do Senhor. Quem é discípulo segue o Mestre, quer agir da mesma maneira, quer obedecer, quer seguir em frente junto com Ele, assim são praticantes da sua Palavra e ouvem a voz do Mestre. Portanto, sabemos que quem ouve Jesus falando são somente os que creem Nele, os que acreditam em sua Palavra, os que creem no seu Evangelho, os que sabem que Ele é a Verdade plena e absoluta, e que fora Dele não há nada.
 “Responderam-lhe: Somos descendência de Abraão, e nunca servimos a ninguém; como dizes tu: Sereis livres? Respondeu-lhes Jesus: Em verdade, em verdade vos digo que todo aquele que comete pecado é servo do pecado. Ora o servo não fica para sempre em casa; o Filho fica para sempre.” (João 8:33-35). Quando Jesus fala que somente os seus discípulos é que serão livres, libertos, que somente quem crê Nele é que alcançará a libertação através Deles, as pessoas não aceitam, não concordam e dizem que já são libertas. Elas acham que Jesus é uma figura abstrata, que é extremamente bonzinho, que concorda com o pecado e o tolera em prol da felicidade e alegria das pessoas. Não percebem que estão em erro, elas teimam em citar o Nome do Senhor (que é Santo para sempre Amém) e acham que com isso estão demonstrando amor a Ele. Vemos as pessoas nos vícios, nos pecados e teimosia, e acham que são livres, não percebem que estão presas no laço do diabo, não percebem que estão prisioneiras nas trevas. Todos gostam de se identificar como filhos de Deus, todos dizem que amam Deus, mas não percebem que são somente feituras, criaturas de Deus, porque filhos são somente aqueles que obedecem, que praticam as suas ordenanças, são somente os que creem em Jesus Cristo e sabem que Ele é o Filho de Deus, e quem assim crê sabe que tem que obedecer, tem que praticar a sua Palavra, porque é a única maneira de demonstrar amor a Ele. Todos os que vivem na prática do pecado são servos do pecado, todos os que vivem em desobediência à Palavra de Deus são servos, estão a serviço das trevas, e com certeza essas trevas os engolirão. O servo, o empregado, o escravo não fica sempre na casa, não fica na presença do Senhor, porque será despedido, será enviado para longe, pois não é filho, e a herança é dos filhos, não de servos ou de empregados, e muito menos de escravos. Portanto, temos que procurar ser sempre filhos de Deus e sermos libertos por Jesus do jugo da servidão. “Se, pois, o Filho vos libertar, verdadeiramente sereis livres.” (João 8:36). O único que pode e tem Poder para nos libertar é Jesus, e, quando Ele nos liberta, somos livres para sempre. Mas quando percebemos que alguém que se diz liberto vive nas práticas do pecado, do erro, então sabemos que essa pessoa não foi liberta por Jesus, no máximo é somente uma religiosa. As pessoas têm o hábito de afirmar que Jesus está falando de libertação física, mas o que Ele nos ensina é espiritual, pois, se continuarmos em práticas erradas, estamos presos espiritualmente ao adversário das nossas almas e, portanto, a única coisa que teremos é a morte eterna. Sejamos libertos por Jesus, sejamos livres por Ele, aceitemos o seu chamado, e, principalmente, vamos ouvir a sua voz e seguirmos as suas pegadas; abandonemos os pecados, as rebeldias, abandonemos este mundo infame que jaz no maligno, pois só assim demonstraremos que somos libertos por Ele. “Bem sei que sois descendência de Abraão; contudo, procurais matar-me, porque a minha Palavra não entra em vós. Eu falo do que vi junto de meu Pai, e vós fazeis o que também vistes junto de vosso pai. Responderam, e disseram-lhe: Nosso pai é Abraão. Jesus disse-lhes: Se fôsseis filhos de Abraão, faríeis as obras de Abraão. Mas agora procurais matar-me, a mim, homem que vos tem dito a verdade que de Deus tem ouvido; Abraão não fez isto. Vós fazeis as obras de vosso pai. Disseram-lhe, pois: Nós não somos nascidos de fornicação; temos um Pai, que é Deus. Disse-lhes, pois, Jesus: Se Deus fosse o vosso Pai, certamente me amaríeis, pois que eu saí, e vim de Deus; não vim de mim mesmo, mas Ele me enviou. Por que não entendeis a minha linguagem? Por não poderdes ouvir a minha Palavra. Vós tendes por pai ao diabo, e quereis satisfazer os desejos de vosso pai. Ele foi homicida desde o princípio, e não se firmou na verdade, porque não há verdade nele. Quando ele profere mentira, fala do que lhe é próprio, porque é mentiroso, e pai da mentira. Mas, porque vos digo a verdade, não me credes. Quem dentre vós me convence de pecado? E se vos digo a verdade, por que não credes? Quem é de Deus escuta as Palavras de Deus; por isso vós não as escutais, porque não sois de Deus.” (João 8:37-47).
Leiam e pratiquem a Bíblia. Que Deus os abençoe.
Um abraço.
Pr. Henrique Lino


Se voce está passando por problemas na sua vida espiritual, familiar, profissional, sentimental, com filhos em situação de risco, envolvimento com drogas, ou em processo de separação, divorcio, traído(a) abandonado(a) entre em contato conosco.O Ministério Atalaia do Evangelho de Deus está a sua disposição para aconselhamento, oração, e interseção e orientação, e cobertura espiritual. Visitem nosso site www.atalaiadedeus.com.br - O Ministério Atalaia do Evangelho de Deus tem como objetivo levar a Palavra de Deus. Trabalha voluntariamente com assistência as famílias, para restaurar casamentos e orientação espiritual a todo aquele que necessita de uma Palavra de cura, salvação e libertação. Esse Ministério tem obedecido ao chamado do Senhor, venha fazer parte desse trabalho com sua oração. 

terça-feira, 24 de julho de 2018

PAZ SEJA CONVOSCO

“Chegada, pois, à tarde daquele dia, o primeiro da semana, e cerradas as portas onde os discípulos, com medo dos judeus, se tinham ajuntado, chegou Jesus, e pôs-se no meio, e disse-lhes: Paz seja convosco. E, dizendo isto, mostrou-lhes as suas mãos e o lado. De sorte que os discípulos se alegraram, vendo o Senhor.” (João 20:19-20)

          Jesus já tinha sofrido tudo por nossa causa: tinha morrido, falecido, tinha entregado a sua vida ali no Calvário em nosso lugar. Três dias após Ele ressuscita, ou seja, no primeiro dia da semana, que é o domingo, Ele vai ao encontro dos seus discípulos. Jesus já aparecera para algumas mulheres, e Maria Madalena, que já o tinha visto ressurreto, tinha ido ao encontro dos discípulos apressada para dizer que Jesus vivia, mas eles não creram, não acreditaram, inclusive Pedro e João foram correndo constatar o que Maria Madalena tinha dito, foram ao sepulcro e de fato o encontraram vazio. Veremos que o Senhor se apresenta no meio deles trazendo a paz, mas, ao mesmo tempo, chamando-lhes a atenção por causa da incredulidade, por não terem crido Nele, já que antes da sua morte tinha dito que morreria e que depois ressuscitaria ao terceiro dia, e também por não crerem em Maria Madalena, que o tinha visto antes. Não podemos criticá-los porque nós já sabemos tudo o que vai nos acontecer, ou o que pode nos acontecer, tanto de bom como de ruim, mas não cremos, apesar de Jesus estar sempre nos falando, nos alertando, nos mostrando que o preço da desobediência, da rebelião à sua Palavra é a morte. Sim, Jesus nos fala o tempo todo, e só não ouve quem não quer, porque Ele nos fala pela sua Palavra, uma vez que Ele é a Palavra, é o Verbo, e todas as respostas, tudo o que Ele quer nos falar já está declarado, basta lermos, meditarmos em sua Palavra. A Palavra de Cristo, o seu Evangelho, está ao alcance de todos, mas nós muitas vezes teimamos em não ouvir, não queremos que aconteça como está no seu Evangelho, queremos uma revelação particular, individual, queremos que Ele nos fale sem ser na Palavra. Mas hoje só ouvimos pela Palavra, e Ele jamais vai falar quaisquer coisas que sejam contra a sua Palavra, o seu Evangelho, porque Cristo não é contraditório, não é de duas Palavras, o que Ele fala é para sempre, é a nossa lei, e não adianta tentarmos ouvir outra coisa, porque estaremos lhe sendo rebeldes.
 “Disse-lhes, pois, Jesus outra vez: Paz seja convosco; assim como o Pai me enviou, também eu vos envio a vós. E, havendo dito isto, assoprou sobre eles e disse-lhes: Recebei o Espírito Santo. Aqueles a quem perdoardes os pecados lhes são perdoados; e àqueles a quem os retiverdes lhes são retidos.” (João 20:21-23). Jesus novamente os saúda com a Paz, trazendo a sua paz, entrega a paz, e os faz lembrar que, assim como Deus Pai o tinha enviado, Ele também o estava enviando. Devemos observar que Jesus fez questão de dizer que lhes enviava da mesma maneira que tinha sido enviado, portanto, são esperados sofrimento, dor, perseguição e morte para eles, porque Jesus passou por tudo isto. Jesus nos dá a paz, a sua Paz, e nos alerta que somos enviados não para desfrutarmos de luxo, de conforto, mas sabendo que nos aguardam a perseguição, a dor, o sofrimento e o abandono. Isto porque somos enviados a sua semelhança, assim não podemos reclamar, lamentar e chorar, porque não vimos o Nosso Senhor reclamar, nem mesmo para abrir a sua boca e clamar pela inocência, não o vimos se defender, portanto não temos que nos defender de nada, de nenhuma acusação. Temos o Espírito de Deus, Jesus já nos deu, também nos deu a sua Paz, agora cabe a nós fazermos a nossa parte, temos que aprender, nos obrigar a perdoar a todos os que nos fazem mal, nos perseguem, nos acusam injustamente, devemos perdoar, pois é mandamento do Senhor. E se nós não perdoarmos, como certeza também não seremos perdoados por Ele, e, portanto, estaremos afastados Dele por toda a eternidade. Se nos negarmos a perdoar alguém, com certeza, por mais que peçamos perdão, também não seremos perdoados, o nosso perdão será sempre negado, indeferido.“Ora, Tomé, um dos doze, chamado Dídimo, não estava com eles quando veio Jesus. Disseram-lhe, pois, os outros discípulos: Vimos o Senhor. Mas ele disse-lhes: Se eu não vir o sinal dos cravos em suas mãos, e não puser o meu dedo no lugar dos cravos, e não puser a minha mão no seu lado, de maneira nenhuma o crerei.” (João 20:24-25). Vemos novamente um dos discípulos incrédulos, pois, como não estava no momento em que Jesus apareceu para os outros, ele não acreditou. Vemos que esse discípulo estava chamando os outros de mentirosos, ele não acreditou em nada do que disseram, e pior: não acreditou em nada do que Jesus disse quando estava em vida, e não acreditava no que ouvia, e disse que só acreditaria se ele visse com os seus próprios olhos e se tocasse nas feridas de Jesus feitas pelos cravos, pregos em suas mãos. Assim também são várias as pessoas que estão há tempos dentro de um templo qualquer, que se dizem cristãs, mas, na verdade, não creem em Jesus, não creem na sua Palavra, pois, se assim fosse, com certeza viveriam de acordo com os preceitos do Senhor. Por isto são repreendidas constantemente pelo Senhor através da sua Palavra. “E oito dias depois estavam outra vez os seus discípulos dentro, e com eles Tomé. Chegou Jesus, estando as portas fechadas, e apresentou-se no meio, e disse: Paz seja convosco. Depois disse a Tomé: Põe aqui o teu dedo, e vê as minhas mãos; e chega a tua mão, e põe-na no meu lado; e não sejas incrédulo, mas crente. E Tomé respondeu, e disse-lhe: Senhor meu, e Deus meu! Disse-lhe Jesus: Porque me viste, Tomé, creste; bem-aventurados os que não viram e creram. Jesus, pois, operou também em presença de seus discípulos muitos outros sinais, que não estão escritos neste livro. Estes, porém, foram escritos para que creiais que Jesus é o Cristo, o Filho de Deus, e para que, crendo, tenhais vida em seu Nome.” (João 20:26-31).
Leiam e pratiquem a Bíblia. Que Deus os abençoe.
Um abraço,
Pr. Henrique Lino


Se voce está passando por problemas na sua vida espiritual, familiar, profissional, sentimental, com filhos em situação de risco, envolvimento com drogas, ou em processo de separação, divorcio, traído(a) abandonado(a) entre em contato conosco.O Ministério Atalaia do Evangelho de Deus está a sua disposição para aconselhamento, oração, e interseção e orientação, e cobertura espiritual. Visitem nosso site www.atalaiadedeus.com.br - O Ministério Atalaia do Evangelho de Deus tem como objetivo levar a Palavra de Deus. Trabalha voluntariamente com assistência as famílias, para restaurar casamentos e orientação espiritual a todo aquele que necessita de uma Palavra de cura, salvação e libertação. Esse Ministério tem obedecido ao chamado do Senhor, venha fazer parte desse trabalho com sua oração. 

segunda-feira, 23 de julho de 2018

PARÁBOLAS E JUSTIÇA

“E contou-lhes também uma parábola sobre o dever de orar sempre, e nunca desfalecer, Dizendo: Havia numa cidade um certo juiz, que nem a Deus temia, nem respeitava o homem.” (Lucas 18:1-2)

          Para iniciarmos nossa reflexão sobre essa parábola do juiz iníquo, ou da viúva persistente, é necessário primeiro entender o que é uma parábola. As parábolas de Jesus são narrativas breves, dotadas de um conteúdo alegórico, utilizadas nas pregações e sermões de Jesus com a finalidade de transmitirem ensinamento. Quanto à sua definição exata, a parábola pode ser uma narração alegórica na qual o conjunto de elementos evoca outra realidade de ordem superior ou uma espécie de alegoria apresentada sob forma de uma narração de fatos naturais ou de acontecimentos possíveis, sempre com o objetivo de declarar ou ilustrar uma ou várias verdades. Jesus utiliza-se das parábolas para transmitir ensinamentos profundos. A despeito disso, a maioria delas sempre é marcada pela simplicidade e brevidade. Poucas delas são longas, como acontece com a Parábola dos Talentos (Mateus 25:14-30) ou a Parábola do Filho Pródigo (Lucas 11:32), embora, em alguns casos, Jesus inclua exageros — a Parábola dos dez mil talentos, uma soma astronômica de dinheiro — ou implicações alegóricas – maus vinicultores, que necessita de interpretação — ou ainda símiles e metáforas. As parábolas de Jesus são sempre tiradas da realidade do mundo cultural e social em que Ele vivia, contadas com o propósito de transmitir verdades espirituais. É importante observar que as parábolas de Jesus são compreendidas a partir do momento que existe disposição interior para compreender o próprio Mestre. Jesus ministrava suas mensagens com facilidade em todos os níveis sociais. Ele tinha conhecimento das mais diversas áreas da sociedade e sabia quais eram as suas necessidades. Conhecia os fariseus e os peritos na lei. Por meio de suas parábolas, Jesus levou aos seus ouvintes a mensagem de salvação, conclamando-os a se arrepender e a crer. Aos crentes, desafiava-os a pôr a fé em prática, exortando seus seguidores à vigilância. Quando seus discípulos tinham dificuldade para entender as parábolas, Jesus as interpretava.
 “Havia também, naquela mesma cidade, uma certa viúva, que ia ter com ele, dizendo: Faze-me justiça contra o meu adversário.” (Lucas 18:3). Primeiro temos que observar que o juiz aqui citado é uma pessoa iníqua, sem temor, mau, assim não podemos fazer referência a Nosso Senhor, que é justo, bondoso e que tudo sabe e conhece, portanto, conhece os nossos desejos, as nossas necessidades antes mesmo de nós tomarmos conhecimento. Muitas são as pessoas que entendem que o Senhor está mandando orar de maneira incansável e repetidas vezes pelo mesmo assunto, porque é nosso dever orar, adorar o Senhor em tempo integral, dia e noite, mas devemos fazer isto porque Ele é Deus, e não ficarmos batendo na mesma tecla pedindo algo, como se o Senhor não estivesse entendendo, ou nós estivéssemos fazendo pirraça. Muitas vezes as pessoas pedem algo ao Senhor repetidas vezes. Isso na verdade mostra a falta de fé delas, porque, se cressem, apresentariam seus pedidos ao Senhor e descansariam, porque sabemos que no devido tempo acontecerá, se o que pedimos, claro, estiver de acordo com a Palavra de Deus. Se estivermos vivendo segundo a sua Palavra, sabemos que acontecerá, então descansamos e nos dedicamos a agradecer, a exaltar e a glorificar o seu Nome (que é Santo para sempre Amém). Devemos dedicar, apresentar outros pedidos, orar pelas vidas dos perdidos, clamar pela nação, pela família, por todos, mas não precisamos ficar repetindo, pois o Senhor condena as vãs repetições. Quando estamos sempre repetindo, estamos tratando o Senhor como uma pessoa que tem problemas para entender e compreender as coisas, queremos convencê-lo por nós mesmos. Assim temos que analisar que essa parábola, essa ilustração fala de um juiz injusto, por isso foi necessária a insistência da viúva. O nosso Senhor é justo, misericordioso e, principalmente, Pai. “E por algum tempo não quis atendê-la; mas depois disse consigo: Ainda que não temo a Deus, nem respeito os homens, Todavia, como esta viúva me molesta, hei de fazer-lhe justiça, para que enfim não volte, e me importune muito. E disse o Senhor: Ouvi o que diz o injusto juiz.” (Lucas 18:4-6). Esse juiz precisou ser vencido pela insistência, porque estava cansado de ser importunado, cansado de ser incomodado, ele atendeu o pedido somente para ficar livre da mulher. Mas Deus é Amor, e Ele quer a nossa companhia, Ele não pretende abrir mão de nós, assim, Ele jamais vai nos atender somente porque estamos incomodando, ou para ficar livre de nós. Por isso sempre digo que é necessário lermos a Bíblia e procurar entender para não sermos somente religiosos. Temos que aprender, apresentar os nossos pedidos ao Senhor, confiar, crer e saber que se fará assim, pois o que apresentamos está de acordo com a sua Palavra. Isso não quer dizer que devemos deixar de orar, de falar com Deus, porque essa é nossa obrigação; devemos, principalmente, louvar, agradecer e pedir pela vida de todos, e não ficarmos focados em nós mesmos e nos esquecermos de que Deus é o Juiz justo, e não injusto. Por isso, quando, no final dessa narrativa, dessa parábola, Jesus pergunta: será que haverá paz na terra? Será que teremos fé para conhecer o seu Evangelho, apresentar nossos pedidos e descansar, confiar Nele? Pensem nisso. “E Deus não fará justiça aos seus escolhidos, que clamam a Ele de dia e de noite, ainda que tardio para com eles? Digo-vos que depressa lhes fará justiça. Quando, porém, vier o Filho do homem, porventura achará fé na terra?” (Lucas 18:7-8).
Leiam e pratiquem a Bíblia. Que Deus os abençoe.
Um abraço,
Pr. Henrique Lino


Se voce está passando por problemas na sua vida espiritual, familiar, profissional, sentimental, com filhos em situação de risco, envolvimento com drogas, ou em processo de separação, divorcio, traído(a) abandonado(a) entre em contato conosco.O Ministério Atalaia do Evangelho de Deus está a sua disposição para aconselhamento, oração, e interseção e orientação, e cobertura espiritual. Visitem nosso site www.atalaiadedeus.com.br - O Ministério Atalaia do Evangelho de Deus tem como objetivo levar a Palavra de Deus. Trabalha voluntariamente com assistência as famílias, para restaurar casamentos e orientação espiritual a todo aquele que necessita de uma Palavra de cura, salvação e libertação. Esse Ministério tem obedecido ao chamado do Senhor, venha fazer parte desse trabalho com sua oração. 

sexta-feira, 20 de julho de 2018

MESTRE VINDO DE DEUS

“E havia entre os fariseus um homem, chamado Nicodemos, príncipe dos judeus. Este foi ter de noite com Jesus, e disse-lhe: Rabi, bem sabemos que és Mestre, vindo de Deus; porque ninguém pode fazer estes sinais que tu fazes, se Deus não for com ele.” (João 3:1-2)

          Nicodemos se dirigiu a Jesus à noite, foi até Ele às escondidas, com medo dos seus amigos, dos seus colegas o virem conversando com o Senhor. Observamos que sabia quem era Jesus, pois começa chamando-o de Rabi (Mestre). E não somente isso, Ele mesmo afirma que viu os sinais, os milagres que Jesus tinha realizado, e ele sabia que só poderiam acontecer se fosse alguém da parte de Deus para fazê-lo, portanto ele sabia que Jesus era de Deus, possivelmente ele era um dos poucos que sabia, que criam que Jesus era o Filho de Deus, pois a maioria, inclusive até os próprios discípulos, não tinha a certeza. Esse homem, que era uma autoridade em Israel, pois era membro do supremo tribunal dos judeus, sabia que Deus estava com Jesus e, portanto, se dirige a Ele com a intenção de aprender como se tornar um cristão, como fazer a vontade de Deus. “Jesus respondeu, e disse-lhe: Na verdade, na verdade te digo que aquele que não nascer de novo, não pode ver o Reino de Deus.” (João 3:3). Jesus responde de uma maneira diferente, não o agradando, mas falando que, para entender, compreender as coisas do Reino de Deus, é necessário nascer de novo, que, para discernir as coisas do Reino, é necessário um novo nascimento. Muitos de nós temos a certeza de que Cristo é o Filho de Deus, mas, como não nascemos de novo, não entendemos, não compreendemos o Reino e, por tal motivo, não obedecemos ao Senhor, porque quem discerne obedece, sabe que não tem outra alternativa a não ser obedecer ao Senhor, e, se não obedecer, restam somente sofrimento e morte eterna. Não basta saber que Deus é bom, é preciso experimentar, viver essa Bondade de Deus, viver o amor de Deus, e só podemos viver isso se nascermos de novo. Por tal motivo são tantas as religiões e seitas que citam o Nome do Senhor (que é Santo para sempre Amém), mas vivem em pecado e contrários à Palavra de Deus. Ter conhecimento do Reino é para os que obedecem, quem não obedece, por mais que fale, não tem conhecimento do Reino, porque, se assim fosse, teria respeito, temor e viveria em santidade, teria se convertido ao Senhor, obedeceria a Ele.
 “Disse-lhe Nicodemos: Como pode um homem nascer, sendo velho? Pode, porventura, tornar a entrar no ventre de sua mãe, e nascer?” (João 3:4). Jesus respondeu de maneira espiritual, mas Nicodemos estava pensando de maneira natural, física, pois ele não entendia o renascimento do qual Jesus estava falando. Ele ainda pergunta se é possível um homem adulto voltar e entrar em sua mãe para tornar a nascer. Assim, são muitos os que simplesmente mudam de religião, ou, se estão sem religião, aceitam uma religião qualquer, mas não nascem de novo, não existe mudança, não existe transformação de caráter, não existe temor de Deus, porque não o conhecem verdadeiramente, não conhecem e nada sabem sobre o Reino de Deus. Se não nascermos de novo, se não nos humilharmos na presença do Senhor, nada conseguiremos, pois o Reino de Deus se conquista através de obediência ao Evangelho de Jesus Cristo, e não por uma maneira emotiva. Não é pelo fato de frequentarmos uma igreja denominacional qualquer, ou ofertar, jejuar e orar, ou rezar muito, que nos transformam em filhos de Deus. Não é por isso que conhecemos o Reino de Deus, não é por muito falar, é necessário nascer de novo, e esse nascimento só pode acontecer quando sepultamos o nosso velho homem, a velha mulher. “Jesus respondeu: Na verdade, na verdade te digo que aquele que não nascer da água e do Espírito, não pode entrar no Reino de Deus. O que é nascido da carne é carne, e o que é nascido do Espírito é espírito.” (João 3:5-6). O novo nascimento, o renascimento se inicia no batismo nas águas, pois é quando fazemos a confissão pública de que queremos servir o Senhor, quando enterramos a nossa velha natureza adâmica e aceitamos nos submeter a Ele. Nascemos como carne, somos seres carnais, mesmo porque somos provenientes de carne, nosso pais são carnais, assim sendo, se queremos viver de acordo com o Senhor, essa decisão tem que ser nossa, é um dos motivos pelos quais não se pode batizar crianças, pois não têm entendimento. Nós é que temos que optar por sermos diferentes, para deixarmos de ser carnais e sermos espirituais, para podermos entender, compreender o Reino de Deus. Temos que aceitar sermos nascidos de Jesus, deixar o Espírito de Deus nos guiar, pois, assim procedendo, seremos espíritos também. “Não te maravilhes de te ter dito: Necessário vos é nascer de novo. O vento assopra onde quer, e ouves a sua voz, mas não sabes de onde vem, nem para onde vai; assim é todo aquele que é nascido do Espírito.” (João 3:7-8). Temos que entender que não é a sabedoria humana, não é o conhecimento humano adquirido em uma faculdade que poderá nos aproximar de Deus. Tem que existir uma busca séria, tem que ter uma vontade de servir ao Senhor, tem que querer nascer de novo, porque, quando somos nascidos do Espírito, não somos nós que decidimos as nossas vidas, somos guiados o tempo todo pelo Espírito Santo, por Jesus Cristo. “Nicodemos respondeu, e disse-lhe: Como pode ser isso? Jesus respondeu, e disse-lhe: Tu és mestre de Israel, e não sabes isto? Na verdade, na verdade te digo que nós dizemos o que sabemos, e testificamos o que vimos; e não aceitais o nosso testemunho. Se vos falei de coisas terrestres, e não crestes, como crereis, se vos falar das celestiais? Ora, ninguém subiu ao céu, senão o que desceu do céu, o Filho do homem, que está no céu. E, como Moisés levantou a serpente no deserto, assim importa que o Filho do homem seja levantado; para que todo aquele que Nele crê não pereça, mas tenha a vida eterna. Porque Deus amou o mundo de tal maneira que deu o seu Filho unigênito, para que todo aquele que Nele crê não pereça, mas tenha a vida eterna. Porque Deus enviou o seu Filho ao mundo, não para que condenasse o mundo, mas para que o mundo fosse salvo por Ele. Quem crê Nele não é condenado; mas quem não crê já está condenado, porquanto não crê no Nome do unigênito Filho de Deus. E a condenação é esta: Que a luz veio ao mundo, e os homens amaram mais as trevas do que a luz, porque as suas obras eram más. Porque todo aquele que faz o mal odeia a luz, e não vem para a luz, para que as suas obras não sejam reprovadas. Mas quem pratica a verdade vem para a luz, a fim de que as suas obras sejam manifestas, porque são feitas em Deus.” (João 3:9-21).
Leiam e pratiquem a Bíblia. Que Deus os abençoe.
Um abraço,
Pr. Henrique Lino


Se voce está passando por problemas na sua vida espiritual, familiar, profissional, sentimental, com filhos em situação de risco, envolvimento com drogas, ou em processo de separação, divorcio, traído(a) abandonado(a) entre em contato conosco.O Ministério Atalaia do Evangelho de Deus está a sua disposição para aconselhamento, oração, e interseção e orientação, e cobertura espiritual. Visitem nosso site www.atalaiadedeus.com.br - O Ministério Atalaia do Evangelho de Deus tem como objetivo levar a Palavra de Deus. Trabalha voluntariamente com assistência as famílias, para restaurar casamentos e orientação espiritual a todo aquele que necessita de uma Palavra de cura, salvação e libertação. Esse Ministério tem obedecido ao chamado do Senhor, venha fazer parte desse trabalho com sua oração. 

quinta-feira, 19 de julho de 2018

ACAUTELAI

“Ajuntando-se, entretanto, muitos milhares de pessoas, de sorte que se atropelavam uns aos outros, começou a dizer aos seus discípulos: Acautelai-vos primeiramente do fermento dos fariseus, que é a hipocrisia.” (Lucas 12:1)

          Os povos se ajuntavam em torno de Jesus, assim como a multidão corre atrás de um ídolo, ou de uma pessoa ilustre. Do mesmo modo estavam fazendo com Jesus. Devemos observar que essas pessoas, essa multidão, não estavam se atropelando para estar na presença de Jesus, elas queriam somente uma bênção, queriam somente um milagre, queriam que Jesus multiplicasse mais pães e peixes, que as curasse, queriam levantá-lo como rei físico de Israel, porque nada mais confortável para elas que ter um rei físico com o poder que Jesus tinha, pois assim elas poderiam viver em seus erros e pecados e, ao mesmo tempo, ser protegidas e cuidadas, alimentadas, curadas de suas enfermidades. Assim acontece hoje em dia, as pessoas lotam templos denominacionais em busca de prosperidade, de uma cura, de uma bênção, mas não buscam verdadeiramente Cristo, não querem ser transformadas, não querem abandonar os seus pecados, não querem se converter, querem somente receber. As pessoas estão em busca de respostas materiais, querem solução física e a buscam através do espiritual, não compreendendo a incompatibilidade, pois querem usar o Criador do mundo e de tudo, esquecendo que Ele conhece o nosso interior, nossos pensamentos e desejos, e por isso essas pessoas sofrem, porque não querem o Autor da vida, querem somente ter vida farta e tranquila aqui. Mas Jesus deixou bem claro que essas pessoas que assim procedem são hipócritas e nada conseguirão, pois falam uma coisa e fazem outra. Hipocrisia – ato de representar o que não é –, eram hipócritas aqueles que se acotovelavam, se atropelavam para estar perto de Jesus, pois não o buscavam por reconhecerem Nele o seu Poder, por saberem que Ele era o Filho de Deus. Da mesma maneira, hoje as pessoas o buscam somente para receber alguma coisa e não estão preocupadas com a vida eterna, e sim com a vida atual, por isso tantos pregadores se especializaram em oferecer o que o povo busca. Seus anúncios, seus chamamentos não são para as pessoas buscarem a presença do Senhor, não é para elas se converterem, mas para buscarem as suas bênçãos, os seus milagres, as suas curas; prometem tudo o que o Senhor nunca prometeu, mas a cegueira faz com que essa multidão não perceba isso.
 “Mas nada há encoberto que não haja de ser descoberto; nem oculto, que não haja de ser sabido. Porquanto tudo o que em trevas dissestes, à luz será ouvido; e o que falastes ao ouvido no gabinete, sobre os telhados será apregoado.” (Lucas 12:2-3). Devemos saber que o Senhor é o nosso Criador, Ele nos formou, portanto, tudo sabe a nosso respeito e nos conhece muito melhor do que nós mesmos. Tolas são as pessoas que acham que podem esconder alguma coisa Dele, as que acham que podem falar, citar alguma coisa com outros pensamentos. Tudo o que fazemos e, principalmente, o que pensamos o Senhor sabe, portanto, quando falamos alguma coisa, mas estamos pensando em outra, somos hipócritas, e os hipócritas não herdarão o Reino de Deus. Quando falamos que o amamos, que queremos a sua presença, mas no íntimo pensamos no pecado e não queremos abandoná-lo, quando sabemos que estamos no erro e não pretendemos deixá-lo, quando assim procedemos, não estamos conseguindo enganar ninguém a não ser a nós mesmos. Por isso, quando formos buscar o Senhor, quando clamarmos a Ele, é necessário examinar para ver se estamos sendo sinceros, se estamos falando a verdade, porque os mentirosos não têm parte no Reino, e quem fala uma coisa e faz outra está mentindo, e o pai da mentira, o criador da mentira é o diabo.“E digo-vos, amigos meus: Não temais os que matam o corpo e, depois, não têm mais que fazer. Mas eu vos mostrarei a quem deveis temer; temei aquele que, depois de matar, tem poder para lançar no inferno; sim, vos digo, a esse temei.” (Lucas 12:4-5). Não podemos temer, ter medo de alguma coisa nem de ninguém, devemos ter medo, temer Jesus Cristo, temos que ter medo é de Deus, pois somente Ele pode fazer com que aconteça algo de bom ou de ruim em nossas vidas. Temos que saber que o diabo não tem todo esse poder que as pessoas imaginam, porque ele só pode agir, causar algum mal a uma pessoa se o Senhor permitir, e essa permissão só é concedida quando estamos vivendo e agindo à revelia da Palavra de Deus. Quem mata, quem dá vida é Deus, portanto temos que temê-lo, pois Ele pode fazer com que morramos e depois padeçamos por toda a eternidade. O diabo não é dono do inferno e nem mesmo tem a chave de lá, porque o inferno é somente o lugar de sua prisão, é somente o lugar onde ele deve permanecer trancado junto com os seus demônios e com todos os que desobedecem ao Senhor. Temos que ter medo de Deus, saber que não conseguimos esconder nada Dele, e, portanto, não tem como fugir de sua presença, e se não o respeitarmos, se não o amarmos, com certeza Ele nos enviará para a morte eterna. “Não se vendem cinco passarinhos por dois ceitis? E nenhum deles está esquecido diante de Deus. E até os cabelos da vossa cabeça estão todos contados. Não temais pois; mais valeis vós do que muitos passarinhos. E digo-vos que todo aquele que me confessar diante dos homens também o Filho do homem o confessará diante dos anjos de Deus. Mas quem me negar diante dos homens será negado diante dos anjos de Deus. E a todo aquele que disser uma palavra contra o Filho do homem ser-lhe-á perdoada, mas ao que blasfemar contra o Espírito Santo não lhe será perdoado.” (Lucas 12:6-10).
Leiam e pratiquem a Bíblia. Que Deus os abençoe.
Um abraço,
Pr. Henrique Lino


Se voce está passando por problemas na sua vida espiritual, familiar, profissional, sentimental, com filhos em situação de risco, envolvimento com drogas, ou em processo de separação, divorcio, traído(a) abandonado(a) entre em contato conosco.O Ministério Atalaia do Evangelho de Deus está a sua disposição para aconselhamento, oração, e interseção e orientação, e cobertura espiritual. Visitem nosso site www.atalaiadedeus.com.br - O Ministério Atalaia do Evangelho de Deus tem como objetivo levar a Palavra de Deus. Trabalha voluntariamente com assistência as famílias, para restaurar casamentos e orientação espiritual a todo aquele que necessita de uma Palavra de cura, salvação e libertação. Esse Ministério tem obedecido ao chamado do Senhor, venha fazer parte desse trabalho com sua oração. 

quarta-feira, 18 de julho de 2018

DISCURSO DE FÉ

“E, depois de concluir todos estes discursos perante o povo, entrou em Cafarnaum. E o servo de um certo centurião, a quem muito estimava, estava doente, e moribundo.” (Lucas 7:1-2)

          Jesus tinha dado vários ensinamentos, tinha falado por meio de várias parábolas, e depois Ele entrou em Cafarnaum. Jesus Cristo realizou inúmeros milagres, mas, ao contrário do que muitos pensam, Ele não tinha como prioridade fazer milagres, e sim pregar a Palavra, ensinar, revelar o seu Evangelho. Jesus veio para apresentar o Reino, veio para mostrar o Caminho da Salvação, assim a sua prioridade era sempre pregar, ensinar o seu Evangelho, o que fazia em toda a parte. O apóstolo Paulo aprendeu com Ele, porque também vivia para pregar o Evangelho de Jesus Cristo, porque, mesmo preso, ele não perdia uma oportunidade de apresentar Jesus, de dar o seu testemunho. Jesus, tão logo entra em Cafarnaum, recebe emissários de um centurião, que é um oficial responsável por cem soldados, um chefe a serviço de Roma, uma vez que Israel vivia sob o domínio de César. Mas não é por serem romanos, ou por estarem a serviço de Roma, por fazerem cumprir as leis de César que todos eram contrários à Palavra de Deus, porque muitos deles eram tementes a Deus. Neste caso específico, vemos que esse centurião que envia emissários a Jesus tinha um bom coração, prova tal que estava preocupado com um servo, estava preocupado com alguém que estava a seu serviço, a ponto de mandar procurar Jesus para socorrê-lo. Quando a Palavra fala moribundo, quer dizer que estava à beira da morte, estava prestes a morrer, diante da carência médica da época, era um caso fatal, se esse centurião não tivesse ido ao encontro do Salvador, do Dono da vida. “E, quando ouviu falar de Jesus, enviou-lhe uns anciãos dos judeus, rogando-lhe que viesse curar o seu servo.” (Lucas 7:3). Devemos imaginar a fé desse homem que, quando ficou sabendo que Jesus estava na região, enviou os seus emissários rogando, pedindo, implorando que Jesus fosse curar o seu servo, portanto, sabemos que ele acreditava, sabia que Jesus podia curar. Temos que analisar um outro lado da situação, pois não estamos falando da fé do enfermo, do doente, mas da fé do seu senhor, e veremos mais adiante que o servo ficará curado graças à fé do centurião. Assim, quando alguém vem justificar dizendo que alguém não foi curado por falta de fé do enfermo, temos que rebater, porque não foi esse o motivo, faltou fé em quem orou, ou em quem pediu oração, porque, além desse caso, temos vários outros na Bíblia. Temos um caso de quatro homens que levaram em uma maca, uma cama, um enfermo diante do Senhor e que também recebeu a cura pela fé dos quatro.
 “E, chegando eles junto de Jesus, rogaram-lhe muito, dizendo: É digno de que lhe concedas isto, Porque ama a nossa nação, e ele mesmo nos edificou a sinagoga.” (Lucas 7:4-5). Os emissários, quando chegaram a Jesus, pediram, rogaram que Ele atendesse o pedido do centurião, expondo que ele era um bom amigo de Israel. Apesar de ser uma autoridade romana, ele tinha construído uma sinagoga, isto é, um templo para adorar a Deus. Como eu disse, apesar de ser um romano, de ser uma autoridade a serviço de César, era um homem bondoso e temente a Deus, e principalmente tinha fé, acreditava em Jesus, caso contrário, não teria mandado pessoas rogarem a Cristo que fosse a sua casa curar o seu servo. Os crentes, os evangélicos atuais gostam de condenar todas as outras religiões, e muitos chegam ao ponto de condenar todos os que não pertencem a suas denominações. Mas muitas vezes – não poucas – encontramos pessoas mais sinceras, mais tementes a Deus em outras religiões, ou até mesmo sem religião, do que no meio denominado gospel. Muitos são cristãos verdadeiros, com práticas cristãs e não estão dentro dos templos, talvez sejam cristãos exatamente por não fazerem parte de uma religião mercantilista e cheia de rituais que para nada servem. Temos que aprender a ser cristãos, ser discípulos de Jesus, praticarmos o Evangelho, e não seguirmos uma religião qualquer, não seguirmos ou praticarmos doutrinas e preceitos de homens, mas vivermos segundo os ensinamentos de Jesus. Temos que ter fé e aplicar a nossa fé em Cristo todo o tempo, pois, se tivermos fé, se crermos Nele, com certeza viveremos em obediência a Ele. Temos que seguir o exemplo desse centurião, que era um estrangeiro, mas tinha muito mais fé do que o povo escolhido por Deus, e esse homem não alardeou sua fé, simplesmente a colocou em prática ao buscar Jesus para curar o seu servo. “E foi Jesus com eles; mas, quando já estava perto da casa, enviou-lhe o centurião uns amigos, dizendo-lhe: Senhor, não te incomodes, porque não sou digno de que entres debaixo do meu telhado. E por isso nem ainda me julguei digno de ir ter contigo; dize, porém, uma Palavra, e o meu criado sarará. Porque também eu sou homem sujeito à autoridade, e tenho soldados sob o meu poder, e digo a este: Vai, e ele vai; e a outro: Vem, e ele vem; e ao meu servo: Faze isto, e ele o faz. ” (Lucas 7:6-8). Esse homem, essa autoridade a serviço de Roma, que tinha sob o seu comando cem soldados, era um homem simples e humilde, porque ele se humilha diante do Senhor. A sua fé era tão grande e ele tão humilde que, quando Jesus estava se aproximando da sua casa, ele envia outros emissários ao encontro de Jesus dizendo que ele era um pecador e que não era digno de receber a ilustre visita de Jesus. Pela sua fala reconhecemos quão grande é a sua fé que Ele fala do Poder de Jesus, sabe que o Senhor pode dar a ordem e que todos lhe obedecem, inclusive, se Ele desse a ordem, o seu servo ficaria curado, e ainda cita um exemplo, porque ele, como autoridade, quando dava uma ordem, os seus soldados lhe obedeciam. Mas hoje muitos dos que se dizem crentes, evangélicos, apesar de Jesus lhes ter dado poder, eles não têm fé para dar a ordem, não curam ninguém, não expulsam o mal das pessoas, porque não têm fé. Mas é dever nosso dar a ordem, libertar os cativos e expulsar os demônios, e principalmente pregar o Evangelho de Jesus Cristo a toda criatura. “E, ouvindo isto Jesus, maravilhou-se dele, e voltando-se, disse à multidão que o seguia: Digo-vos que nem ainda em Israel tenho achado tanta fé. E, voltando para casa os que foram enviados, acharam são o servo enfermo.” (Lucas 7:9-10).
Leiam e pratiquem a Bíblia. Que Deus os abençoe.
Um abraço,
Pr. Henrique Lino 


Se voce está passando por problemas na sua vida espiritual, familiar, profissional, sentimental, com filhos em situação de risco, envolvimento com drogas, ou em processo de separação, divorcio, traído(a) abandonado(a) entre em contato conosco.O Ministério Atalaia do Evangelho de Deus está a sua disposição para aconselhamento, oração, e interseção e orientação, e cobertura espiritual. Visitem nosso site www.atalaiadedeus.com.br - O Ministério Atalaia do Evangelho de Deus tem como objetivo levar a Palavra de Deus. Trabalha voluntariamente com assistência as famílias, para restaurar casamentos e orientação espiritual a todo aquele que necessita de uma Palavra de cura, salvação e libertação. Esse Ministério tem obedecido ao chamado do Senhor, venha fazer parte desse trabalho com sua oração. 

terça-feira, 17 de julho de 2018

OS MINISTROS DE CRISTO

“Que os homens nos considerem como ministros de Cristo, e despenseiros dos mistérios de Deus. Além disso requer-se dos despenseiros que cada um se ache fiel.” (1 Coríntios 4:1-2)

          Nós que nos julgamos convertidos a Cristo, que afirmamos que somos salvos, lavados e remidos no Sangue de Cristo, temos o dever de mostrar isto através de nosso caráter, de nossas ações diárias. Se somos realmente salvos, se temos Cristo habitando em nós, então temos a obrigação de mostrar para o mundo a sua face, porque somos como uma despensa e temos guardadas em nós coisas sublimes, temos as maravilhas do Reino em nós. Se falamos que somos cristãos, mas agimos da mesma maneira que as pessoas que não conhecem o Senhor, então somos hipócritas, mentirosos, falsos, porque falamos uma coisa que não é verdade. Não podemos ser falsos, porque, ao nos identificarmos como cristãos, as pessoas vêm até nós esperando encontrar um comportamento cristão, esperando encontrar em nós a verdade, a compreensão, o domínio próprio, a bondade e o amor. Quando agimos de maneira contrária à que falamos que somos, quando o nosso comportamento mostra outra coisa, somos decepcionantes, somos pessoas que trazem frustrações, porque, quando alguém vem até nós esperando encontrar algo de Cristo e não encontra, sai frustrado e decepcionado. Na verdade, com o nosso comportamento estamos agindo como inimigos da cruz, inimigos de Cristo, porque, como as pessoas veem em nós um comportamento inadequado a um cristão, e como afirmamos que somos cristãos, então elas não querem saber de Cristo, já que os que se dizem cristãos são mentirosos. Devemos tomar cuidado para não sermos hipócritas, não falarmos uma coisa e fazermos outra com a intenção de agradar e nos justificar diante dos homens, porque a nossa preocupação não pode ser agradar a seres humanos, mas agradar a Deus. “Todavia, a mim mui pouco se me dá de ser julgado por vós, ou por algum juízo humano; nem eu tampouco a mim mesmo me julgo. Porque em nada me sinto culpado; mas nem por isso me considero justificado, pois quem me julga é o Senhor.” (1 Coríntios 4:3-4). Temos que analisar as nossas vidas à luz do Evangelho, e não nos basearmos em julgamentos humanos, porque somos todos imperfeitos, e a maneira como o mundo, como a lógica humana julga é contrária à de Deus. Não esperamos glórias dos homens, mas sim a aprovação do Senhor; assim sendo, temos que ser uma despensa cheia de coisas espirituais agradáveis, porque somos seres espirituais.
 “Portanto, nada julgueis antes de tempo, até que o Senhor venha, o qual também trará à luz as coisas ocultas das trevas, e manifestará os desígnios dos corações; e então cada um receberá de Deus o louvor.” (1 Coríntios 4:5) Por esse motivo não podemos fazer julgamentos baseados em conhecimento e sabedoria humana, e sim nos aprofundarmos no conhecimento de Cristo e julgarmos somente de acordo com o Evangelho, porque assim saberemos que o julgamento não é nosso, mas Dele. Se somos despenseiros de Cristo, se somos habitação Dele, então é Ele quem faz em nós, assim, só agimos, falamos, julgamos por Ele, e não por nós mesmos. Tudo será esclarecido e revelado no tempo certo; quando Jesus voltar, no dia do julgamento tudo será mostrado, nada ficará oculto. Assim não podemos querer ultrapassar além do que está escrito no Evangelho, porque o Evangelho, a Palavra é o próprio Cristo, e, se tentarmos ir além, estaremos pecando, estaremos errando, porque a nossa limitação é Cristo. Temos que procurar agir somente de acordo com o Evangelho, nem menos e nem mais, somente como o Senhor determina; não podemos querer criar novas doutrinas, acrescentar algo ou modernizar o Evangelho para o adaptar à situação atual, mesmo porque o Evangelho é atual, é vivo. Todos nós receberemos as nossas recompensas de acordo como tratamos, vivemos o Evangelho de Jesus Cristo aqui. No dia do julgamento seremos expostos, mesmo porque nada haverá de oculto que não será revelado. “E eu, irmãos, apliquei estas coisas, por semelhança, a mim e a Apolo, por amor de vós; para que em nós aprendais a não ir além do que está escrito, não vos ensoberbecendo a favor de um contra outro.” (1 Coríntios 4:6). Assim como o apóstolo Paulo, temos que aplicar isto em nós mesmos, para que sejamos exemplo, para que as pessoas possam se espelhar em nós, para que sejamos dignos de herdarmos o Reino. Não podemos fazer julgamentos injustos, porque Cristo é Justo e Ele habita em nós, então o julgamento é Dele; assim não favorecemos ninguém, a todos devemos tratar por igual. Não podemos abrir exceção nem mesmo para os nossos familiares ou amigos, porque Cristo não abriu e é Ele quem faz os julgamentos, assim tratemos todos por igual. Não existe a opção de podermos fazer algo para beneficiar um parente, um amigo, ou outra pessoa que nem mesmo conhecemos, porque isto seria injusto, e não existe para Cristo essa acepção, mesmo porque vimos como Ele tratou os irmãos carnais, os filhos de Maria e José, e até mesmo como tratou Maria, sua mãe carnal.“Porque, quem te faz diferente? E que tens tu que não tenhas recebido? E, se o recebeste, por que te glorias, como se não o houveras recebido? Já estais fartos! Já estais ricos! Sem nós reinais! E quisera reinásseis para que também nós viéssemos a reinar convosco!” (1 Coríntios 4:7-8). Não existe ninguém superior ao outro espiritualmente, porque todos temos que ser somente servos de Cristo, temos que ser servidores do Deus Altíssimo, portanto, temos que estar preparados para exercer nossas funções. Os que estão despreparados, os que não estão cumprindo com as suas obrigações estão em erro e vão pagar por isso, mas não quer dizer que somos superiores, porque todos nós estamos sujeitos a falhas, a cair. Assim sejamos cristãos e não julguemos, mas exortemos, admoestemos, consolemos de acordo com o Evangelho, pois essa é nossa obrigação. “Porque tenho para mim, que Deus a nós, apóstolos, nos pôs por últimos, como condenados à morte; pois somos feitos espetáculo ao mundo, aos anjos, e aos homens. Nós somos loucos por amor de Cristo, e vós sábios em Cristo; nós fracos, e vós fortes; vós ilustres, e nós vis. Até está presente hora sofremos fome, e sede, e estamos nus, e recebemos bofetadas, e não temos pousada certa, E nos afadigamos, trabalhando com nossas próprias mãos. Somos injuriados, e bendizemos; somos perseguidos, e sofremos; somos blasfemados, e rogamos; até ao presente temos chegado a ser como o lixo deste mundo, e como a escória de todos.” (1 Coríntios 4:9-13).
Leiam e pratiquem a Bíblia. Que Deus os abençoe.
Um abraço,
Pr. Henrique Lino


Se voce está passando por problemas na sua vida espiritual, familiar, profissional, sentimental, com filhos em situação de risco, envolvimento com drogas, ou em processo de separação, divorcio, traído(a) abandonado(a) entre em contato conosco.O Ministério Atalaia do Evangelho de Deus está a sua disposição para aconselhamento, oração, e interseção e orientação, e cobertura espiritual. Visitem nosso site www.atalaiadedeus.com.br - O Ministério Atalaia do Evangelho de Deus tem como objetivo levar a Palavra de Deus. Trabalha voluntariamente com assistência as famílias, para restaurar casamentos e orientação espiritual a todo aquele que necessita de uma Palavra de cura, salvação e libertação. Esse Ministério tem obedecido ao chamado do Senhor, venha fazer parte desse trabalho com sua oração. 

segunda-feira, 16 de julho de 2018

OS DISCÍPULOS DE JOÃO

“Ora, os discípulos de João e os fariseus jejuavam; e foram e disseram-lhe: Por que jejuam os discípulos de João e os dos fariseus, e não jejuam os teus discípulos?” (Marcos 2:18)

          João Batista, o preparador do caminho do Senhor, aquele que veio para batizar Jesus e foi o primeiro pregador do Novo Testamento, foi morto a mando de Herodes por condenar o divórcio e o recasamento. Os seus discípulos e ainda os fariseus jejuavam constantemente e, ao verem os discípulos de Jesus não jejuando, foram questionar o Senhor. Sabemos que os religiosos daquela época faziam jejuns sempre, apesar de continuarem em seus pecados, inclusive Deus, através do seu profeta Isaías, chamou atenção do povo sobre o que era jejum, que não era aquilo que eles faziam, ficando um dia na semana sem comer. Os nossos religiosos atuais continuam com a mesma prática, porque fazem jejum para tudo, geralmente para obterem uma vitória, para alcançarem uma bênção, pois acham que, por ficarem algumas horas, ou dias sem comer e sem beber, Deus irá responder a suas orações, irá abençoá-los. Mas o que temos que entender é que o jejum verdadeiro não tem a finalidade de buscar qualquer bênção, e sim crescer espiritualmente. Infelizmente, muitos pregadores, muitos religiosos, muitos templos procuram fazer as pessoas agirem na emoção, e por tal motivo criam jejuns de todos os tipos e exigem que seus membros, seus seguidores os acompanhem. Por isto vemos tantos alardes, tantas propagandas, em que divulgam e chamam as pessoas para participarem de jejuns das causas impossíveis, jejuns dos milagres urgentes, jejuns da prosperidade, jejuns da cura e outros tantos, e as pessoas, sem terem o mínimo conhecimento, fazem e acham que estão certas, porque não conhecem a verdadeira função do jejum. Temos que ser pessoas inteligentes, temos que colocar a nossa mente, a inteligência que o Senhor nos deu para funcionar, devemos analisar tudo à luz do Evangelho e não fazer tudo pela emoção ou porque alguém disse. Devemos somente fazer o que está de acordo com o Evangelho na Graça, pois é onde vivemos, uma vez que a lei se cumpriu em Jesus, e assim não vivemos mais na antiga lei, e nem nos profetas, nós vivemos em Jesus, pois Ele mesmo disse: “A lei e os profetas duraram até João; desde então é anunciado o Reino de Deus, e todo o homem emprega força para entrar Nele.” (Lucas 16:16). Portanto, sabemos que agora vivemos para Jesus, vivemos para praticar os seus ensinamentos, e não vivemos seguindo as ordenanças que foram entregues por Moisés. Assim, temos que compreender o que Jesus fala ou manda e não ficarmos cumprindo somente rituais religiosos que para nada servem, a não ser para demonstrar uma aparência de santidade.
 “E Jesus disse-lhes: Podem porventura os filhos das bodas jejuar enquanto está com eles o esposo? Enquanto têm consigo o esposo, não podem jejuar; mas dias virão em que lhes será tirado o esposo, e então jejuarão naqueles dias.” (Marcos 2:19-20). Jesus, respondendo ao questionamento, mostra que não se pode fazer jejum quando se tem Jesus, quando se está cheio da sua presença. Mas no dia em que a pessoa se sentir fraco na fé, sentir a ausência do Senhor em sua vida, aí sim deve jejuar, quebrar a carne para que fortaleça o espirito. Os discípulos de Jesus não precisavam fazer jejum porque Jesus estava com eles, porque estavam na companhia de Jesus, e, estando com Jesus, já tinham tudo o que lhes era necessário. E olha que não vimos em nenhuma parte os discípulos pedindo a Cristo qualquer tipo de bênçãos, eles só o acompanhavam. Assim, fica claro que a função do jejum é buscarmos mais intimidades com o Senhor, é para jejuarmos quando nos sentirmos fracos, para que possamos nos fortalecer mais espiritualmente. Quando estamos cheios de fé, cheios de Jesus, não podemos fazer jejum, mesmo porque não tem utilidade alguma, não podemos imaginar que pelo fato de ficarmos com fome e com sede Deus irá nos atender e nos dar essa ou aquela bênção. Não podemos associar o jejum a um ato de humildade, porque o Senhor conhece o nosso coração, a verdadeira humildade é nos render, entregarmo-nos ao Senhor sabendo que nada somos e que temos a obrigação de lhe servir, somente isso. Todos os que estão fazendo jejum para obter uma bênção qualquer estão errados, estão passando fome e sede sem necessidade. Também temos que entender que não existem vários tipos de jejuns, mas somente um, que é a ausência total de água e alimento, e não há um tempo mínimo ou máximo para as pessoas jejuarem. Mesmo porque existem pessoas que tomam medicamentos, outras que não conseguem ficar muito tempo sem tomar água ou colocar algum alimento no estômago, por isso as pessoas têm que fazer o jejum analisando primeiro o tempo máximo que conseguem ficar sem alimento e água. Que seja uma hora, ou um dia, e sempre quando iniciar o jejum, orar a Deus em Nome de Jesus Cristo, e depois, na hora de entregar, novamente orar. Para fazer jejum por vários dias continuados, é necessário todos os dias à noite entregar o jejum e recomeçar no dia seguinte, porque não existe jejum continuado de vinte quatro horas, porque o sono alimenta, e jejum é ausência total de todas as espécies de alimentos. Não existe jejum de Daniel, o que existe é regime para emagrecer; não existe jejum de rede social ou de refrigerante ou somente de alguma coisa de que a pessoa gosta. Por isto, temos que sempre analisar tudo à luz da Palavra para evitar fazermos sacríficos tolos que para nada servem. Por isto sabemos que a única função do jejum é quebrar a carne para fortalecer o espírito, não podemos nos esquecer dos ensinamentos de Jesus, não podemos tentar incluir a lei na Graça, não podemos tentar remendar uma roupa velha com tecido novo ou vice-versa. “Ninguém deita remendo de pano novo em roupa velha; doutra sorte o mesmo remendo novo rompe o velho, e a rotura fica maior. E ninguém deita vinho novo em odres velhos; doutra sorte, o vinho novo rompe os odres e entorna-se o vinho, e os odres estragam-se; o vinho novo deve ser deitado em odres novos.” (Marcos 2:21-22).
Leiam e pratiquem a Bíblia. Que Deus os abençoe.
Um abraço,
Pr. Henrique Lino


Se voce está passando por problemas na sua vida espiritual, familiar, profissional, sentimental, com filhos em situação de risco, envolvimento com drogas, ou em processo de separação, divorcio, traído(a) abandonado(a) entre em contato conosco.O Ministério Atalaia do Evangelho de Deus está a sua disposição para aconselhamento, oração, e interseção e orientação, e cobertura espiritual. Visitem nosso site www.atalaiadedeus.com.br - O Ministério Atalaia do Evangelho de Deus tem como objetivo levar a Palavra de Deus. Trabalha voluntariamente com assistência as famílias, para restaurar casamentos e orientação espiritual a todo aquele que necessita de uma Palavra de cura, salvação e libertação. Esse Ministério tem obedecido ao chamado do Senhor, venha fazer parte desse trabalho com sua oração. 

sexta-feira, 13 de julho de 2018

SETE MIL

“Digo, pois: Porventura rejeitou Deus o seu povo? De modo nenhum; porque também eu sou israelita, da descendência de Abraão, da tribo de Benjamim.” (Romanos 11:1)

          Israel, apesar de ter sido o povo escolhido por Deus, apesar de ter recebido todo cuidado, proteção e amor de Deus, foi infiel, e por inúmeras vezes o abandonou indo em busca de outros deuses e ídolos vãos. Povo de dura cerviz, povo rebelde, que só se lembrava do Senhor nas horas das dificuldades, na hora em que o Senhor enviava inimigos para os matar ou os levar para o cativeiro, além de fechar o céu para que não chovesse e assim não pudessem produzir, plantar ou colher nada, e assim passavam fome. Nos momentos de desespero, oravam, clamavam e prometiam ser fiéis, mas era só o deserto, a luta passar que voltavam às suas práticas horríveis e pecaminosas. Para ter uma ideia das desobediências de Israel, basta saber que Deus, no passado, enviou, permitiu, concordou que a cidade de Jerusalém fosse duas vezes destruída e sitiada vinte e três vezes, atacada cinquenta e duas vezes e capturada e recapturada quarenta e quatro vezes, diante de tanta teimosia dos judeus. Mas Deus os entregava aos adversários não por ódio, mas por amor, para que pudessem perceber o que estavam fazendo e voltarem para o Senhor. Assim também é esse povo que se diz cristão, mas que é somente religioso, pois não tem compromisso com a Palavra de Deus. Muitos são os que fazem parte de alguma religião, de alguma denominação, de alguma congregação, mas, apesar de citarem o Nome do Senhor (que é Santo para sempre Amém), vivem de maneira contrária a seus mandamentos, portanto vivem em constantes lutas, em sofrimentos, e, por mais que clamem, não obterão respostas, pois com os seus atos discordam do Senhor, apesar de com a boca confessarem outra coisa. Somos analisados não pelo que falamos, e sim pelo nosso interior, porque o Senhor examina as nossas mentes, os nossos corações para ver se realmente somos Dele, se somos sinceros ou somente hipócritas. Assim, nada importa se eu disser que o amo, se vou a templos, se devolvo os dízimos, e se oferto ou participo de campanhas, ou grito rodó, canto e choro. Se eu não estiver praticando o seu Evangelho, se o meu coração não for sincero, com certeza nada receberei de bom do Senhor, eu receberei castigo, punição pela minha traição, por abandonar a Fonte de Águas Vivas e abrir cisternas rotas. O povo de Israel falava, citava o Nome do Senhor e, ao mesmo tempo, adorava demônios e outros deuses, por isso sofreu tantas vezes. Isso é para nós exemplo, para sabermos que não podemos abandonar o Senhor.
 “Deus não rejeitou o seu povo, que antes conheceu. Ou não sabeis o que a Escritura diz de Elias, como fala a Deus contra Israel, dizendo: Senhor, mataram os teus profetas, e derribaram os teus altares; e só eu fiquei, e buscam a minha alma?” (Romanos 11:2-3). Não quer dizer que Deus tenha abandonado, desistido de Israel. Mesmo com tantas desobediências, rebeldias e pecado, o Senhor manteve firme a sua Promessa em relação a Israel, mesmo porque a sua Palavra não volta vazia. Por causa do pecado, vemos até hoje Israel sendo perseguida, atacada, mas jamais será destruída, porque o Senhor tem compromisso com ela. As infidelidades deles fazem com que passem por tantos ataques, mas, no dia em que se converterem totalmente ao Senhor, tudo será diferente, porque, apesar de a sua maioria adorar mais a Davi do que a Jesus, apesar de viverem na Antiga lei que se cumpriu no Senhor, apesar de serem poucos os judeus cristãos, a Palavra do Senhor se cumpre, e por amor a sua Palavra e aos poucos fiéis nada poderá destruir Israel. Temos que entender que Deus não abandonou Israel por causa da sua infidelidade e rebelião, foi por causa do seu Nome, da sua Palavra que deu. Assim também é nos dias de hoje para nós, pois analisamos e vemos a dificuldade de encontrar um templo, um pregador, um pastor sério comprometido com a Palavra de Deus, porque a maioria está preocupada em auferir lucros e, portanto, aceita, tolera e concorda com o pecado. E assim a maioria aceita e recomenda o divórcio, o recasamento, a fornicação, e eles mesmos praticam atos desonestos, quando criam campanhas somente para arrecadarem mais dinheiro. Mas isto não quer dizer que não exista ninguém mais, nenhuma igreja, templo sério, fiel à Palavra de Deus. Ao profeta Elias, quando achava que estava só, o Senhor lhe respondeu mostrando que ainda existiam mais de sete mil fiéis a Ele. De igual modo, sabemos que ainda existem muitos que não concordam com os erros, não permitem o pecado, que vivem e pregam santidade e arrependimento, por isto não podemos desistir, mas ficarmos buscando cada vez mais, principalmente praticando a sua Palavra. Sabemos que o Senhor é fiel e que as suas misericórdias duram para sempre, assim, se formos fiéis a Ele, então, com certeza, receberemos o seu amor, e não a sua ira.“Mas que lhe diz a resposta divina? Reservei para mim sete mil homens, que não dobraram os joelhos a Baal. Assim, pois, também agora neste tempo ficou um remanescente, segundo a eleição da graça. Mas se é por graça, já não é pelas obras; de outra maneira, a graça já não é graça. Se, porém, é pelas obras, já não é mais graça; de outra maneira a obra já não é obra.” (Romanos 11:4-6). Não estamos sós, existem muitos que também são fiéis a Deus, que buscam e vivem com integridade o seu Evangelho. Mesmo que estejamos isolados, mesmo que não estejamos vendo, temos que continuar buscando cada vez mais andar de acordo com o Evangelho, porque sabemos que o Senhor não nos desprezou por causa da idolatria e da infidelidade da maioria. “Pois quê? O que Israel buscava não o alcançou; mas os eleitos o alcançaram, e os outros foram endurecidos. Como está escrito: Deus lhes deu espírito de profundo sono, olhos para não verem, e ouvidos para não ouvirem, até ao dia de hoje. E Davi diz: Torne-se-lhes a sua mesa em laço, e em armadilha, E em tropeço, por sua retribuição; Escureçam-se lhes os olhos para não verem, E encurvem-se-lhes continuamente as costas.” (Romanos 11:7-10).
Leiam e pratiquem a Bíblia. Que Deus os abençoe.
Um abraço,
Pr. Henrique Lino


Se voce está passando por problemas na sua vida espiritual, familiar, profissional, sentimental, com filhos em situação de risco, envolvimento com drogas, ou em processo de separação, divorcio, traído(a) abandonado(a) entre em contato conosco.O Ministério Atalaia do Evangelho de Deus está a sua disposição para aconselhamento, oração, e interseção e orientação, e cobertura espiritual. Visitem nosso site www.atalaiadedeus.com.br - O Ministério Atalaia do Evangelho de Deus tem como objetivo levar a Palavra de Deus. Trabalha voluntariamente com assistência as famílias, para restaurar casamentos e orientação espiritual a todo aquele que necessita de uma Palavra de cura, salvação e libertação. Esse Ministério tem obedecido ao chamado do Senhor, venha fazer parte desse trabalho com sua oração.