EVANGELIZAR.

NESTE BLOG DISPONIBILIZAMOS MENSAGENS CRISTÃS SEGUNDO A BIBLIA. FALAMOS DOS ESTATUTOS DO REINO DE DEUS.

sexta-feira, 29 de julho de 2016

INCREDULIDADE E MEDO

"E falando eles destas coisas, o mesmo Jesus se apresentou no meio deles, e disse-lhes: Paz seja convosco." (Lucas 24: 36)

 Durante três anos, Pedro, João e os outros discípulos estiveram convivendo com Jesus, ouvindo suas pregações, sendo ensinados por Ele, e vendo inúmeros milagres e maravilhas. Estiveram se alimentando diretamente da Fonte Inesgotável, receberam poder e foram enviados em Nome do Senhor para preparar as pessoas, expulsarem demônios, curarem pessoas, tudo em Nome de Jesus. Viram e ouviram Jesus orando e falando com o Pai, e também ouviram o Pai responder a Ele, além de Jesus informar-lhes sobre tudo o que iria acontecer. Jesus disse a eles que a Palavra se cumpriria Nele, que seria preso, humilhado e que morreria, mas que no terceiro dia ressuscitaria, e foi o que aconteceu. Mas, apesar de Jesus ter falado, prevenido-os sobre tudo o que aconteceria, quando aconteceu, eles não acreditaram e se sentiram decepcionados quando Jesus morreu. Apesar de Jesus ter dito que morreria, quando isto aconteceu, sentiram-se frustrados, enganados, porque não acreditavam na ressurreição, não acreditavam que Jesus poderia ressuscitar dos mortos. Portanto, sabemos que, apesar de ouvir Jesus, não criam totalmente em sua Palavra, porque, caso contrário, simplesmente ficariam aguardando da sua volta. Mas, agora, reunidos e ainda meio perdidos, comentavam sobre alguns irmãos que tinham relatado que tinham visto o Senhor, além das mulheres que também o tinham visto. Mesmo assim a maioria não acreditava, não cria no Senhor e não cria nos que o tinham visto. Ainda estavam discutindo sobre isso quando Jesus aparece onde eles estão. Chega cumprimentando-os e trazendo a paz."E eles, espantados e atemorizados, pensavam que viam algum espírito." (Lucas 24:37). Quando era para eles ficarem alegres, felizes, ficaram com medo, achavam que estavam vendo um fantasma, um espirito qualquer, não acreditavam no que estavam vendo, apesar de Jesus ter estado ensinando-lhes durante os três anos aproximados do seu ministério terreno, e explicado que não existe fantasma, que eles não poderiam acreditar no que não existia; na verdade, Jesus estava diante deles e eles ficaram com medo, não acreditavam que Ele poderia estar vivo, isto porque o viram morrer na Cruz do Calvário. Infelizmente, a incredulidade é algo latente no ser humano, pois querem somente acreditar no que veem e podem tocar.
 "E Ele lhes disse: Por que estais perturbados, e por que sobem tais pensamentos aos vossos corações?" (Lucas 24:38). Esse encontro poderia e deveria ter sido mais alegre e festivo, deveria ser simplesmente a entrada de alguém que estava sendo aguardado com ansiedade e muita felicidade. Mas, ao contrário, Jesus chegou e chamou-lhes a atenção por causa da incredulidade e do medo deles. Jesus questiona o porquê de eles permitirem os pensamentos de dúvidas e incredulidades, de medo, uma vez que deveriam saber que era Ele. Deveriam tê-lo reconhecido, mas, mesmo estando diante Dele, não o reconheciam, e ainda pensavam que era um fantasma, algo que não existia. Assim, as pessoas preferem acreditar em quaisquer coisas, mas não acreditam em Jesus, não acreditam na sua Palavra, porque, se assim fosse, viveriam de maneira diferente, viveriam pela fé. Por não crerem, não praticam a fé, e por tal motivo padecem em suas misérias. As pessoas, mesmo dentro de templos, sendo religiosas, mesmo carregando uma Bíblia, preferem muitas vezes acreditar em quaisquer coisas, quaisquer ensinamentos heréticos, mas não acreditam simplesmente na Palavra e não ficam na expectativa, não aguardam a ação do Senhor, não o esperam com alegrias. "Vede as minhas mãos e os meus pés, que sou eu mesmo; apalpai-me e vede, pois um espírito não tem carne nem ossos, como vedes que eu tenho. E, dizendo isto, mostrou-lhes as mãos e os pés." (Lucas 24: 39-40). Mesmo diante do Senhor, mesmo Ele falando quem era, e ainda mostrando os sinais, mandando tocar em seus ferimentos, lembrando que espírito, fantasma não tem carne e osso e Ele tinha, mesmo assim a incredulidade, o medo deles era tão grande que, mesmo Jesus falando, explicando, eles não conseguiam acreditar Nele. Assim somos nós, Jesus está o tempo todo nos falando, mandando nos aquietar e aguardar, mandando que creiamos Nele, que pratiquemos a sua Palavra, que não andemos ansiosos, mas preferimos ignorar e viver de maneira aloucada, tentando fazer as coisas com as nossas mãos. E por tal motivo nada conseguimos, a não ser confusão, cansaço e desânimo. Os discípulos de Jesus não creram Nele, apesar de Jesus ter avisado antes o que iria acontecer, apesar de tê-los avisado que ressuscitaria. Quando Ele ressuscitou e apareceu, eles não creram. Apesar de agora ressurreto falar com eles, mesmo assim ainda não criam, apesar de Jesus mandar que lhe tocassem, mesmo assim a incredulidade estava perseverando.
 "E, não o crendo eles ainda por causa da alegria, e estando maravilhados, disse-lhes: Tendes aqui alguma coisa que comer? Então eles apresentaram-lhe parte de um peixe assado, e um favo de mel; O que ele tomou, e comeu diante deles." (Lucas 24:41-43). Jesus pergunta se há alguma coisa para comer, não que estivesse com fome, mas para mostrar que não era um fantasma ou um espírito qualquer, porque todos sabem que espíritos e fantasmas não comem, e assim eles lhe deram um peixe assado e favo de mel, e ficaram alegres ao comprovar que era Jesus, que Ele realmente estava vivo, que a morte não tinha poder sobre Ele. Assim é a humanidade, assim são os que se dizem discípulos de Jesus, porque, quando vem a enfermidade, eles não acreditam na Palavra de Jesus, que disse que já levou todas as nossas enfermidades, mas preferem acreditar na própria enfermidade. Preferem acreditar em quaisquer coisas, mas não crerem na Palavra, e sabemos que Jesus é a Palavra, e o que Ele diz é o que acontece. Preferem acreditar no problema a acreditar na solução, que é Jesus. As pessoas têm medo e dúvidas, sendo que deveriam ter fé. "E disse-lhes: São estas as palavras que vos disse estando ainda convosco: Que convinha que se cumprisse tudo o que de mim estava escrito na lei de Moisés, e nos profetas e nos Salmos." (Lucas 24:44). Jesus então começa a explicar mostrando-lhes que já tinha dito a eles que essas coisas iriam acontecer, que Deus já tinha usado Moisés e os profetas para falarem sobre Ele, que a Palavra se cumpre, que os profetas, os salmos falavam tudo o que iria acontecer e estava acontecendo. Lembrou que Ele tinha dito que tudo se cumpriria, portanto não é novidade, mas simplesmente o cumprimento da Palavra de Deus. Jesus mostra que tudo o que aconteceu com Ele, sua prisão, crucificação e morte já estava determinado por Deus há muito, e já estava relatado a todos, mas eles não tinham acreditado na Palavra de Deus. "Então abriu-lhes o entendimento para compreenderem as Escrituras. E disse-lhes: Assim está escrito, e assim convinha que o Cristo padecesse, e ao terceiro dia ressuscitasse dentre os mortos, E em seu Nome se pregasse o arrependimento e a remissão dos pecados, em todas as nações, começando por Jerusalém."(Lucas 24:45-47). Jesus abre-lhes o entendimento para conhecer, entender a Palavra de Deus, e então explica tudo, tudo sobre o plano de Deus para a humanidade e o que Ele espera de nós. E mostra que é para pregar o arrependimento e a remissão de pecados em todo o mundo, e começou por Jerusalém. Assim, se somos obedientes, se cremos em sua Palavra, então simplesmente pratiquemos a sua ordenança, pois é o que espera de nós. "E destas coisas sois vós testemunhas. E eis que sobre vós envio a promessa de meu Pai; ficai, porém, na cidade de Jerusalém, até que do alto sejais revestidos de poder. E levou-os fora, até Betânia; e, levantando as suas mãos, os abençoou. E aconteceu que, abençoando-os Ele, se apartou deles e foi elevado ao céu. E, adorando-o eles, tornaram com grande júbilo para Jerusalém. E estavam sempre no templo, louvando e bendizendo a Deus. Amém." (Lucas 24:48-53).
Leiam e pratiquem a Bíblia. Que Deus os abençoe.
 Um abraço,
 Pr.Henrique Lino 
Se voce está passando por problemas na sua vida espiritual, familiar, profissional, sentimental, com filhos em situação de risco, envolvimento com drogas, homossexualismo, ou em processo de separação, divorcio, traído(a) abandonado(a) entre em contato conosco.O Ministério Atalaia do Evangelho de Deus está a sua disposição dia e noite para aconselhamento, oração, e interseção e orientação, e cobertura espiritual. Visitem nosso site www.atalaiadedeus.com.br - O Ministério Atalaia do Evangelho de Deus tem como objetivo levar a Palavra de Deus. Trabalha voluntariamente com assistência as famílias, para restaurar casamentos e orientação espiritual a todo aquele que necessita de uma Palavra de cura, salvação e libertação. Esse Ministério tem obedecido ao chamado do Senhor, venha fazer parte desse trabalho com sua oração. 

quinta-feira, 28 de julho de 2016

O QUE É HERANÇA

"E disse: Um certo homem tinha dois filhos; E o mais moço deles disse ao pai: Pai, dá-me a parte dos bens que me pertence. E ele repartiu por eles a fazenda." (Lucas 15:11-12)

 Esta parábola que Jesus nos conta é muito interessante, porque nos mostra o arrependimento pela necessidade de viver. Começa dizendo que um homem tinha dois filhos, e um deles, o mais novo, lhe exige a parte da herança afirmando que lhe pertencia. Devemos observar que o pai deixou, permitiu que o seu filho achasse que o estava enganando, isto porque herança é só para ser dividida após a morte. Herança é dos filhos após a morte dos pais, porque, enquanto eles forem vivos, é deles e dela podem dispor como bem quiserem sem ter que dar nenhuma explicação aos filhos; e os pais não têm obrigação nenhuma de deixar herança material para os filhos. Têm obrigação de deixar herança moral, espiritual, têm que amá-los, educá-los, e prepará-los para viverem de acordo com a Palavra de Deus. Mas esse pai resolveu, mesmo sem ter essa obrigação, mesmo sem o filho ter direito algum, ele resolveu dividir o seu patrimônio, e deu uma parte dele para esse filho. "E, poucos dias depois, o filho mais novo, ajuntando tudo, partiu para uma terra longínqua, e ali desperdiçou os seus bens, vivendo dissolutamente." (Lucas 15:13). O filho, de posse da herança, do dinheiro do pai, partiu para uma região distante e gastou, esbanjou, desperdiçou o dinheiro, isso porque não deu valor a ele, uma vez que o conseguiu de maneira fácil. Esse jovem não estava acostumado a ter, não tinha aprendido a economizar e era um preguiçoso, porque, se fosse um trabalhador, possivelmente não teria exigido a herança do pai. E, mesmo se a tivesse, teria investido, teria trabalhado com o dinheiro, e não o jogado fora em farras e orgias. Portanto, sabemos que esse jovem não estava preparado para nada, e cremos que era um jovem mimado, porque, além de não saber nada de como se comportar comercialmente falando, também o pai satisfazia a sua vontade como fez, dando-lhe a sua herança. Da mesma maneira, há muitos pais que fazem as vontades dos filhos e criam pessoas sem a menor preparação para a vida. Há pais que deixam os filhos crerem que os pais têm a obrigação de deixar-lhes herança material, e não raro cobram e exigem a sua parte quando os pais estão vivos ainda. Exigem que vendam casa, carros ou bens, para que eles possam iniciar as suas vidas.
 "E, havendo ele gastado tudo, houve naquela terra uma grande fome, e começou a padecer necessidades." ((Lucas 15:14). Esse jovem ganancioso, despreparado e preguiçoso, gastou tudo, esbanjou tudo, e agora, longe de casa e passando fome, começa a se lembrar de casa e do pai. Esse jovem mimado descobriu que nada sabia, e que era incompetente para dirigir, administrar a sua própria vida ao se deparar com a necessidade. Muitas vezes achamos que estamos fazendo o certo para os nossos filhos, mas, como agimos de maneira emocional, sentimental, e não de acordo com a Palavra de Deus, na verdade estamos agindo mal e os conduzindo a sofrimentos. Pais que não educam, ensinam os filhos a viverem segundo a Palavra de Deus estão errando, não os estão amando, mas os odiando. "E foi, e chegou-se a um dos cidadãos daquela terra, o qual o mandou para os seus campos, a apascentar porcos. E desejava encher o seu estômago com as bolotas que os porcos comiam, e ninguém lhe dava nada. E, tornando em si, disse: Quantos jornaleiros de meu pai têm abundância de pão, e eu aqui pereço de fome! Levantar-me-ei, e irei ter com meu pai, e dir-lhe-ei: Pai, pequei contra o céu e perante ti; Já não sou digno de ser chamado teu filho; faze-me como um dos teus jornaleiros."(Lucas 15:15-19). Agora esse jovem, sem nenhuma capacitação e passando fome em um local onde não tinha parentes ou amigos, é obrigado a aceitar qualquer serviço, qualquer coisa para poder sobreviver. Agora aceita o erro, o pecado. Veja que naquela época era proibido o povo de Deus comer carne de porco, e, portanto, muito mais criar, mas o jovem agora não tem nada para comer, a não ser a comida dos porcos. Melhor dizendo, ele queria comer a comida dos porcos, mas nem isso lhe davam. Mas ele se lembra de casa, lembra-se do pai, da fartura que os empregados (jornaleiros) do pai tinham e começa a pensar, a planejar o seu retorno à casa, e o seu pedido de perdão. Esse jovem agora quer tão somente ser empregado do pai, quer receber o tratamento que o pai dispensa aos seus empregados. Vendo agora a sua incapacidade de conseguir alguma coisa por si mesmo, quer tão somente voltar à casa do pai para lhe servir como um empregado comum, pois seria o bastante no momento.
 "E, levantando-se, foi para seu pai; e, quando ainda estava longe, viu-o seu pai, e se moveu de íntima compaixão e, correndo, lançou-se lhe ao pescoço e o beijou." (Lucas 15:20). Assim saiu, partiu da fazenda de porcos em direção à casa do seu pai, a qual ele tinha abandonado com dinheiro no bolso e pensando que poderia vencer sozinho. Saiu de casa com a cabeça erguida, achando que poderia se fazer e vencer, mas viu que não era assim, e agora volta cabisbaixo e humilhado e com fome. Volta derrotado, fracassado, pedindo ajuda, socorro ao pai, volta pedindo perdão, reconhecendo a sua ignorância. O pai, desde que o filho partiu, ficou aguardando o seu retorno, pois sabia que ele não conseguiria vencer, mas foi necessário permitir que ele fosse embora e voltasse por si mesmo. O pai já aguardava o seu retorno e com todo amor o recebe, o abraça e o beija. Esse filho recebe do pai o que não tinha recebido desde que partira: carinho, amor, e agora encontra o aconchego dos braços do pai. "E o filho lhe disse: Pai, pequei contra o céu e perante ti, e já não sou digno de ser chamado teu filho." (Lucas 15:21). Agora, envergonhado, assume o seu erro, seu pecado contra Deus e contra o pai, e sabe que não é digno de ser chamado de filho, por causa da sua atitude. Sabe que o que fez foi terrível, e deseja somente a bondade do pai para admiti-lo como empregado, quer ser somente servo do pai. Devemos exaltar, nos alegrar, porque esse filho pelo menos se arrependeu e voltou para casa, apesar de não sabermos se realmente ele aprendeu a lição. Mas assim o Senhor nos dá grandes lições, e se tivéssemos tempo, oportunidade para explorar as riquezas desse texto, com certeza daria para escrevermos um livro, mostrando a insensatez cometida nos dias atuais pelos pais e pelos filhos. Os filhos erram, principalmente pelo fato de que aprenderam de maneira errada, porque não foram capacitados, e as rebeldias, os mimos estragam um ser humano, um filho de Deus. Mas o Pai, o nosso Deus sempre estará disposto a nos perdoar quando existe um arrependimento sincero, quando há mudança - falo tanto de pais quanto de filhos. "Mas o pai disse aos seus servos: Trazei depressa a melhor roupa; e vesti-lho, e ponde-lhe um anel na mão, e alparcas nos pés; E trazei o bezerro cevado, e matai-o; e comamos, e alegremo-nos; Porque este meu filho estava morto, e reviveu, tinha-se perdido, e foi achado. E começaram a alegrar-se." (Lucas 15:22-24). O arrependimento é a chave da mudança, e o pai sempre vai perdoar e aceitar o filho de volta, não como empregado, não como servo, mas como filho, como príncipe. Portanto, temos que saber que, se os nossos pais carnais nos perdoam, o nosso Pai Celestial fará muito mais, afinal, Ele enviou o seu Filho amado para sofrer e morrer em nosso lugar. "E o seu filho mais velho estava no campo; e quando veio, e chegou perto de casa, ouviu a música e as danças. E, chamando um dos servos, perguntou-lhe que era aquilo. E ele lhe disse: Veio teu irmão; e teu pai matou o bezerro cevado, porque o recebeu são e salvo. Mas ele se indignou, e não queria entrar. E saindo o pai, instava com ele. Mas, respondendo ele, disse ao pai: Eis que te sirvo há tantos anos, sem nunca transgredir o teu mandamento, e nunca me deste um cabrito para alegrar-me com os meus amigos; Vindo, porém, este teu filho, que desperdiçou os teus bens com as meretrizes, mataste-lhe o bezerro cevado. E ele lhe disse: Filho, tu sempre estás comigo, e todas as minhas coisas são tuas; Mas era justo alegrarmo-nos e folgarmos, porque este teu irmão estava morto, e reviveu; e tinha-se perdido, e achou-se." (Lucas 15:25-32). 
Leiam e pratiquem a Bíblia. Que Deus os abençoe.
 Um abraço,
 Pr. Henrique Lino
Se voce está passando por problemas na sua vida espiritual, familiar, profissional, sentimental, com filhos em situação de risco, envolvimento com drogas, homossexualismo, ou em processo de separação, divorcio, traído(a) abandonado(a) entre em contato conosco.O Ministério Atalaia do Evangelho de Deus está a sua disposição dia e noite para aconselhamento, oração, e interseção e orientação, e cobertura espiritual. Visitem nosso site www.atalaiadedeus.com.br - O Ministério Atalaia do Evangelho de Deus tem como objetivo levar a Palavra de Deus. Trabalha voluntariamente com assistência as famílias, para restaurar casamentos e orientação espiritual a todo aquele que necessita de uma Palavra de cura, salvação e libertação. Esse Ministério tem obedecido ao chamado do Senhor, venha fazer parte desse trabalho com sua oração. 

quarta-feira, 27 de julho de 2016

HUMILHAÇÃO E SOFRIMENTO

"Pilatos, pois, tomou então a Jesus, e o açoitou. E os soldados, tecendo uma coroa de espinhos, lha puseram sobre a cabeça, e lhe vestiram roupa de púrpura. E diziam: Salve, Rei dos Judeus. E davam-lhe bofetadas." (João 19:1-3)

 Jesus estava preso e, por ordem de Pilatos, tinha sido espancado, açoitado e também humilhado de maneira dolorosa, pois fizeram uma coroa de espinhos grandes e a colocaram forçando-a sobre a sua cabeça. Ao colocar essa coroa de espinho sobre a sua cabeça, os espinhos adentraram o seu crânio, causando-lhe uma terrível dor e, consequentemente, sangramento. O sangue escorria pela sua cabeça e corpo por causa das chicotadas que tinha levado, mas mesmo assim Jesus não abriu a boca para pedir clemência, Ele foi o Cordeiro mudo. Ainda o vestiram com uma veste púrpura e lhe fizeram chacotas. Mesmo já ferido, era espancado, levava murros, bofetadas, mas nem assim Ele reclamou ou pediu para pararem. Jesus passou por todo tipo de humilhação, dor e não reclamou, simplesmente tudo suportou por amor a nós. Fizeram piada Dele de maneira agressiva e dolorosa, mas mudo Ele permaneceu. Não podemos alegar que Ele era Deus e que, portanto, não estava sentindo dor, porque é mentira, Jesus estava como homem, como qualquer ser humano normal. Portanto, sentia dores normais como qualquer um de nós sente, mas Ele tudo suportou e não reclamou com ninguém e nem com Deus. Assim não conseguimos entender quando algumas pessoas passam por uma lutazinha qualquer e começam a lamentar, reclamar com Deus, com as pessoas, reclamam com todos e se julgam injustiçadas. Nós deveríamos ter vergonha de reclamar por qualquer coisa, e lembrarmo-nos mais do sacrifício de Jesus. "Então Pilatos saiu outra vez fora, e disse-lhes: Eis aqui vo-lo trago fora, para que saibais que não acho Nele crime algum." (João 19:4). Mais uma vez, Pilatos sai e vai ao encontro do povo, desses religiosos, invejosos, hipócritas, e diz que não encontra culpa alguma em Jesus que fosse digna de alguma punição. Pilatos queria soltar, libertar Jesus, porque já sabia, já tinha entendido que eles o estavam acusando por inveja e medo. Vemos um estrangeiro, uma autoridade romana tentando libertar Jesus, mas o seu povo, aqueles para o qual Ele veio estavam traindo-o e exigindo a sua morte.
 "Saiu, pois, Jesus fora, levando a coroa de espinhos e roupa de púrpura. E disse-lhes Pilatos: Eis aqui o homem. Vendo-o, pois, os principais dos sacerdotes e os servos, clamaram, dizendo: Crucifica-o, crucifica-o. Disse-lhes Pilatos: Tomai-o vós, e crucificai-o; porque eu nenhum crime acho Nele." (João 19:5-6). Conduziram Jesus ao povo, aos religiosos, às principais autoridades religiosas de Israel, àqueles que diziam ser praticantes da Palavra de Deus. Aqueles que todos os sábados se reuniam para lerem a torá, se reuniam para lerem as Escrituras, os que conheciam a Palavra de Deus, ou pelo menos tinham a obrigação de conhecê-la e praticá-la e ensiná-la. Mas esses religiosos, quando viram que a autoridade romana estava trazendo-o a eles, começaram a gritar exigindo a crucificação Dele. Pilatos ainda tentou se esquivar dizendo que não via motivo, nada que Jesus tivesse feito que fosse digno de tal condenação, portanto, se eles quisessem, que eles mesmos o crucificassem. Mas esses religiosos, com a desculpa da sua religião, diziam que eles não poderiam matá-lo, crucificá-lo, mas que Pilatos deveria mandar fazer isso. Exigiram que um estrangeiro executasse o Filho de Deus, esses covardes, mas isso não é novidade, porque até hoje eles continuam exigindo a morte, a crucificação de Jesus em templos que se dizem cristãos. Todas as vezes em que pregam e ensinam contra o Evangelho estão exigindo a sua morte. "Responderam-lhe os judeus: Nós temos uma lei e, segundo a nossa lei, deve morrer, porque se fez Filho de Deus. E Pilatos, quando ouviu esta palavra, mais atemorizado ficou." (João 19:7-8). Os religiosos estavam acusando, exigindo a morte de Jesus, porque Ele disse a verdade, porque Ele revelou, assumiu que era o Filho de Deus. Mas o incrível é que eles tinham as Escrituras e nela estava mostrando de forma clara que Jesus era o Messias, o Filho de Deus. Quando Pilatos ouviu a acusação deles, que era uma coisa infundada para acusar e julgar alguém à morte, ficou assustado e temeroso em relação a eles, pois viu a crueldade justificada pela religião. Em nome de uma religião, de uma doutrina de homens estava sacrificando um homem, exigindo a sua morte, mesmo que ele não fosse o nosso Salvador, não fosse o Filho de Deus. Mas ele era o Filho de Deus, era o que estava prometido nas Escrituras, na lei, e pelos profetas que viriam e resgatariam Israel. Jesus veio para os que eram seus, mas eles não lhe receberam, ao contrário, o mataram.
 "E entrou outra vez na audiência, e disse a Jesus: De onde és tu? Mas Jesus não lhe deu resposta. Disse-lhe, pois, Pilatos: Não me falas a mim? Não sabes tu que tenho poder para te crucificar e tenho poder para te soltar?" (João 19:9-10). Pilatos, mais uma vez, entra e interroga Jesus, porque estava assustado com os religiosos, os sacerdotes e pelas acusações tolas e sem fundamentos que faziam e por isso exigiam a morte Dele. No interrogatório, como Jesus não abriu a boca para se justificar, para se defender, então Pilatos diz que ele é a autoridade ali, que tem poder para libertá-lo ou não. Pilatos, ao alardear a sua autoridade, estava tentando obter de Jesus alguma fala, queria entender o porquê de tanto ódio contra Ele. Mas Jesus não tinha intenção de pedir ajuda e socorro a ninguém, porque Ele sabia que o socorro vem é de Deus, e era propósito do Senhor que Ele passasse por aquela situação. Assim, Jesus sabia que tudo o que Ele quisesse teria que falar era com o Pai, mas também sabia que era a vontade do Pai que tudo acontecesse daquela maneira."Respondeu Jesus: Nenhum poder terias contra mim, se de cima não te fosse dado; mas aquele que me entregou a ti maior pecado tem." (João 19:11). Jesus responde a Pilatos que o poder que ele tem é porque Deus lhe deu, porque nós sabemos que ninguém não é nada se não for por vontade e permissão de Deus. A verdade é que ninguém é alguma coisa se não for a vontade do Senhor, assim Jesus mostrou a Pilatos que ele só estava na posição em que estava porque convinha ao Senhor. Mas o traidor Judas Iscariotes, aquele que o tinha vendido, o tinha entregado, esse teria sim pecado, e pagaria por toda a eternidade, esse sim era culpado. Assim, todos os que traem o Senhor traem o Evangelho e tentam o mudar ensinando de maneira errada são culpados e pagarão um alto preso."Desde então Pilatos procurava soltá-lo; mas os judeus clamavam, dizendo: Se soltas este, não és amigo de César; qualquer que se faz rei é contra César." (João 19:12).Pilatos, a autoridade romana, queria soltar Jesus, mas os religiosos, os sacerdotes judeus o obrigaram a mandar crucificar o Filho de Deus. Jesus foi crucificado a mando do seu povo. "Ouvindo, pois, Pilatos este dito, levou Jesus para fora, e assentou-se no tribunal, no lugar chamado Litóstrotos, e em hebraico Gabatá. E era a preparação da páscoa, e quase à hora sexta; e disse aos judeus: Eis aqui o vosso Rei. Mas eles bradaram: Tira, tira, crucifica-o. Disse-lhes Pilatos: Hei de crucificar o vosso Rei? Responderam os principais dos sacerdotes: Não temos rei, senão César. Então, consequentemente entregou-lho, para que fosse crucificado. E tomaram a Jesus, e o levaram. E, levando Ele às costas a sua cruz, saiu para o lugar chamado Caveira, que em hebraico se chama Gólgota, Onde o crucificaram, e com Ele outros dois, um de cada lado, e Jesus no meio. E Pilatos escreveu também um título, e pô-lo em cima da cruz; e nele estava escrito: JESUS NAZARENO, O REI DOS JUDEUS. E muitos dos judeus leram este título; porque o lugar onde Jesus estava crucificado era próximo da cidade; e estava escrito em hebraico, grego e latim." (João 19:13-20). 
Leiam e pratiquem a Bíblia. Que Deus os abençoe.
Um abraço,
 Pr.Henrique Lino
Se voce está passando por problemas na sua vida espiritual, familiar, profissional, sentimental, com filhos em situação de risco, envolvimento com drogas, homossexualismo, ou em processo de separação, divorcio, traído(a) abandonado(a) entre em contato conosco.O Ministério Atalaia do Evangelho de Deus está a sua disposição dia e noite para aconselhamento, oração, e interseção e orientação, e cobertura espiritual. Visitem nosso site www.atalaiadedeus.com.br - O Ministério Atalaia do Evangelho de Deus tem como objetivo levar a Palavra de Deus. Trabalha voluntariamente com assistência as famílias, para restaurar casamentos e orientação espiritual a todo aquele que necessita de uma Palavra de cura, salvação e libertação. Esse Ministério tem obedecido ao chamado do Senhor, venha fazer parte desse trabalho com sua oração. 

terça-feira, 26 de julho de 2016

RECEBEU A BENÇÃO

"E, no sexto mês, foi o anjo Gabriel enviado por Deus a uma cidade da Galileia, chamada Nazaré, A uma virgem desposada com um homem, cujo nome era José, da casa de Davi; e o nome da virgem era Maria." (Lucas 1:26-27)

 O sacerdote Zacarias, marido de Isabel, e a própria, apesar de ambos já serem idosos, tinham recebido a bênção do Senhor e estavam aguardando a chegada do filho amado, porque, apesar de ambos servirem ao Senhor, Isabel era estéril e não poderia ter filhos, até que o Senhor mandou o anjo Gabriel informar a Zacarias que ele seria pai de um filho que seria um homem de Deus. Inclusive, disse-lhe que teria um estilo de vida diferente, e sabemos que assim foi, pois a criança veio a ser João Batista, que batizou Jesus e vivia no deserto. Ele também tinha uma alimentação um tanto peculiar. O filho de Zacarias foi João Batista, o preparador do caminho para o Senhor Jesus, e que foi morto, perdeu a cabeça, literalmente falando, por confrontar o pecado, por pregar contra o adultério. João Batista, por pregar contra o recasamento, o divórcio, foi morto a mando de Herodes e Herodias, mulher de Filipe. Quando Isabel estava no sexto mês de gravidez, o anjo Gabriel foi enviado a Nazaré para falar com uma moça que estava noiva, prometida em casamento. Essa moça, Maria, ainda era virgem, ou seja, não tinha tido ainda qualquer experiência sexual, não tinha tido relações com homem algum. José era o nome do noivo que estava prometido a essa jovem, da qual não sabemos muita coisa até aquele momento, porque a Bíblia não relata, por isso não podemos tecer maiores comentários. O fato é que o anjo que há seis meses tinha revelado a Zacarias que ele seria pai, e inclusive determinado o nome do menino que iria nascer, agora é enviado a essa jovem virgem de Nazaré. "E, entrando o anjo aonde ela estava, disse: Salve, agraciada; o Senhor é contigo; bendita és tu entre as mulheres."(Lucas 1:28). O anjo, chegando ao local onde ela estava, que cremos que deveria ser um local fechado, uma habitação, a cumprimenta. Gabriel já chega cumprimentando-a, chamando-a de abençoada. Esse cumprimento já é uma antecipação da notícia que ele iria lhe dar. Maria foi abençoada, agraciada por vir a ser a mãe de Jesus, mas somente isso, ela recebe essa bênção, mas fora isso ela não é nada mais, e Jesus sempre mostrou isso.
 "E, vendo-o ela, turbou-se muito com aquelas palavras, e considerava que saudação seria esta." (Lucas 1:29). Quando Gabriel a cumprimenta chamando-a de agraciada, abençoada, ela fica pensativa, porque ficou imaginando o que viria ser aquilo, pensando, possivelmente, por que ela tinha sido abençoada, ou qual bênção ela poderia receber, mas com certeza ela não esperava ser informada que ficaria grávida e teria um filho antes de ter relações sexuais com José. O fato é que a saudação do anjo a fez ficar pensativa e tentando entender qual era a bênção recebida ou que ainda iria receber."Disse-lhe, então, o anjo: Maria, não temas, porque achaste graça diante de Deus. E eis que em teu ventre conceberás e darás à luz um filho, e pôr-lhe-ás o Nome de Jesus." (Lucas 1:30-31) Mas o anjo Gabriel lhe diz para não ter medo, porque ela tinha sido encontrada e aprovada por Deus. Sua conduta, modo de viver e pensar estavam de acordo com a vontade de Deus, por isso o Senhor tinha resolvido abençoá-la, e ela seria mãe do Filho de Deus. Maria recebe a informação de que iria ser mãe e que seria um menino, homem, e que deveria colocar-lhe o nome de Jesus. Creio que nesse momento Maria deve ter ficado confusa, porque o anjo tinha chegado dizendo que ela era abençoada, depois diz que Deus tinha aprovado a sua conduta, e que ela teria um filho homem no qual deveria colocar o nome de Jesus. "Este será grande, e será chamado filho do Altíssimo; e o Senhor Deus lhe dará o trono de Davi, seu pai; E Reinará eternamente na casa de Jacó, e o seu Reino não terá fim." (Lucas 1:32-33). E diz ainda mais: o filho que ela terá será chamado o Filho de Deus Altíssimo, e reinará, e será o filho prometido, o Messias, que seria da linhagem do rei Davi. Maria deve ter ficado confusa, em choque, por receber essas notícias, ou talvez não estivesse acreditando em tudo o que estava ouvindo, porque o anjo Gabriel lhe informa que o menino, o Filho de Deus, reinará eternamente, assim está dizendo a ela que o menino é o Messias, é a Esperança de Israel, é o Esperado, o Anunciado há muito pelos profetas. Uma jovem virgem recebe todas essas informações assim, sua mente deveria estar um turbilhão, mas creio que alegre, porque foi ou tinha sido informada que Deus estava aprovando a sua conduta. Essa é a melhor notícia que poderemos ter, saber que aquilo que estamos fazendo está agradando ao Pai.
 "E disse Maria ao anjo: Como se fará isto, visto que não conheço homem algum?" (Lucas 1:34). Então essa jovem abre a boca e questiona o anjo: como poderia lhe acontecer algo assim? Porque ela era virgem, ela não tinha tido relações sexuais, como poderia então engravidar? Vemos que ela, como qualquer outra pessoa, tinha dúvidas e, apesar de estar diante do anjo, apesar de reconhecê-lo como anjo, ouvir as promessas, ela quer saber como acontecerá, porque acha quase impossível, uma vez que era virgem. "E, respondendo o anjo, disse-lhe: Descerá sobre ti o Espírito Santo, e a virtude do Altíssimo te cobrirá com a sua sombra; por isso também o Santo, que de ti há de nascer, será chamado Filho de Deus." (Lucas 1:35).Então o anjo explica que não será através de contato humano, ou seja, não será por relações sexuais normais que ela engravidará, mas que o Senhor, o nosso Deus, enviará o seu Espírito, que descerá sobre ela, e que a Virtude, o Poder de Deus a cobrirá, e então ela receberá o fruto de Deus, porque o que ela vai gerar é o Filho de Deus e será conhecido assim, porque o será. Gabriel deixa claro a Maria que o filho que ela terá será o Filho de Deus. "E eis que também Isabel, tua prima, concebeu um filho em sua velhice; e é este o sexto mês para aquela que era chamada estéril; Porque para Deus nada é impossível." (Lucas 1:36-37). O anjo ainda faz questão de informar-lhe que a sua prima Isabel estava grávida, mesmo sendo já idosa, e fala ainda do tempo da gravidez da mesma. Mostra que foi o Senhor quem interveio para que Isabel engravidasse, uma vez que ela era estéril e todos sabiam desse fato. Mostra que Deus é o Deus do impossível, para que ela não ficasse com medo ou com dúvidas, porque as coisas iriam acontecer exatamente como ele estava relatando. Temos um Deus que realiza o que é impossível aos olhos humanos. "Disse então Maria: Eis aqui a serva do Senhor; cumpra-se em mim segundo a tua Palavra. E o anjo ausentou-se dela." (Lucas 1:38). Então, quando Gabriel fala sobre o que aconteceu com Isabel, ela simplesmente diz, ou melhor, coloca-se à disposição do Senhor, e isso ela faz com uma condição de humildade. Ela diz: "Eis aqui a sua serva". Maria concordou e autorizou que o Senhor cumprisse nela o seu propósito; ao obter essa permissão, concordância, o anjo partiu. "E, naqueles dias, levantando-se Maria, foi apressada às montanhas, a uma cidade de Judá, E entrou em casa de Zacarias, e saudou a Isabel." (Lucas 1:39-40). Maria, depois disso, partiu também, saiu apressada para a cidade, para a casa da sua prima, com a intenção de confirmar as palavras do anjo Gabriel. Vemos que ela teve dúvidas e foi buscar esclarecimentos e os encontrou logo na chegada. "E aconteceu que, ao ouvir Isabel a saudação de Maria, a criancinha saltou no seu ventre; e Isabel foi cheia do Espírito Santo. E exclamou com grande voz, e disse: Bendita és tu entre as mulheres, e bendito o fruto do teu ventre. E de onde me provém isto a mim, que venha visitar-me a mãe do meu Senhor? Pois eis que, ao chegar aos meus ouvidos a voz da tua saudação, a criancinha saltou de alegria no meu ventre. Bem-aventurada a que creu, pois hão de cumprir-se as coisas que da parte do Senhor lhe foram ditas."(Lucas 1:41-45). 
Leiam e pratiquem a Bíblia. Que Deus os abençoe.
 Um abraço,
 Pr.Henrique Lino
Se voce está passando por problemas na sua vida espiritual, familiar, profissional, sentimental, com filhos em situação de risco, envolvimento com drogas, homossexualismo, ou em processo de separação, divorcio, traído(a) abandonado(a) entre em contato conosco.O Ministério Atalaia do Evangelho de Deus está a sua disposição dia e noite para aconselhamento, oração, e interseção e orientação, e cobertura espiritual. Visitem nosso site www.atalaiadedeus.com.br - O Ministério Atalaia do Evangelho de Deus tem como objetivo levar a Palavra de Deus. Trabalha voluntariamente com assistência as famílias, para restaurar casamentos e orientação espiritual a todo aquele que necessita de uma Palavra de cura, salvação e libertação. Esse Ministério tem obedecido ao chamado do Senhor, venha fazer parte desse trabalho com sua oração. 

segunda-feira, 25 de julho de 2016

REPREENDENDO OS DISCÍPULOS

"E ajuntaram-se a Ele os fariseus, e alguns dos escribas que tinham vindo de Jerusalém. E, vendo que alguns dos seus discípulos comiam pão com as mãos impuras, isto é, por lavar, os repreendiam." (Marcos 7:1-2)

 Os fariseus, os religiosos da época sempre buscavam o Senhor Jesus com a intenção de criticar, apontar erros e discordâncias Dele em relação à lei. Os conhecedores da Palavra, da torá, da lei de Moisés, sempre o cercavam com o objetivo de desmoralizá-lo, dizendo que Ele agia contra a vontade, contra a Palavra de Deus. Mas esses religiosos daquela época não são diferentes dos da nossa, porque muitos vão a templos denominacionais para observar, apontar defeitos dos cultos e a maneira como são conduzidos. São muitos os que gostam de criticar o louvor, a oração, as vestes dos irmãos, a pregação e até mesmo a oração. A perseguição a Jesus não se encerrou com a sua morte na cruz, ao contrário, ainda mais se acirrou, e cada vez mais desencadeia novas frentes. Mas o cristão deve em primeiro lugar buscar agradar a Deus, e não aos homens, e por isto sempre pautar a sua vida e tudo o mais na Palavra de Deus. Os fariseus foram criticar os discípulos de Jesus por eles não seguirem uma tradição qualquer, por eles não estarem lavando as mãos antes de se alimentarem ou ingerirem algum alimento, porque os judeus, aqueles religiosos que sempre desobedeciam ao Senhor, que eram rebeldes a sua Palavra, faziam questão de guardar velhas tradições e as impunham a todos. Assim, eles não praticavam algo com o objetivo de agradar a Deus, mas simplesmente como um hábito religioso."Porque os fariseus, e todos os judeus, conservando a tradição dos antigos, não comem sem lavar as mãos muitas vezes; E, quando voltam do mercado, se não se lavarem, não comem. E muitas outras coisas há que receberam para observar, como lavar os copos, e os jarros, e os vasos de metal e as camas. Depois perguntaram-lhe os fariseus e os escribas: Por que não andam os teus discípulos conforme a tradição dos antigos, mas comem o pão com as mãos por lavar?"(Marcos 7:3-5). Esses escribas, fariseus, tinham o costume de agir dessa maneira e queriam impô-la a todos, como se fosse algo de relevância. Da mesma maneira, algumas denominações apresentam e querem impor sobre as ovelhas algumas práticas como se fossem mandamentos do Senhor.
 "E Ele, respondendo, disse-lhes: Bem profetizou Isaías acerca de vós, hipócritas, como está escrito: Este povo honra-me com os lábios, Mas o seu coração está longe de mim; Em vão, porém, me honram, Ensinando doutrinas que são mandamentos de homens." (Marcos 7:6-7). Jesus responde mostrando como era grande a hipocrisia desses que falavam em uma tradição, mas não obedeciam ao Senhor. Eram pessoas que oravam, faziam preces ao Senhor, e de boca, com os lábios confessavam que amavam o Senhor, mas criavam doutrinas como se fossem mandamentos do Senhor, e obrigavam o povo a cumpri-las. Isto acontecia lá e aqui, na verdade, em toda parte, basta observarmos denominações que exigem que seus membros se vistam assim ou assado. Atualmente, encontramos denominações que exigem que as mulheres não usem maquiagem, ou que não usem calças compridas, somente vestidos e saias. Há algumas que chegam às raiais da loucura proibindo as mulheres de se depilarem ou de tomarem anticoncepcional. Nos templos proíbem os homens de sentarem com as mulheres, ou seja, as famílias, os casais são separados nos templos. Colocam um fardo pesado sobre as costas das ovelhas que, por ser difícil de carregar, acaba conduzindo ao erro, ao pecado, à mentira. São várias as mulheres que frequentam templos que proíbem as mulheres de usarem calças compridas, o que as leva à mentira, ao erro, pois não usam calças compridas somente quando vão aos cultos. No cotidiano as usam, e muitas vezes têm que se esconder quando veem um irmão da congregação ou o pastor. Assim, estão fechando a porta do Reino a muitos. São templos, denominações que honram o Senhor com os lábios somente. "Porque, deixando o mandamento de Deus, retendes a tradição dos homens; como o lavar dos jarros e dos copos; e fazeis muitas outras coisas semelhantes a estas." (Marcos 7:8). São muitos os que se preocupam com detalhes insignificantes, que criam leis, doutrinas, preceitos e fazem crer que são mandamentos do Senhor. Muitos praticamente obrigam as irmãs a irem aos templos quase todos os dias, a participarem de campanhas, ou de qualquer ato religioso. São muitas as normas criadas e impostas sobre as pessoas, mas, por causa do analfabetismo bíblico, elas as cumprem como se fossem uma ordenança do Senhor.
 "E dizia-lhes: Bem invalidais o mandamento de Deus para guardardes a vossa tradição." (Marcos 7:9). Muitos estão ensinando contra a própria Palavra de Deus, não obstante estarem citando o Nome do Senhor, porque se especializaram em trabalhar os textos fora de contextos, os versículos aleatórios ou somente parte deles, tentando infundir nas pessoas o temor como se fosse uma ordenança do Senhor. Primeiro, temos que entender que em Jesus há liberdade, portanto, o Senhor não quer e não deseja que sejamos sacrificados, mas simplesmente vivamos em obediência aos seus preceitos, que são claros em sua Palavra. Jesus não proibiu as mulheres de usarem calças compridas, mesmo porque naquela época elas inexistiam, assim também não proibiu o anticoncepcional pelo mesmo motivo. Não determinou que as pessoas fossem todos os dias à congregação, porque sabe que as pessoas têm famílias e têm que cuidar do marido, da esposa, dos filhos e, principalmente, têm que trabalhar para os manter, além das necessidades do descanso. Também não falou ou mandou participarem de campanha alguma, mesmo porque não existe essa prática na Bíblia, e nem obrigou as pessoas a ofertar até o que não têm."Porque Moisés disse: Honra a teu pai e a tua mãe; e quem maldisser, ou o pai ou a mãe, certamente morrerá. Vós, porém, dizeis: Se um homem disser ao pai ou à mãe: Aquilo que poderias aproveitar de mim é Corbã, isto é, oferta ao Senhor; Nada mais lhe deixais fazer por seu pai ou por sua mãe, Invalidando assim a Palavra de Deus pela vossa tradição, que vós ordenastes. E muitas coisas fazeis semelhantes a estas."(Marcos 7:10-13). Esses fariseus, religiosos sabiam que tinham que honrar o pai e a mãe, que tinham que mantê-los, os sustentar, se eles não tivessem condições. Mas, para não cumprir com essa obrigação, falavam que consagravam o que tinham ao templo, e era como uma oferta, assim somente eles poderiam desfrutar e não poderiam dar nada a ninguém, nem mesmo a seus pais. Hoje, os pastores falam em sacrifícios e ofertas, e os exigem das ovelhas, fazem promessas em Nome do Senhor e arrecadam fortunas que são usadas em benefício próprio, enquanto as ovelhas passam por necessidades. Templos faturam grandes quantias em campanhas várias que são usadas para enriquecimento dos seus líderes. "E, chamando outra vez a multidão, disse-lhes: Ouvi-me vós, todos, e compreendei. Nada há, fora do homem, que, entrando nele, o possa contaminar; mas o que sai dele isso é que contamina o homem. Se alguém tem ouvidos para ouvir, ouça. Depois, quando deixou a multidão, e entrou em casa, os seus discípulos o interrogavam acerca desta parábola. E ele disse-lhes: Assim também vós estais sem entendimento? Não compreendeis que tudo o que de fora entra no homem não o pode contaminar, Porque não entra no seu coração, mas no ventre, e é lançado fora, ficando puras todas as comidas? E dizia: O que sai do homem isso contamina o homem. Porque do interior do coração dos homens saem os maus pensamentos, os adultérios, as fornicações, os homicídios, os furtos, a avareza, as maldades, o engano, a dissolução, a inveja, a blasfêmia, a soberba, a loucura. Todos estes males procedem de dentro e contaminam o homem." (Marcos 7:14-23). 
Leiam e pratiquem a Bíblia. Que Deus os abençoe.
Um abraço,
 Pr.Henrique Lino
Se voce está passando por problemas na sua vida espiritual, familiar, profissional, sentimental, com filhos em situação de risco, envolvimento com drogas, homossexualismo, ou em processo de separação, divorcio, traído(a) abandonado(a) entre em contato conosco.O Ministério Atalaia do Evangelho de Deus está a sua disposição dia e noite para aconselhamento, oração, e interseção e orientação, e cobertura espiritual. Visitem nosso site www.atalaiadedeus.com.br - O Ministério Atalaia do Evangelho de Deus tem como objetivo levar a Palavra de Deus. Trabalha voluntariamente com assistência as famílias, para restaurar casamentos e orientação espiritual a todo aquele que necessita de uma Palavra de cura, salvação e libertação. Esse Ministério tem obedecido ao chamado do Senhor, venha fazer parte desse trabalho com sua oração. 

sexta-feira, 22 de julho de 2016

FALANDO COMO HOMEM

"Irmãos, como homem falo; se a aliança de um homem for confirmada, ninguém a anula nem a acrescenta." (Gálatas 3: 15)

 Temos que entender com clareza a Palavra de Deus até mesmo para que possamos manter uma fé saudável assim como a nossa esperança, porque muitos vivem uma emoção, fazendo orações vazias e realizando rituais que para nada servem; simplesmente estão imitando outros, mas eles mesmos não têm conhecimento do que estão praticando. Oram, rezam, fazem preces, mas não têm a certeza se o Senhor tem compromisso com o que eles estão pedindo. Falam sobre promessas, mas, na verdade, não conhecem a Promessa de Deus, e, portanto, citam um monte de vontades e dizem ser promessas do Senhor. Por tal motivo, Paulo esclarece o que é a Promessa de Deus e como ela foi cumprida. Esse apóstolo dirige-se aos irmãos falando, citando exemplos humanos, a fim de provocar um melhor entendimento, porque, considerando que um testamento seja feito por mãos humanas, ninguém poderá anulá-lo depois de o haver ratificado, nem ao menos acrescentar algo. Isto é, quando alguém faz um testamento e o registra, nenhuma outra pessoa pode acrescentar algo ou suprimir nada, e, após o falecimento de quem fez o testamento, ele tem que ser cumprido à risca. Assim, antes de falarmos, defendermos, criticarmos a antiga lei, temos que primeiro entendê-la, e, na verdade, conhecer o antes dela e o depois, que é a Graça. "Ora, as promessas foram feitas a Abraão e à sua descendência. Não diz: E às descendências, como falando de muitas, mas como de uma só: E à tua descendência, que é Cristo." (Gálatas 3:16). Temos que entender e compreender a Promessa de Deus a Abraão, em que foi feita a Promessa, ou seja, uma Promessa, e não várias, como muitos acreditam ou se fazem entender assim. Diz sua descendência, e não as suas descendências, isto é, no singular, fala, portanto, de uma pessoa e não de várias. Desse modo, a Promessa foi feita a Abrão e a seu Descendente. A Escritura não declara: "e aos seus descendentes", referindo-se a muitos, mas exclusivamente: "ao seu Descendente", transmitindo a informação de que se trata de uma só pessoa, isto é, Cristo. Assim, sabemos que a Promessa que foi feita a Abraão referia-se a Jesus Cristo. Também sabemos que a lei veio para solucionar uma questão e que, não sendo útil, ou não conseguindo, então Deus enviou o seu Filho, porque a Promessa da vinda de Jesus já tinha sido feita a Abraão, quando não existia lei.
 "Mas digo isto: Que tendo sido a aliança anteriormente confirmada por Deus em Cristo, a lei, que veio quatrocentos e trinta anos depois, não a invalida, de forma a abolir a Promessa." (Gálatas 3:17). Em outras palavras: a lei, que veio quatrocentos e trinta anos depois, não anula a aliança previamente estabelecida por Deus, de maneira que venha a invalidar a Promessa. Quando Abrão recebeu a Promessa, não existia a lei, mas o Senhor já tinha revelado o que aconteceria com a herança de Abraão, que seriam escravos e quando seriam libertos. A lei só veio a ser promulgada depois da libertação do povo, dos hebreus, da escravidão a que eram submetidos no Egito. E no deserto, a caminho da terra prometida, Deus determinou que Moisés passasse a lei a eles para que aprendessem a temê-lo e a andar em seus caminhos. A lei que Deus entregou não invalida em hipótese alguma a Promessa que Ele tinha feito a Abraão há quatrocentos e trinta anos. Na verdade, é simplesmente a condução para o cumprimento da Promessa. "Porque, se a herança provém da lei, já não provém da Promessa; mas Deus pela Promessa a deu gratuitamente a Abraão." (Gálatas 3:18). A herança, vindo através da lei, então já não é a Promessa de Deus. Muitos entendem que o Senhor tenha dado a Promessa através da lei, que tenha prometido ao povo hebreu, tenha prometido a Moises. Mas não existe essa Promessa a Moisés, porque ela tinha sido feita anteriormente a Abrão, e a lei foi somente o aio, um suporte, a muleta até o seu cumprimento, que foi Jesus. A Promessa que Deus fez a Abrão se cumpriu integralmente em Jesus, assim como a lei também se cumpriu. Por esse motivo, podemos dizer que vivemos na Graça, vivemos em Jesus, e não mais na lei. Esse motivo não justifica alguém tentar viver, ou melhor, cumprir parte da lei e da Graça, porque, na verdade, não está fazendo nada, e com certeza não está agradando a Deus. Na verdade, está desagradando a Deus, pois está invalidando o sacrifício da cruz, do seu Filho. A Promessa inicial feita a Abraão se cumpriu em Jesus para todos nós, e a lei que veio nesse tempo foi a condução para que se cumprisse a Promessa. Assim, nós recebemos, somos beneficiados na Promessa, porque recebemos tudo de herança. A preparação, o caminho, o modo para que se cumprisse a Promessa foi a lei, mas somente isso, assim aquele Testamento foi cumprido, e agora vivemos o novo Testamento, feito no sangue de Jesus.
 "Logo, para que é a lei? Foi ordenada por causa das transgressões, até que viesse a posteridade a quem a Promessa tinha sido feita; e foi posta pelos anjos na mão de um medianeiro." (Gálatas 3:19). A lei foi criada, outorgada, enviada para que trouxesse a luz às transgressões e ao pecado. O povo só veio a saber o que é pecado através da lei, portanto a função dela foi fazer com que se enxergasse a diferença entre o certo e o errado, para que trouxesse ao conhecimento de todos a diferença e a maneira de respeitar o Senhor. A lei foi acrescentada com o propósito de mostrar as desobediências, até que viesse o Descendente a quem se referia a Promessa, e foi promulgada por meio de anjos, pela mão de um mediador. Assim, a função da lei foi trazer entendimento, conhecimento do pecado, e não trazer salvação. A lei não veio com o objetivo de trazer salvação, mas de conduzir até a Promessa. "Ora, o medianeiro não o é de um só, mas Deus é um. Logo, a lei é contra as promessas de Deus? De nenhuma sorte; porque, se fosse dada uma lei que pudesse vivificar, a justiça, na verdade, teria sido pela lei."(Gálatas 3:20-21). Não podemos pensar que a lei é contrária às Promessa de Deus, porque, se fosse possível outorgar uma lei que pudesse conceder vida, com toda certeza a justiça resultaria da lei. Se fosse possível existir salvação através da lei, com certeza a Promessa teria sido de maneira diferente. Mas era impossível um conjunto de leis ou de preceitos trazer vida, era necessário que alguém pagasse pelas dívidas, e só tinha que ser uma pessoa sem pecado algum. Assim, a lei foi o caminho até a Promessa, o Descendente, que foi Jesus, e, portanto, hoje vivemos Nele, porque Ele veio, a Promessa se cumpriu, e Ele nos comprou, pagou por todos os nossos pecados, e se o aceitarmos e nos submetermos a Ele e não à lei, temos vida. A justiça é pela Promessa e não pela lei.  "Mas a Escritura encerrou tudo debaixo do pecado, para que a Promessa pela fé em Jesus Cristo fosse dada aos crentes." (Gálatas 3:22).  A Escritura colocou tudo debaixo do pecado, para que a Promessa fosse concedida aos que creem por meio da fé em Jesus Cristo. Assim todos pecaram e destituídos estão do seu poder, mas graças a Deus, por Jesus Cristo que nos deu Vida Nele. "Mas, antes que a fé viesse, estávamos guardados debaixo da lei, e encerrados para aquela fé que se havia de manifestar. De maneira que a lei nos serviu de aio para nos conduzir a Cristo, para que pela fé fôssemos justificados. Mas, depois que veio a fé, já não estamos debaixo de aio. Porque todos sois filhos de Deus pela fé em Cristo Jesus. Porque todos quantos fostes batizados em Cristo já vos revestistes de Cristo."(Gálatas 3:23-27).
Leiam e pratiquem a Bíblia. Que Deus abençoe.
 Um abraço,
 Pr.Henrique Lino
Se voce está passando por problemas na sua vida espiritual, familiar, profissional, sentimental, com filhos em situação de risco, envolvimento com drogas, homossexualismo, ou em processo de separação, divorcio, traído(a) abandonado(a) entre em contato conosco.O Ministério Atalaia do Evangelho de Deus está a sua disposição dia e noite para aconselhamento, oração, e interseção e orientação, e cobertura espiritual. Visitem nosso site www.atalaiadedeus.com.br - O Ministério Atalaia do Evangelho de Deus tem como objetivo levar a Palavra de Deus. Trabalha voluntariamente com assistência as famílias, para restaurar casamentos e orientação espiritual a todo aquele que necessita de uma Palavra de cura, salvação e libertação. Esse Ministério tem obedecido ao chamado do Senhor, venha fazer parte desse trabalho com sua oração. 

quinta-feira, 21 de julho de 2016

SENDO OUSADO

"Porque vós mesmos, irmãos, bem sabeis que a nossa entrada para convosco não foi vã; Mas, mesmo depois de termos antes padecido, e sido agravados em Filipos, como sabeis, tornamo-nos ousados em nosso Deus, para vos falar o Evangelho de Deus com grande combate." (1 Tessalonicenses 2:1-2)

 Paulo foi um dos mais ferrenhos pregadores do Evangelho de Jesus Cristo, também um dos que mais sofreu perseguições, humilhações, prisões e açoites. Mas em nenhum momento sabemos de ele ter falado em esmorecer, ou ter reclamado do que estava passando, ao contrário, a cada perseguição, com mais afinco pregava. Era expulso de uma cidade ou obrigado a fugir, ia para outra e continuava a pregar, e tempo depois voltava àquela de onde antes tinha sido expulso. Ele apresentava Jesus Cristo, pregava o Evangelho legítimo, expositivo, chamando todos ao arrependimento, testemunhando o Poder de Deus. Paulo foi um grande soldado e combatente do Reino, um pregador admirável, do qual devemos seguir o exemplo. Sim, porque hoje vemos pessoas comprometidas com o mundo, que trazem um evangelho de bajulação, de mentira, de agradar a todos, que falam somente sobre bênçãos e perdão eternos, sobre misericórdias infindáveis do Senhor. O que se prega hoje é a tolerância, concordância com o pecado, desde que ofertem, dizimem, desde que participem das campanhas fraudulentas, ou que comprem os produtos ungidos. Por tal motivo, os supostos pregadores não sofrem qualquer perseguição ou afrontas, muito pelo contrário, são bajulados, idolatrados como se deuses fossem. Uma casta de pregadores que são ídolos, que exigem atenção e cuidados de todos, querem ser servidos, amados, mas não ensinam a verdade a ninguém, mesmo porque eles vivem na mentira. Esses de hoje não podem ser confrontados, porque se transformaram em figuras respeitadas no mundo, são mundanistas e querem, exigem o seu lugar. São homens e mulheres mortos espiritualmente, por tal motivo não têm temor de falar das coisas de Deus como fazem, ou de desafiá-lo, e exigir que os abençoe. Estão jazendo nos seus pecados e não perceberam.
 "Porque a nossa exortação não foi com engano, nem com imundícia, nem com fraudulência; Mas, como fomos aprovados de Deus para que o evangelho nos fosse confiado, assim falamos, não como para agradar aos homens, mas a Deus, que prova os nossos corações." (1 Tessalonicenses 2:3-4). Esses mercantilistas, comerciantes da fé alheia, esses que são especialistas em fazer shows, fazer campanhas, fogueiras santas e desafios, não foram chamados por Deus, eles se fizeram, porque os chamados por Deus para essa missão amam as ovelhas e têm preocupação em salvar as almas dessas e não o seu dinheiro, ou manter templos cheios, eles querem encher, povoar o céu. Os verdadeiros pregadores amam Deus e o temem e por isso falam somente de Deus, falam somente aquilo que o Senhor determina. São homens que não têm medo de confrontar o pecar, de chamar ao arrependimento, de exigir santidade, e conversão legítima. Digo conversão ao Senhor e não a uma denominação, ou a um templo qualquer. Transformaram os púlpitos dos templos em local de comércio, de mentira e de jogo de palavras para enganar os incautos; são fraudadores do Evangelho de Jesus Cristo. "Porque, como bem sabeis, nunca usamos de palavras lisonjeiras, nem houve um pretexto de avareza; Deus é testemunha; E não buscamos glória dos homens, nem de vós, nem de outros, ainda que podíamos, como apóstolos de Cristo, ser-vos pesados; Antes fomos brandos entre vós, como a ama que cria seus filhos."(1 Tessalonicenses 2:5-7). Paulo podia falar abertamente, porque ele não fazia uso do direito que ele tinha, o de ser custeado pela igreja, muito pelo contrário, ele trabalhava incansavelmente construindo tendas para se manter e ainda ajudar os que necessitavam. Não é errado os pastores, os homens de Deus serem mantidos pela igreja, pelo ministério, na verdade é um direito, mas estamos falando de se manterem. E para isso é que existem os dízimos, que é obediência ao Senhor, e oferta, já falamos, é o que Deus toca no coração das pessoas, e não é para pregadores ficarem pedindo oferta para isso e aquilo. Afinal, a função dos dízimos do Senhor é ser devolvido por todos, porque é simplesmente uma obediência como outra qualquer, os dízimos devem ser utilizados para custear as despesas da igreja, do ministério, socorrer os irmãos necessitados e manter o pastor. Eu disse manter, e não dar luxo, mesmo porque pastores não podem ter patrimônio, porque a sua herança é o Senhor.
 "Assim nós, sendo-vos tão afeiçoados, de boa vontade quiséramos comunicar-vos, não somente o Evangelho de Deus, mas ainda as nossas próprias almas; porquanto nos éreis muito queridos." (1 Tessalonicenses 2:8). Por isso, ser pregador da Palavra de Deus, do Evangelho de Jesus Cristo, porque os que são chamados são os que amam as almas, com o amor de Deus. Não com esse amor terreno maligno, destrutivo, isso que chamam de amor, mas que conduz as pessoas à morte eterna, e sim o amor verdadeiro, que chama para a salvação. Os chamados para essa missão estão preocupados em salvar vidas, e não em tirar nada, pois sabem que não se pode acumular patrimônios aqui. São pessoas que têm a preocupação de acumular, juntar tesouro no céu, onde nem a traça nem a ferrugem consomem. São pregadores que pautam as suas vidas pelo Evangelho, e falam a verdade, e por tal motivo, geralmente, são desprezados e acusados, isso porque não falam o que as pessoas querem ouvir, mas o que Deus quer nos ouvir falar. "Porque bem vos lembrais, irmãos, do nosso trabalho e fadiga; pois, trabalhando noite e dia, para não sermos pesados a nenhum de vós, vos pregamos o evangelho de Deus." (1 Tessalonicenses 2:9). Ser mantido pelo ministério é exatamente isto que a Palavra diz, é ter o que comer, beber, dormir, mas sem luxo, ou sem juntar patrimônio, isso são os cuidados do Senhor, isso é viver na herança do Senhor. É assim que os pregadores do Evangelho devem viver, e por tal motivo não ficam horas pedindo ofertas, colaboração, mas primam pelo ensinamento do Evangelho da Salvação. Quando vemos alguém que se diz pregador do Evangelho, mas anda preocupado com negócios outros, sabemos que não são chamados, mas se fizeram, porque os que têm compromisso com o Reino vivem no Reino e do Reino e para o Reino. Não que as pessoas não possam ter seus negócios, seus trabalhos e tudo, ao contrário, devem sim, mas esses não são chamados para o ministério de ensino e pregação do Evangelho, não são chamados para pastorear o rebanho do Senhor. Isso não quer dizer que não sejam homens e mulheres de Deus, ao contrário, os dons são diferentes, os chamados diferentes. E o chamado de pastor, pregador, é incompatível com riquezas, patrimônio ou trabalho mundano, porque são chamados para viverem exclusivamente no Senhor. "Vós e Deus sois testemunhas de quão santa, e justa, e irrepreensivelmente nos houvemos para convosco, os que crestes." (1 Tessalonicenses 2:10). Temos que ser exemplo, temos que apresentar o Senhor através de nós, devemos ser legítimos representantes do Reino, somos embaixadores do Reino de Deus. Somos como uma representação estrangeira aqui e, portanto, não podemos nos envolver com negócios desse mundo. Estamos em missão. "Assim como bem sabeis de que modo vos exortávamos e consolávamos e testemunhávamos, a cada um de vós, como o pai a seus filhos; Para que vos conduzísseis dignamente para com Deus, que vos chama para o seu Reino e Glória." (1 Tessalonicenses 2:11-12). 
Leiam e pratiquem a Bíblia. Que Deus os abençoe.
 Um abraço,
 Pr.Henrique Lino
Se voce está passando por problemas na sua vida espiritual, familiar, profissional, sentimental, com filhos em situação de risco, envolvimento com drogas, homossexualismo, ou em processo de separação, divorcio, traído(a) abandonado(a) entre em contato conosco.O Ministério Atalaia do Evangelho de Deus está a sua disposição dia e noite para aconselhamento, oração, e interseção e orientação, e cobertura espiritual. Visitem nosso site www.atalaiadedeus.com.br - O Ministério Atalaia do Evangelho de Deus tem como objetivo levar a Palavra de Deus. Trabalha voluntariamente com assistência as famílias, para restaurar casamentos e orientação espiritual a todo aquele que necessita de uma Palavra de cura, salvação e libertação. Esse Ministério tem obedecido ao chamado do Senhor, venha fazer parte desse trabalho com sua oração.