NESTE BLOG DISPONIBILIZAMOS MENSAGENS CRISTÃS SEGUNDO A BIBLIA. FALAMOS DOS ESTATUTOS DO REINO DE DEUS.

quarta-feira, 27 de julho de 2016

HUMILHAÇÃO E SOFRIMENTO

"Pilatos, pois, tomou então a Jesus, e o açoitou. E os soldados, tecendo uma coroa de espinhos, lha puseram sobre a cabeça, e lhe vestiram roupa de púrpura. E diziam: Salve, Rei dos Judeus. E davam-lhe bofetadas." (João 19:1-3)

 Jesus estava preso e, por ordem de Pilatos, tinha sido espancado, açoitado e também humilhado de maneira dolorosa, pois fizeram uma coroa de espinhos grandes e a colocaram forçando-a sobre a sua cabeça. Ao colocar essa coroa de espinho sobre a sua cabeça, os espinhos adentraram o seu crânio, causando-lhe uma terrível dor e, consequentemente, sangramento. O sangue escorria pela sua cabeça e corpo por causa das chicotadas que tinha levado, mas mesmo assim Jesus não abriu a boca para pedir clemência, Ele foi o Cordeiro mudo. Ainda o vestiram com uma veste púrpura e lhe fizeram chacotas. Mesmo já ferido, era espancado, levava murros, bofetadas, mas nem assim Ele reclamou ou pediu para pararem. Jesus passou por todo tipo de humilhação, dor e não reclamou, simplesmente tudo suportou por amor a nós. Fizeram piada Dele de maneira agressiva e dolorosa, mas mudo Ele permaneceu. Não podemos alegar que Ele era Deus e que, portanto, não estava sentindo dor, porque é mentira, Jesus estava como homem, como qualquer ser humano normal. Portanto, sentia dores normais como qualquer um de nós sente, mas Ele tudo suportou e não reclamou com ninguém e nem com Deus. Assim não conseguimos entender quando algumas pessoas passam por uma lutazinha qualquer e começam a lamentar, reclamar com Deus, com as pessoas, reclamam com todos e se julgam injustiçadas. Nós deveríamos ter vergonha de reclamar por qualquer coisa, e lembrarmo-nos mais do sacrifício de Jesus. "Então Pilatos saiu outra vez fora, e disse-lhes: Eis aqui vo-lo trago fora, para que saibais que não acho Nele crime algum." (João 19:4). Mais uma vez, Pilatos sai e vai ao encontro do povo, desses religiosos, invejosos, hipócritas, e diz que não encontra culpa alguma em Jesus que fosse digna de alguma punição. Pilatos queria soltar, libertar Jesus, porque já sabia, já tinha entendido que eles o estavam acusando por inveja e medo. Vemos um estrangeiro, uma autoridade romana tentando libertar Jesus, mas o seu povo, aqueles para o qual Ele veio estavam traindo-o e exigindo a sua morte.
 "Saiu, pois, Jesus fora, levando a coroa de espinhos e roupa de púrpura. E disse-lhes Pilatos: Eis aqui o homem. Vendo-o, pois, os principais dos sacerdotes e os servos, clamaram, dizendo: Crucifica-o, crucifica-o. Disse-lhes Pilatos: Tomai-o vós, e crucificai-o; porque eu nenhum crime acho Nele." (João 19:5-6). Conduziram Jesus ao povo, aos religiosos, às principais autoridades religiosas de Israel, àqueles que diziam ser praticantes da Palavra de Deus. Aqueles que todos os sábados se reuniam para lerem a torá, se reuniam para lerem as Escrituras, os que conheciam a Palavra de Deus, ou pelo menos tinham a obrigação de conhecê-la e praticá-la e ensiná-la. Mas esses religiosos, quando viram que a autoridade romana estava trazendo-o a eles, começaram a gritar exigindo a crucificação Dele. Pilatos ainda tentou se esquivar dizendo que não via motivo, nada que Jesus tivesse feito que fosse digno de tal condenação, portanto, se eles quisessem, que eles mesmos o crucificassem. Mas esses religiosos, com a desculpa da sua religião, diziam que eles não poderiam matá-lo, crucificá-lo, mas que Pilatos deveria mandar fazer isso. Exigiram que um estrangeiro executasse o Filho de Deus, esses covardes, mas isso não é novidade, porque até hoje eles continuam exigindo a morte, a crucificação de Jesus em templos que se dizem cristãos. Todas as vezes em que pregam e ensinam contra o Evangelho estão exigindo a sua morte. "Responderam-lhe os judeus: Nós temos uma lei e, segundo a nossa lei, deve morrer, porque se fez Filho de Deus. E Pilatos, quando ouviu esta palavra, mais atemorizado ficou." (João 19:7-8). Os religiosos estavam acusando, exigindo a morte de Jesus, porque Ele disse a verdade, porque Ele revelou, assumiu que era o Filho de Deus. Mas o incrível é que eles tinham as Escrituras e nela estava mostrando de forma clara que Jesus era o Messias, o Filho de Deus. Quando Pilatos ouviu a acusação deles, que era uma coisa infundada para acusar e julgar alguém à morte, ficou assustado e temeroso em relação a eles, pois viu a crueldade justificada pela religião. Em nome de uma religião, de uma doutrina de homens estava sacrificando um homem, exigindo a sua morte, mesmo que ele não fosse o nosso Salvador, não fosse o Filho de Deus. Mas ele era o Filho de Deus, era o que estava prometido nas Escrituras, na lei, e pelos profetas que viriam e resgatariam Israel. Jesus veio para os que eram seus, mas eles não lhe receberam, ao contrário, o mataram.
 "E entrou outra vez na audiência, e disse a Jesus: De onde és tu? Mas Jesus não lhe deu resposta. Disse-lhe, pois, Pilatos: Não me falas a mim? Não sabes tu que tenho poder para te crucificar e tenho poder para te soltar?" (João 19:9-10). Pilatos, mais uma vez, entra e interroga Jesus, porque estava assustado com os religiosos, os sacerdotes e pelas acusações tolas e sem fundamentos que faziam e por isso exigiam a morte Dele. No interrogatório, como Jesus não abriu a boca para se justificar, para se defender, então Pilatos diz que ele é a autoridade ali, que tem poder para libertá-lo ou não. Pilatos, ao alardear a sua autoridade, estava tentando obter de Jesus alguma fala, queria entender o porquê de tanto ódio contra Ele. Mas Jesus não tinha intenção de pedir ajuda e socorro a ninguém, porque Ele sabia que o socorro vem é de Deus, e era propósito do Senhor que Ele passasse por aquela situação. Assim, Jesus sabia que tudo o que Ele quisesse teria que falar era com o Pai, mas também sabia que era a vontade do Pai que tudo acontecesse daquela maneira."Respondeu Jesus: Nenhum poder terias contra mim, se de cima não te fosse dado; mas aquele que me entregou a ti maior pecado tem." (João 19:11). Jesus responde a Pilatos que o poder que ele tem é porque Deus lhe deu, porque nós sabemos que ninguém não é nada se não for por vontade e permissão de Deus. A verdade é que ninguém é alguma coisa se não for a vontade do Senhor, assim Jesus mostrou a Pilatos que ele só estava na posição em que estava porque convinha ao Senhor. Mas o traidor Judas Iscariotes, aquele que o tinha vendido, o tinha entregado, esse teria sim pecado, e pagaria por toda a eternidade, esse sim era culpado. Assim, todos os que traem o Senhor traem o Evangelho e tentam o mudar ensinando de maneira errada são culpados e pagarão um alto preso."Desde então Pilatos procurava soltá-lo; mas os judeus clamavam, dizendo: Se soltas este, não és amigo de César; qualquer que se faz rei é contra César." (João 19:12).Pilatos, a autoridade romana, queria soltar Jesus, mas os religiosos, os sacerdotes judeus o obrigaram a mandar crucificar o Filho de Deus. Jesus foi crucificado a mando do seu povo. "Ouvindo, pois, Pilatos este dito, levou Jesus para fora, e assentou-se no tribunal, no lugar chamado Litóstrotos, e em hebraico Gabatá. E era a preparação da páscoa, e quase à hora sexta; e disse aos judeus: Eis aqui o vosso Rei. Mas eles bradaram: Tira, tira, crucifica-o. Disse-lhes Pilatos: Hei de crucificar o vosso Rei? Responderam os principais dos sacerdotes: Não temos rei, senão César. Então, consequentemente entregou-lho, para que fosse crucificado. E tomaram a Jesus, e o levaram. E, levando Ele às costas a sua cruz, saiu para o lugar chamado Caveira, que em hebraico se chama Gólgota, Onde o crucificaram, e com Ele outros dois, um de cada lado, e Jesus no meio. E Pilatos escreveu também um título, e pô-lo em cima da cruz; e nele estava escrito: JESUS NAZARENO, O REI DOS JUDEUS. E muitos dos judeus leram este título; porque o lugar onde Jesus estava crucificado era próximo da cidade; e estava escrito em hebraico, grego e latim." (João 19:13-20). 
Leiam e pratiquem a Bíblia. Que Deus os abençoe.
Um abraço,
 Pr.Henrique Lino
Se voce está passando por problemas na sua vida espiritual, familiar, profissional, sentimental, com filhos em situação de risco, envolvimento com drogas, homossexualismo, ou em processo de separação, divorcio, traído(a) abandonado(a) entre em contato conosco.O Ministério Atalaia do Evangelho de Deus está a sua disposição dia e noite para aconselhamento, oração, e interseção e orientação, e cobertura espiritual. Visitem nosso site www.atalaiadedeus.com.br - O Ministério Atalaia do Evangelho de Deus tem como objetivo levar a Palavra de Deus. Trabalha voluntariamente com assistência as famílias, para restaurar casamentos e orientação espiritual a todo aquele que necessita de uma Palavra de cura, salvação e libertação. Esse Ministério tem obedecido ao chamado do Senhor, venha fazer parte desse trabalho com sua oração. 

Nenhum comentário:

Postar um comentário